Ciranda internacional da comunicação compartilhada

agrega noticias de parceiros parcerias da ciranda
Condamnation du Makhzen et soutien à la lutte du peuple sahraoui

Marocains furieux ont attaqué le modérateur de l’assemblée des mouvements sociaux du FSM qui lisait le texte, M. Moumni Rahmani, un Marocain lui-même, le menaçant et le maltraitant en public et le qualifiant de traître.

Communiqué Sortir du Colonialisme

" Alors que la France a entrepris une guerre au Mali au nom de la lutte contre l’occupation d’une partie de ce territoire par les forces djihadistes, elle ne dit et ne fait rien face au Maroc qui occupe illégalement le territoire d’un autre peuple."

Réfugiés subsahariens du camp de Choucha dans une grève de la faim

Quarante-et-un réfugiés subsahariens du camp de Choucha frappent aux portes du très influent Forum Social Mondial pour réclamer la dignité humaine. L’absence de reconnaissance et de solutions concrètes à Tunis les incite à entamer collectivement une grève de la faim le 29 mars 2013 devant le Haut commissariat aux réfugiés (HCR) de Tunis, mettant leur santé - déjà précaire - en danger.

Le "printemps arabe" invite le mouvement altermondialiste

Las mujeres darán el puntapié “oficial” anticipando con su asamblea mundial la apertura de la 12da edición del Foro Social Mundial (FSM) este 26 de marzo

Accueil > FSM > FSM 2012/2013 fr > Thaira Zoabi relata a história e a luta do povo palestino

Thaira Zoabi relata a história e a luta do povo palestino

jeudi 17 janvier 2013, par Clícea Maria Miranda , Gal Souza , Simone Ricco

Em roda de conversa organizada pela Ciranda Internacional da Comunicação Compartilhada e realizada na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Thaira Zoabi falou sobre a Palestina, enfatizando a importância histórica, política e econômica do seu território, uma das atuais nações sem Estado. As palavras da jovem acrescentaram conhecimentos aos que lá estiveram. Resumiremos aqui alguns pontos desta roda de conversa que teve participação do cientista político Marcio André Santos, da professora Mailsa Passos e do cartunista Carlos Latuff, autor de charges que exercem forte apelo crítico e conscientização sobre questões palestinas.

Ativista desvinculada e avessa à política partidária, Thaira relatou acontecimentos que configuram o racismo sofrido por Palestinos de origem Árabe. Os relatos trazidos promoveram uma visão panorâmica do passado e presente dos palestinos, implicados com perda ostensiva de território e direitos retirados pelos ocupantes israelenses. As experiências e dados históricos abordados na roda de conversa ajudaram a compreender as complexas relações estabelecidas em virtude da ocupação colonialista do Estado de Israel, desde o final dos anos 1940.

A mobilização de mulheres foi apontada como importante eixo de resistência, sendo, por isso, alvo de pesada repressão. Por conta da participação em atividades organizadas por grupos femininos de apoio à Palestina Livre, Thaira foi presa. A passagem pela prisão permitiu a ela conhecer as torturas físicas e psicológicas infringidas aos detidos, em especial contra os ativistas.

Uma das questões levantadas por Thaira foi a importância de diferentes formas de colaboração com a causa da Palestina livre, afinal, liberdade é uma luta de todos. Na opinião dela, cada um deve se perguntar : como posso ajudar a Palestina ? E, a partir da resposta, desenvolver ação em sua área de atuação.

Um dos pontos destacados foi a importância da solidariedade. Para a jovem, a rede tem grande importância na circulação de informações esclarecedoras sobre as lutas palestinas, sendo poderoso veículo para sensibilizar pessoas fora da Palestina e denunciar absurdos naturalizados naquele território. Por compartilhar desta visão, colaboradoras da Ciranda Afro promoveram o encontro do público carioca com Thaira Zoabi, em cujo depoimento reconhecemos aspectos presentes nas lutas travadas no Brasil contra violências motivadas por questões de gênero, etnia e divergências político-ideológicas.

Como frisou Thaira, fazendo uso de seu aprendizado da língua portuguesa : estamos juntos ! Nossa solidariedade não é somente pela causa da Palestina, mas por todos aqueles, em qualquer parte do mundo, que são vitimas do imperialismo e do capitalismo, por todos aqueles cujos processos políticos e a violência destroem a cidadania e a humanidade.

1 Message

Répondre à cet article