Página inicial > FSM WSF 2016 > FSM 2018 em Salvador? Debate em SP, neste sábado. Transmissão (...)

FSM 2018 em Salvador? Debate em SP, neste sábado. Transmissão online.

sábado 25 de março de 2017, por Coletivo Baiano do FSM,

O Conselho Internacional já autorizou. Falta a decisão das organizações brasileiras. Seminários estão sendo organizados pelo Coletivo Baiano do FSM nas diversas regiões, para avaliar as condições. O próximo ocorre em São Paulo. Acompanhe o evento online clicando aqui. Também será possível participar virtualmente pelo Skype clicando aqui. Conheça a pauta da plenáriaaqui.

Confira a convocatória:

O Coletivo Baiano do Fórum Social Mundial convida os movimentos sociais e organizações da sociedade civil para debaterem e avaliarem as condições políticas para a construção de um Fórum de caráter mundial em Salvador no ano que vem. A plenária está marcada para dia 25 de março, próximo sábado, em São Paulo.

O Fórum Social Mundial (FSM), uma iniciativa da sociedade civil, é um encontro democrático que procura incentivar os debates e o aprofundamento da reflexão coletiva, a formulação de propostas alternativas, a troca de experiências e a constituição de coalizões e de redes entre os movimentos sociais, as organizações baseadas em comunidades (OBCs), as organizações não governamentais (ONGs) e outras organizações da sociedade civil (OSCs) que se opõem ao neoliberalismo e ao domínio do mundo pelo capital.

Mais do que um evento, o FSM constitui-se como um processo de mobilização e articulação da sociedade civil planetária, que se desdobra em dinâmicas de articulação dos movimentos sociais no âmbito local, nacional e regional. O local e o global estão entrelaçados.

O FSM se organiza propondo um encontro mundial a cada dois anos (a partir de 2007), sendo que nos anos de intervalo, Fóruns Temáticos descentralizados e autônomos são fortemente encorajados, a fim de dar seguimento às articulações e reflexões críticas nos diferentes países e regiões.

Em toda a América Latina, em todo o mundo, as forças conservadoras estão crescendo e ameaçam as institucionalidades democráticas. O Brasil, por sua vez, está enfrentando um forte retrocesso no seu processo democrático, um projeto de desmonte do Estado e das políticas sociais está em curso, imposto por um governo que não é legitimado pela população. O retrocesso dos direitos humanos e ambientais já é uma realidade. Como consequência, aumentam as tensões sociais no Brasil e no mundo. Grandes mobilizações sociais surgem em todas as partes e tomam novas dimensões e expressões.

Com todos os entraves e desafios, o FSM permanece um espaço único no âmbito global, com o potencial de reunir e fomentar narrativas contra-hegemônicas, disseminá-las e assim oferecer às forças progressistas de todo o planeta uma renovação do pensamento utópico em um momento em que, muitas vezes, a esperança dá lugar à desilusão.

A proposta é que Salvador seja o palco de convergência de um processo e de um evento desta envergadura. Salvador, capital da Bahia, é a maior cidade negra fora da África e está inserida na região Nordeste, que registra, junto com a região Norte, os maiores índices de desigualdade do Brasil e onde a sociedade civil organizada possui uma trajetória histórica de resistência. Organizações e movimentos baianos sempre estiveram muito envolvidos com o processo do FSM.

O Coletivo Baiano do FSM, formado por mais de 30 organizações e movimentos da sociedade civil baiana, busca reunir condições políticas e operacionais para a realização do Fórum em Salvador, em março de 2018. Recebeu o aval do Conselho Internacional do FSM, em janeiro de 2017, durante o Fórum Social das Resistências, que ocorreu em Porto Alegre.

A realização, em Salvador, de um evento de caráter mundial em 2018, e a definição da sua natureza, no entanto, dependem das condições a serem construídas nos próximos dois meses, tanto nas questões de articulação política quanto de ordem estrutural. Nesse sentido, o Coletivo Baiano do FSM convida para a Consulta Nacional “Um Fórum Mundial na Bahia” com os movimentos e organizações da sociedade civil. A plenária está marcada para dia 25 de março, das 9h às 17h, na Rua General Jardim, 660, em São Paulo.

Aguardamos vocês!

Em solidariedade,

Coletivo Baiano do FSM e Abong