Ciranda internacional da comunicação compartilhada

agrega noticias de parceiros parcerias da ciranda
Condamnation du Makhzen et soutien à la lutte du peuple sahraoui

Marocains furieux ont attaqué le modérateur de l’assemblée des mouvements sociaux du FSM qui lisait le texte, M. Moumni Rahmani, un Marocain lui-même, le menaçant et le maltraitant en public et le qualifiant de traître.

Communiqué Sortir du Colonialisme

" Alors que la France a entrepris une guerre au Mali au nom de la lutte contre l’occupation d’une partie de ce territoire par les forces djihadistes, elle ne dit et ne fait rien face au Maroc qui occupe illégalement le territoire d’un autre peuple."

Réfugiés subsahariens du camp de Choucha dans une grève de la faim

Quarante-et-un réfugiés subsahariens du camp de Choucha frappent aux portes du très influent Forum Social Mondial pour réclamer la dignité humaine. L’absence de reconnaissance et de solutions concrètes à Tunis les incite à entamer collectivement une grève de la faim le 29 mars 2013 devant le Haut commissariat aux réfugiés (HCR) de Tunis, mettant leur santé - déjà précaire - en danger.

Le "printemps arabe" invite le mouvement altermondialiste

Las mujeres darán el puntapié “oficial” anticipando con su asamblea mundial la apertura de la 12da edición del Foro Social Mundial (FSM) este 26 de marzo

Accueil > FSM > FSM 2012/2013 fr > Mulheres de 48 países realizam manifestação neste sábado

Mulheres de 48 países realizam manifestação neste sábado

vendredi 30 août 2013

Ação marca encerramento do Encontro Internacional da Marcha Mundial das Mulheres. A concentração está marcada para as 14 horas, em frente ao MASP, na Avenida Paulista.

Durante toda a semana, mulheres de 48 países estão reunidas no Memorial da América Latina debatendo questões relacionadas à luta das mulheres em todo o mundo, no 9º Encontro Internacional da Marcha Mundial das Mulheres. Dia 31, sábado, o evento termina com uma manifestação que começa no vão do MASP, na Avenida Paulista, e termina na praça da República, com shows da cantora pernambucana Karina Buhr, das rappers cubanas Krudas Cubensi e do grupo de forró brasiliense Chinelo de Couro.

Através de debates, oficinas, shows e intervenções urbanas, as mulheres de todas as idades e diferentes realidades puderam pensar o movimento, suas ações no mundo, as problemáticas que enfrenta e possibilidades de soluções. Neste sábado, as ativistas vão para as ruas de São Paulo reafirmar a atualidade de sua luta internacionalmente. A manifestação tem como tema Feminismo em Marcha para Mudar o Mundo.

O Encontro Internacional da MMM

Esta edição do Encontro Internacional da MMM, além de ser a oportunidade de encontro de militantes do movimento de todas as partes do mundo para importantes formações e deliberações, será um momento especial para o Brasil.

O país sedia pela primeira vez esse evento, dando um salto em suas proporções, que contava até a última edição com algumas centenas de participantes.

Também será o momento de encerramento de um ciclo. Durante o Encontro, será eleita a nova composição do Secretariado Internacional da Marcha. O grupo do Brasil, que tem estado à frente do movimento mundial nos últimos anos, terá sua sucessão definida. A gestão brasileira passa o bastão tendo alcançado diversas realizações e conquistas.

“Foram sete anos nessa missão, com várias ações internacionais, com uma conjuntura que se complicou ainda mais, marcada pela crise geral do sistema e o recrudescimento dos ataques conservadores. Faremos um balanço desse período que vai nos fortalecer para o que venha adiante”, conta Miriam Nobre, coordenadora do Secretariado Internacional da MMM.

Sobre a MMM

A Marcha Mundial das Mulheres é um movimento feminista internacional que surgiu no ano 2000 como uma grande mobilização que reuniu mulheres do mundo todo em uma campanha contra a pobreza e a violência. Atualmente, a MMM está organizada em mais de 150 países e territórios. Entre seus princípios estão a organização das mulheres urbanas e rurais a partir da base e as alianças com movimentos sociais. A Marcha defende a visão de que as mulheres são sujeitos ativos na luta pela transformação de suas vidas, e que essa transformação está vinculada à necessidade de superar o sistema capitalista patriarcal, racista, homofóbico e destruidor do meio ambiente.

Exposição Feminismo em Marcha

Inaugurada na ocasião do 9º Encontro Internacional da Marcha Mundial das Mulheres, a exposição Feminismo em Marcha está aberta para visitação na Galeria Olido, até o dia 30 de setembro. Contendo projeções, fotografias e materiais históricos, a exposição apresenta a trajetória, ações e principais temáticas abordadas pela Marcha Mundial das Mulheres em 62 países.

9º Encontro Internacional da Marcha Mundial de Mulheres

25/08 a 31/08 em São Paulo, SP

Organização : Secretariado Internacional da Marcha Mundial de Mulheres

Programação do evento : WWW.marchamundialdasmulheres.org.br

Acompanhe nossa fanpage : WWW.facebook.com/marchamundialdasmulheres

Répondre à cet article