Página inicial > FSM/WSF 2015 - TUNIS > Jornada de Luta pelo Direito à Moradia e à Cidade

Jornada de Luta pelo Direito à Moradia e à Cidade

segunda-feira 5 de outubro de 2015, por ,

No Dia Mundial do Sem Teto, milhares ocupam as ruas em todo o país. As mobilizações defendem o direito à moradia e à cidade para as pessoas e não como mercadoria.

Com marchas, ocupações e diferentes ações de rua em 16 estados do País, movimentos populares e entidades urbanas saíram às ruas nesta segunda-feira (5/10), na Jornada Nacional de Luta Pelo Direito à Moradia e à Cidade, por Reforma Urbana e Pela Função Social da Propriedade. Em São Paulo (SP), mais de cinco mil pessoas marcharam pelas ruas da cidade, e no momento promovem um acampamento em frente à Caixa Econômica Federal (CEF), que segue por tempo indeterminado.

Houve também uma série de ocupações nas principais metrópoles do País, tais como do prédio do Ministério da Fazenda em Recife (PE), da Secretaria de Patrimônio da União no Rio de Janeiro (SPU-RJ), e de superintendências da CEF em cidades como Goiânia (GO), Salvador (BA), Teresina (PI) e Manaus (AM), além de protestos como o realizado em frente à Prefeitura de Belo Horizonte (MG) e na superintendência da CEF de Porto Alegre (RS).

As milhares de pessoas mobilizadas reivindicam, para além das mudanças estruturais na política nacional, o lançamento e início imediato do programa Minha Casa, Minha Vida III; a recomposição dos R$ 5 bilhões para a área habitacional, recém-cortados da previsão orçamentária da União para 2016; e a suspensão da venda dos imóveis da União e a destinação dos mesmos para moradias populares. Para amanhã está previsto ato em mais um estado, em Palmas (TO), totalizando 17 unidades da federação. Abaixo, confira o panorama das mobilizações por cidade.

Os movimentos se colocam contra a atual política econômica e apontam que a crise só será superada com o enfrentamento das questões estruturais que perpetuam a desigualdade em nosso país. Também defendem a saída do ministro da Fazenda Joaquim Levy na condução da política econômica do governo federal.
Constroem a Jornada de Luta a Central dos Movimentos Populares (CMP), a Confederação Nacional das Associações de Moradores (CONAM), o Movimento Nacional de Luta pela Moradia (MNLM), o Movimento de Luta dos Bairros e Favelas (MLB), a União Nacional por Moradia Popular (UNMP) e o Fórum Nacional de Reforma Urbana (FNRU).

Mapa dos protestos:

São Paulo (SP): foram realizadas cinco marchas na cidade em direção à Praça da Sé, que está ocupada com acampamento em frente à Caixa Econômica Federal. Participam das mobilizações cerca de cinco mil pessoas.

Osasco (SP): Realizado ato em frente à Caixa Econômica Federal.

Ribeirão Preto (SP): ato em frente à Catedral, seguido por marcha para duas agências da Caixa Econômica Federal. O encerramento foi em frente à Prefeitura.

Sertãozinho (SP): ocupação do DEMP (Departamento das Micro e Pequenas Empresas - Centro Nacional das Indústrias e Biocombustíveis).

Rio de Janeiro (RJ): ocupação da Secretaria de Patrimônio da União (SPU-RJ), após protesto na Superintendência da Caixa Econômica Federal.

Salvador (BA): Ocupação da Superintendência da Caixa Econômica Federal.

Belo Horizonte (MG): Ato em frente à Prefeitura e à Secretaria de Patrimônio da União (SPU).

Teresina (PI): Após realizar marcha, ocupação da Superintendência da Caixa Econômica. Serão realizadas atividades culturais e palestras durante o dia.
Fortaleza (CE): caminha e ato na Superintendência da Caixa Econômica Federal.

João Pessoa (PB): Protesto na Superintendência Regional da Caixa Econômica Federal.

Natal (RN): após concentração na Praça Cívica, ato seguiu até a Superintendência da Caixa Econômica Federal.

São Luis (MA): Ato em frente à Superintendência da Caixa Econômica Federal.

Recife (PE): ocupação do prédio do Ministério da Fazenda em PE, no bairro do Recife, e protesto na Caixa Econômica Federal.

Cabo de Santo Agostinho (PE): ocupação da BR 101, com paralisação de cerca de três horas da via, e em seguida saiu em marcha em direção da Prefeitura, que foi ocupada.

Caruaru (PE): trancamento da via XV Novembro e caminhada no centro da cidade.

Goiânia (GO): ocupação da Caixa Econômica Federal, no Setor Central.

Porto Alegre (RS): teve início na Ocupação Sarai, interrompeu o trânsito na Avenida Mauá por 30 minutos e seguiu em direção à Caixa Econômica Federal, com ato público em frente a Superintendência da CEF.

Belém (PA): marcha até a Caixa Econômica Federal, seguido por caminhada até prédio do INSS.

Manaus (AM): ocupação da Caixa Econômica Federal.
São Cristóvão (SE): debate sobre moradia digna, no assentamento do Povoado Cardoso.

Porto Velho (RO): será realizado hoje.