Página inicial > FSM/WSF 2015 - TUNIS > Comissão da Verdade da Democracia “Mães de Maio” investigará mortes de jovens (...)

Comissão da Verdade da Democracia “Mães de Maio” investigará mortes de jovens pela polícia

domingo 22 de fevereiro de 2015, por ,

Instalada na Assembleia Legislativa de Sâo Paulo, a comissáo buscará esclarecer casos de violações cometidas pelo Estado brasileiro no período posterior à ditadura

Fotos de Cecília Laszkiewicz

Sob a liderança do movimento Mães de Maio, foi instalada nesta sexta-feira (20) na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) a Comissão da Verdade da Democracia, que investigará crimes praticados pela Polícia Militar no período pós-ditadura. A ideia surge a partir das Comissões da Verdade, debruçadas na apuração e encaminhamento dos crimes do Estado no período de exceção, que com a lei da Anistia, de 1979, foram varridos para debaixo do tapete.

A comissão conta com apoio da Secretaria Nacional dos Direitos Humanos, da Comissão da Anistia do Ministério da Justiça e de movimentos sociais – em especial movimentos negros e articulados na periferia. A estrutura para a audiência de instalação da comissão foi coordenada pelo deputado estadual do PT Adriano Diogo, cujo mandato se encerra em 15 de março. A comissão não tem, ainda, força de lei, o que deve dificultar o processo de investigação.

Para a coordenadora do Mães de Maio, Débora da Silva, o mais importante agora é jogar luz sobre dezenas de casos não esclarecidos pelo poder público, envolvendo agentes da polícia. "Quem paga por esses crimes é só a mãe que chora pelo filho morto. É importante que a história seja contada tal como aconteceu, que a memória seja preservada. Inclusive a memória recente. Nossos filhos morreram e ainda morrem, e se não fizermos nada continuarão morrendo na mão da PM."

O foco serão crimes cometidos pela polícia contra a população pobre, negra e periférica após 1988. Essa investigação, no entanto, não deve estabelecer um critério cronológico, mas casos de maior repercussão terão prioridade a princípio, como o chamado "crimes de maio", quando ocorreu o assassinato de pelo menos 493 civis na região metropolitana de São Paulo, promovido por grupos vinculados à PM, em resposta aos ataques do Primeiro Comando da Capital (PCC) de 2006. São esses os crimes que levaram as mães dos jovens mortos a criarem o movimento Mães de Mai


Ver online : Comissáo Máes de Maio