Página inicial > BRASIL > Comunicação > Comunidade do interior da Floresta Amazônica se mobiliza para criar uma (...)

Comunidade do interior da Floresta Amazônica se mobiliza para criar uma Rádio Comunitária

quarta-feira 23 de julho de 2014, por Laboratório de Comunicação Compartilhada Pan-Amazônia, Agência Pulsar,

No último final de semana, o povoado com o apoio de entidades parceiras e comunicadores populares independentes conseguiu colocar no ar a Rádio Comunitária Mamirauá FM (97.3).

A comunidade Boca do Mamirauá está localizada numa das áreas mais preservadas da Amazônia brasileira, a cerca de 30 quilômetros do município de Tefé, no estado do Amazonas. As 24 famílias que moram na região vivem basicamente do ecoturismo e da agricultura de subsistência que tem como o principal produto a farinha.

No último final de semana, o povoado deu um importante passo para fortalecer a mobilização local. Com o apoio de entidades parceiras e comunicadores populares independentes, a comunidade conseguiu colocar no ar a Rádio Comunitária Mamirauá FM (97.3).

Com a antena instalada no alto de uma árvore conhecida como castanha de sapucaia e utilizando o rio como aliado para refletir e retransmitir as ondas num raio de mais dois quilômetros, a Rádio Mamirauá é uma conquista para os 66 moradores da região.

O interesse da comunidade em ter uma rádio vem desde de 2012, quando através do apoio de ativistas do ramo da comunicação, o povoado conseguiu instalar as chamadas ‘bocas de ferro’, a tradicional rádio-poste. Com uma programação voltada para a área de serviços comunitários, ‘as bocas de ferro’ trouxeram uma nova realidade para os moradores da região, que poderá ser ampliada a partir de agora com a transmissão da Rádio Mamirauá em FM.

Francivane Martins, mora na comunidade e faz parte da equipe da rádio. Segundo ela, a presença de uma emissora comunitária ajuda bastante no dia a dia dos moradores. A comunicadora conta que antes tinha que sair de casa em casa para avisar sobre reuniões, pessoas doentes e outros informes. De acordo com Francivane, agora tudo ficou mais fácil com a utilização da rádio.

A distância geográfica dentro da própria comunidade é um fator que acaba dificultando a comunicação entre os moradores. O comunicador independente que ajudou na instalação da Rádio Mamirauá, Marco Lopes, chama a atenção principalmente para lei 9.612/98, que estabelece os parâmetros para a Radiodifusão Comunitária. Para ele, a legislação não atende as necessidade da população que vive afastada dos grandes centros, já que a realidade em termos de distância e número de habitantes por metro quadrado é totalmente diferente das zonas urbanas.

A programação da Rádio Mamirauá ainda está sendo construída. Os moradores já receberam oficinas sobre a legislação das rádios comunitárias no Brasil e o conceito de rádio. No próximo final de semana a comunidade decidirá o tempo de funcionamento da nova emissora e os programas que ocuparão a grade.


Audios:

Francivane sobre os benefícios trazidos com a rádio: http://agenciapulsar.org/brasil2013/wp-content/uploads/2014/07/Francivane-sobre-os-benef%C3%ADcios-trazidos-com-a-r%C3%A1dio.mp3

Marco Lopes, comunicador independente, fala sobre as dificuldades impostas pela distância e legislação de rádios comunitárias: http://agenciapulsar.org/brasil2013/wp-content/uploads/2014/07/Marco-Lopes-comunicador.mp3