Página inicial > FSM/WSF 2015 - TUNIS > Fórum Mundial de Mídia Livre > Lançada consulta online da Carta Mundial da Mídia Livre

Rumo a Túnis

Lançada consulta online da Carta Mundial da Mídia Livre

sábado 10 de janeiro de 2015, por Bia Barbosa, Rita Freire,

Versão do texto, que servirá de base para articulações locais e internacionais entre as mídias livres, já pode receber sugestões e comentários pela internet. No Brasil, consulta será lançada em Salvador, dia 23 de março. Texto final será aprovado em março de 2015, no IV Fórum Mundial de Mídia Livre, na Tunísia.

Após um ano de trabalho coletivo intenso para chegar à atual proposta da Carta Mundial de Mídia Livre, ativistas da comunicação lançam agora uma consulta online sobre o texto.

A plataforma para o recebimento de contribuições está disponível no endereço http://charte.fmml.net/fmml/blog/1-apresentacao.

Ao longo de 2014, quatro seminários internacionais (Porto Alegre, Tunes, Paris e Marrakech), reunindo participantes de mais de 30 países, foram realizados com o desafio de identificar o que é comum a todos os lugares onde as mídias livres lutam por uma outra comunicação.

Participaram os seminários ativistas de organizações como Amarc Internacional; Ponte Per, da Itália; Instituto Panos da África Ocidental, do Senegal; Ejoussour, do Marrocos,Coredem, da Argeniina, Ritimo, da França, Rede Mulher e Mídia, IDEC, Mídia Ninja e Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação, no Brasil. Rádios comunitárias de vários países do Oriente Médio e da África tiveram importante participação nos dois seminários internacionais realizados no Magreb Machrek, trazendo os temas da comunicação nos países em conflito e do direito à cultura, história, identidade e liberdade de expressão dos povos sem Estado (curdos, palestinos, saraui).

No Brasil, a proposta de texto também recebeu contribuições durante o encontro Ella, de Mulheres Latinoamericanas, realizado em maio, em Belo Horizonte (MG), e de ativistas de comunicação e direitos humanos que se reuniram em Natal (RN).

Com sugestões feitas em cada etapa, resultando em cortes, acréscimos e reestruturações da primeira versão do documento, lançada em janeiro de 2013, a construção coletiva e colaborativa da Carta foi, aos poucos, tornando-a mais objetiva e abrangente. Trata-se de um documento que aborda não apenas o direito das mídias livres ao reconhecimento e amparo por meio de leis e políticas publicas, mas também do seu papel em trazer ao universo da comunicação vozes por muitas vezes silenciadas e lutas invisíveis ao redor do planeta.

A Carta Mundial deve ainda contribuir para a aproximação entre as mídias livres e a sociedade mobilizada, e contribuir para que os movimentos sociais, culturais e comunitários priorizem a luta pelo direito à comunicação. No Brasil, o bom funcionamento das mídias livres é indissociável de um regramento democrático da comunicação e da universalização do acesso aos meios. Lutas sociais também dependem da democratização da mídia para avançarem e influenciarem políticas. Essa parceria entre mídia livre e movimentos sociais tem encontrado um importante espaço de diálogo no processo do Fórum Social Mundial e de laboratório no Fórum Mundial de Mídia Livre.

Construção compartilhada

Assim como essa versão Carta, a consulta online também é resultado do esforço coletivo realizado por ativistas do software livre. Inspirada na ferramenta de participação social virtual utilizada nos encontros NetMundial e ArenaNet Mundial, realizados do Brasil em abril passado, a plataforma de consulta online para a Carta Mundial da Mídia Livre é baseada no sistema noosfero, desenvolvido pelo Colivre, coletivo digital de Salvador. O grupo também é responsável, em conjunto com desenvolvedores da Secretaria de Participação Social da Presidência da República, pelo sistema Participa.Br, de consulta virtual sobre políticas públicas.

A plataforma de consulta da Carta foi desenvolvida pelo grupo, em conjunto com a Ciranda e a Quijaua, hospedada no site do FMML, mantido pela Ritimo. Já o logotipo e a newsletter de divulgação da consulta virtual são uma contribuição do Fora do Eixo.

Rumo à Tunes 2015

O processo de consulta virtual da Carta Mundial da Mídia Livre será realizado em cinco idiomas: inglês, francês, espanhol, português e árabe. As interfaces em português, francês, espanhol e inglês já estão abertas a comentários e contribuições. A versão em espanhol e árabe estão em processo de tradução.

Em fevereiro, o grupo de trabalho formado a partir dos seminários de 2014 começará a sistematizar as contribuições para uma nova versão do documento. O texto será novamente debatido e finalizado durante o IV Fórum Mundial de Mídia Livre. A Carta Mundial da Mídia Livre será lançada, então, durante o Fórum Social Mundial 2015. Os eventos ocorrerão no próximo ano em Tunes, de 22 a 28 de março.


Foto: Mesa de debates durante seminário de Paris/FMML

CLIQUE AQUI PARA PARTICIPAR DA CONSULTA ONLINE DE CONSTRUÇÃO DA CARTA MUNDIAL DA MÍDIA LIVRE


Ver online : FMML