Página inicial > BRASIL > Comunicação > EBC sob ataque. Mentiras têm objetivo claro

EBC sob ataque. Mentiras têm objetivo claro

sexta-feira 9 de setembro de 2016, por Mario Augusto Jakobskind,

O Jornal O Globo não se emenda em matéria de informar errado deliberadamente com o objetivo de fazer cabeças.

No furor que move o jornal da família Marinho contra a Comunicação Pública foi divulgada informação totalmente mentirosa na matéria com o título "Toffoli Cassa Liminar Que Garantia Melo À Frente Da EBC". No meio da matéria, o mais vendido jornal do Rio de Janeiro revela mentirosamente que um auxiliar de Temer informou que "membros do então governo interino eram proibidos de participar, ficando trancados do lado de foro da sala" (onde se reunia o Conselho Curador).

Nunca aconteceu isso. Os ministros com direito de participar da reunião ? um total de quatro - eram sempre convocados, mas nunca apareciam. Um ou outro respondia ao convite afirmando que não poderia estar presente. Na verdade, os ministros receavam questionamentos e agora O Globo divulga uma mentira deslavada, exatamente com o objetivo de tentar convencer os leitores a se voltarem contra o Conselho Curador da EBC, que foi extinto pelo governo ilegítimo através de medida provisória assinada pelo interino Rodrigo Maia, que ficou no lugar de Temer quando ele foi para a China e recebido por lá como "líder brasileiro" e não como Presidente.
No lugar de Melo voltou ao cargo o apanigudo de Eduardo Cunha, Laerte Rimoli, o que confirma que o governo ilegítimo quer mesmo acabar de vez com a experiência da comunicação pública. Estes desregrados não querem em hipótese alguma o contraponto, pois pretendem continuar mentindo, como fizeram na matéria sobre o retorno de Laerte Rimoli à presidência da EBC.

Se em uma semana eles feriram o povo brasileiro com tamanhos retrocessos, pode-se imaginar o que vem por aí em matéria de projetos, medidas provisórias Etc. E tudo para acabar com as conquistas sociais conseguidas nos últimos anos através de muita luta dos trabalhadores.

Sem mídia pública que objetivava, entre outras coisas, o debate com a colocação das mais diversas posições, a mídia conservadora vai reinar absoluta nos jornalões e telejornalões. No caso ainda da EBC, os ilegítimos terão de explicar a volta de Rimoli como presidente da empresa, sabendo-se que ele por onde andou criou problemas com funcionários, como aconteceu na TV Câmara, onde foi nomeado por Eduardo Cunha, Réu no STF e que está para ser julgado pelas mentiras que apresentou aos seus pares na Câmara dos Deputados quando "informou" que não tinha conta bancária na Suíça.

Cunha, Rimoli, Maia Etc., são na verdade farinha do mesmo saco de desgraça, que deveriam ser extirpados da vida pública. Enquanto isso não acontece vão levando o Brasil a um retrocesso que pode chegar ao ponto de o país retornar aos tempos em que os trabalhadores não tinham direitos assegurados, o que só passou a ser garantido depois de 1930. nesse sentido, a ascensão do grupo que colocou na presidência o ilegítimo Temer objetiva o que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sempre quis, mas nunca teve força para executar, ou seja, o fim da era Vargas.

Se o Brasil andava mal, com o advento de tais ferimentos, tudo vai ficar pior, sobretudo para os trabalhadores. As medidas que o governo ilegítimo quer colocar em prática demonstram o verdadeiro objetivo dos que chegaram ao Governo. Degradar os direitos do trabalhador e açoitá-lo, como faziam com os escravos.