Para que outro mundo seja possível, é preciso reinventar a comunicação



Publicidade e infância

Ferramentas de comunicação como documentários e blogs tem sido utilizados pelo Projeto Consumismo e Infância para mobilizar a sociedade para o debate polêmico do consumismo infantil causado pelo apelo publicitário.


Por que o PL do FUST é um desastre

Está em vias de aprovação na Câmara dos Deputados um projeto de lei (PL 1481/2007) que modifica a lei do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (lei 9998/2000). Sob o véu de agenda positiva, esconde-se um texto desastroso e anacrônico.

Estado Laico
EBC suspenderá programas religiosos

Os realizadores terão seis meses para retirar a programação do ar.



Página inicial > BRASIL > Efeitos da Lei Maria da Penha

Efeitos da Lei Maria da Penha

segunda-feira 18 de setembro de 2006

No dia 7 de agosto de 2006, foi sancionada a lei n.º Lei 11.340, que pune a violência doméstica e familiar contra a mulher e recebeu o nome de "lei Maria da Penha" como forma de homenagear a pessoa símbolo da luta contra a violência familiar e doméstica. Maria da Penha Fernandes foi vítima de duas tentativas de homicídio por parte do ex-marido e ficou paraplégica. A punição do agressor só veio 19 anos e 6 meses depois.

Além de criar mecanismos necessários à punição, a lei traz um avanço ao considerar que a sua aplicação independe da orientação sexual das pessoas envolvidas.

Os advogados Iglesias Fernanda de Azevedo Rabelo e Rodrigo Viana Saraiva, em artigo publicado no site Jus Navigandi explicam que a doutrina e a jurisprudência admitem a união homoafetiva, respeitando-se os requisitos da união estável, como entidade familiar. No entanto, não havia uma lei federal que permitisse uma interpretação nesse sentido.

Em seu artigo 5º, a lei Maria da Penha veio, segundo eles, suprir a lacuna da legislação, reconhecendo uma situação que já está presente na sociedade. "A legislação apenas acompanha essa evolução para permitir que, na ausência de sustentação própria, o Estado intervenha para garantir a integridade física e psíquica dos membros de qualquer forma de família".

Leia a íntegra do artigo de Iglesias Fernanda de Azevedo Rabelo e Rodrigo Viana Saraiva

Conheça a íntegra da Lei Maria da Penha (em PDF nesta página)

Veja o que diz o art. 5º:

"Art. 5º Para os efeitos desta Lei, configura violência doméstica e familiar contra a mulher qualquer ação ou omissão baseada no gênero que lhe cause morte, lesão, sofrimento físico, sexual ou psicológico e dano moral ou patrimonial:

I - omissis

II - no âmbito da família, compreendida como a comunidade formada por indivíduos que são ou se consideram aparentados, unidos por laços naturais, por afinidade ou por vontade expressa;

III - em qualquer relação íntima de afeto, na qual o agressor conviva ou tenha convivido com a ofendida, independentemente de coabitação.

Parágrafo único. As relações pessoais enunciadas neste artigo independem de orientação sexual."

132 Mensagens

  • efeitos da lei maria da penha 15 de novembro de 2006 13:45, por jesus aparecido jordão

    Lendo a lei 11.340. a qual versa sobre a violencia domestica no Brasil, estamos diante de uma revolução cultural, e para que essa lei tenha efetiva eficácia em sentido amplo, devemos em primeiro lugar começar um trabalho de base na educação do Pais, pois a cultura brasileira ainda é a do machão desde os primordios, é claro que a referida lei causará um impacto social, principalmente nas classes baixa da sociedade, é onde acontecem o casos mais barbaros de atrocidade, tipo marido matar a mulher na frente dos filhos e outros que já é de conhecimentos da população, com isso não quero dizer que não acontece nas outras camadas sociais.
    A lei tem uma proposta de inibir a violencia domesticas com penas exemplares, mostrando ao agressor que a violencia dentro da familia não leva a nada, a não ser em uma situação mais grave do que já existente. Poderá nos primeiros dias de sua vigencia sutir grandes efeitos, mas com o decorrer do tempo os infratores irão se acostumando e assim que começarem aparecer casos em que não deu nada ,comecerão aos poucos a colocar as maguinhas de fora, como sempre acontece no Brasil. Tal dedução é feita em razão de exemplos anteriores,outras leis que vieram para combater determinada situação e criaram outros problemas.Diga-se de passagem que a melhor Legislaçao é a do Brasil e a píor justiça, por ser lenta, cara, e para poucos. E a pior Legislaçao é a da Italia e a melhor Justiça, caso concreto foi a operação mãos limpas, onde custaram várias vidas inclusive de magistrados, promotores, advogados e outras, mas conseguiram colocar a casa lem ordem. No Brasil não temos trabalho, saúde, educação, cidadania, dignidade,respeito pelo ser humano, como vamos começar a trabalhar esse fatasma da violencia doméstica, a lei é boa não tenha a menor dúvida que é, mas não podemos nos esquecer que esse fantasma é muito mais complexo do que elaborar uma lei, ou seja a partir do momento que o ser humano não tem acesso aos itens acima mencionados que é o minimo para se pensar em viver em sociedade, ora não há lei que de jeito nesse monstro. O caso tem solução essa lei é só uma medida paliativa para o problema, como sempre no Brasil qualquer coisa que acontece mediante violencia os dirigentes já acham que são casos de polícia, quando não realidade o problema é social. E vamos mais adiante nesse problema já há necessidade de criar varas especiais para tal procedimento, não obstante isso temos outro mais grave ainda que é o sistema carcerário no brasil que é faculdade do crime, pois o condenado entra como ladrão de galinha e sai especialista em engenharia, arquiteto ou até mesmo como um membro de alguma facção criminosa, portanto o cidadão que é simplesmente um agressor, não que com isso não tenha que prestar contar da sua agressividade tem sim , mas encaminhar o agressor para uma faculdade do crime também já demais. Cabe ressaltar que se hoje temos milhares de infratores da lei já qualificados, graduados e empregados em empresa do crime, daqui alguns anos, teremos esse numero dobrado ou triplicado, pois o nosso sistema não recupera nem o lixo para reciclagem, dirá o ser humano. Mas é o Brasil, e, estamos pagando para ver o resultado desse investimento, aguardaremos com ansiedade. Brasssssssssssssil......

    Ver online : jordaoje@yahoo.com.br

    repondre message

    • efeitos da lei maria da penha 29 de novembro de 2006 18:57, por marcelle rayanna e coelho barbalho de oliveira

      e verdade do geito que está nao dá para ficar..e fico feliz que tenha alguem para falar e dizer com todas as palavras oque realmente pensa.valeu sao de pessoas assim que o brasil precisa}}

      Ver online : maria da penha

      repondre message

    • efeitos da lei maria da penha 15 de dezembro de 2006 20:03, por Nina

      Gostaria de obter mais informações sobre este tema tão relevante em nossa sociedade. Desde já agradeço.

      repondre message

      • efeitos da lei maria da penha 4 de janeiro de 2007 12:10, por Maria da Penha ( PENHA )

        Meu nome é Maria da Penha e quero escrever um livro contando a minha história,quem sabe sirva de auto ajuda para muitas mulheres que sofrem de torturas psicológicas caladas como eu,eu tentei fazer que fosse criada essa lei,mas não consegui,agora estou muito feliz por ter conseguido atravez da minha chará,DEUS existe,acredito nele,essa é uma prova para mim. Será um livro sobre minha vida,incluindo um câncer,que os sofrimentos leva a mulher ter. São 45 anos,incluindo 21 de união.

        repondre message

        • efeitos da lei maria da penha 11 de janeiro de 2007 23:09, por Marilia P. A

          Sou Marilia P. A - destou casada com um "ser" que desdo começo foi violento com requintes de "teatro" não sei esplicar muito bem - digo que ele me maltrata mas, para as pessoas proximas ele se faz de "bom marido". O que tenho recebido desta relação e um cruel V I T I L I G O POR TODO CORPO - NERVOZISMO - BAIXA ESTIMA, MÃOS TREMULAS, OLHAR TRISTE - já tive vontade de acabar com minha existencia. Hoje estou suportando as tortura deste "ser" calada, sem responder nada para não cair mas fundo. Só sinto que a filha(11anos) que tive com este "ser" esta começando a ter nervozismo como eu - se vocês me perguntarem se tenho medo dele eu digo que não. TENHO PAVOR - infelizmente sou dependente economicamente, em parte desta criatura, e não quero que a minha filha passe por necessidades com eu passei na minha infancia.

          repondre message

          • efeitos da lei maria da penha 24 de maio de 2007 19:26, por MARIA DO ROSARIO PRATA

            MARILIA POR ONDE VOCE ANDA AMIGA ,QUANDO LI SUA MENSAGEM OU MELHOR SEU GRITO SUFOCADO DE SOCORRO ,NÃO PARO DE PENSAR EM VOCE NO DRAMA QUE VOCE VIVE QUERIA AJUDA-LA .PROCURE SAIR DESTE INFERNO QUE É SUA VIDA SO POSSO AJUDA-LA DESTA FORMA , PASSEI UMA FASE COMO VOCE MAS CONSEGUI NÃO FOI FACIL REAJA REAJA MULHER
            ENSE NA SUA FILHA QUE NÃO MERECE UMA VIDA ASSIM .A VIDA É PARA SER VIVIDA VOCE ESTA VEGETANDO .MORO EM JACOBINA NA BAHIA FAÇO PARTE DO MOVIMENTO DE MULHERES DE MINHA CIDADE FOI ONDE ENCONTREI AJUDA QUANDO PRECISEI PROCURE ALGUMA ENTIDADE ASSIM ONDE VOCE MORA OU IGREJA CATOLICA OU EVANGELICASPOR FAVOR VIVA A VIDA EM TODA SUA PLENITUDE VOCE TEM UMA FILHA QUE MERECE COMO VOCE SER FELIZ TER DIGNIDADEQUE SUA FILHA LHE AGRADECERA MAIS DO QUE FICAR NESTA VIDA , QUE ME PERDOE ISTO NÃO É VIDA.

            repondre message

          • efeitos da lei maria da penha 28 de junho de 2007 14:43

            Ao ser cumprido a Lei Maria da Penha, lhe digo que bobagem sua pensar que depende dele pra viver e mais você tem direito a uma pensão e sua filha também por ser de menor, não abaixe sua cabeça pelo contrario lute é seu direito e dever de dar uma bom exemplo a sua filha, não deixe que ela siga o mesmo caminho que você!!! Siga em frente e seja feliz não se deixe intimidar.

            repondre message

            • efeitos da lei maria da penha 23 de novembro de 2011 09:04

              Infelizmente, não é tão fácil assim... Nem todo marido aceita a separação "numa boa", pois muitos consideram a esposa uma propriedade. Ao tomar coragem para se separar, muitas vezes, a mulher está correndo riscos e, talvez, contribuindo para a própria morte! Mas, é preciso tentar, criar coragem e enfrentar a situação de cabeça erguida!! Pode não ser tão fácil, mas não é impossível!
              "toda mulher tem o direito a uma vida livre de violência"

              repondre message

          • efeitos da lei maria da penha 30 de março de 2011 13:41, por Deia

            Querida,sei muito bem o que é isso ,exatamente com todos estes detalhes.
            A unica coisa que tenho absoluta certeza é de que o mundo é muito grande,basta termos atitude,determinação,é dificil ,mas vc consegue.
            Quando se determina,voce consegue tudo,até um trabalho digno.
            Boa Sorte.

            repondre message

          • efeitos da lei maria da penha 2 de junho de 2011 09:10, por Mara Jucá

            Olá, Marília

            A Lei Maria da Penha é uma lei que necessita de uma mudança cultural, inicialmente, por parte de todas nós, mulheres, e como consequência mudaremos o pensar de toda uma sociedade pautada em conceitos machistas desde os primordios da humanidade.
            Gostaria de poder colaborar com você no sentido de lhe fazer entender que primeiro você tem que se amar e amar sua filha, e para isso você precisa trabalhar esse amor dentro de você. Acabar com a vida só trará mais sofrimento para os seus.
            É necessário trabalhar muito bem isso dentro de você, para que a sua libertação aconteça.
            Procure orientação médica e psicológica, denúncie, sem medo, porque você tem direito de viver uma vida digna, sem temores, sem sofrimento.
            Hoje, muitas mulheres estão buscando alternativas de sustentabilidade para sair das garras de seus esposos, pelos quais, são maltradas, despresadas.

            Sempre há uma saída. Para isso, basta que você queira essa mudança. Existe um mundo lindo a sua espera a partir da libertação. Um mundo repleto de coisas boas para se viver.

            Coloque em sua mente que você é superior, você é capaz, você e só você pode mudar a sua realidade e a realidade de sua filha.
            Se quizer conversar meu e-mail é maraju06@hotmail.com, faço parte de uma Organização não-governamental de Belém do Pará que luta pelos direitos das mulheres e por uma vida digna para todas. Fazemos palestras sobre os direitos das mulhres, implementamos cursos de capacitação semi profissional, para que as mesmas tenham direito a vida digna e livrem-se das agressões. Temos alcançado resultados bastante satisfatórios, temos mulheres na sua condição que conseguiram libertar-se e hoje se mantem sozinhas com renda retirada de seu próprio trabalho, mulheres que com 50 anos voltaram a estudar. Isso é maravilhoso.
            Espero que você consiga e possa ser uma dessas mulheres poderosas.

            Um grande abraço e força.

            Lembre-se: Você é responsável por sua mudança. Dê um basta! Denúncie!
            Procure ajuda na delegacia de mulheres mais próxima de sua casa.

            repondre message

        • efeitos da lei maria da penha 20 de maio de 2007 07:18, por mARIA DO ROSARIO pRATA

          PARA VOCE MARIA DA PENHA ESCREVA SIM O LIVRO SOBRE A SUA VIDA COMCERTESA SERA DE GRANDE AJUDA PARA COMPANHEIRAS QUE SOFRERAM COMO NOS .TODA TENTATIVA É VALIDA UMA AMIGA DE JACOBINA NA BAHIA FAÇO PARTE DO MOVIMENTO DE MULHERES DE JACOBINA EM BREVE ESTAREI MORANDO EM SÃO PAULO E LA ENTRAREI EM CONTATO COM OUTRAS ENTIDADES PARA DAR MINHA COLABORAÇÃO AS COMPANHEIRAS.BOA SORTE .

          repondre message

      • efeitos da lei maria da penha 7 de junho de 2011 15:03, por vynny

        Olá Nina, prefiro não me identificar .
        A lei 11.340/06 foi criada para erradicar a violência doméstica contra a mulher desde que se caracterize âmbito doméstico e que seja praticado contra a mulher.
        A lei 11.340/06 pune com mais rigor toda forma de violência seja ela, ameaça, agressão física, psicológica, moral ou patrimonial.
        Ou seja se seu marido quebrar um copo que seja seu, ele pode responder a lei 11.340 e o mesmo não ocorrerá se a você quebrar ou destruir um bem material que seja dele.
        Mas se você quebrar um copo que seja da sua filha, você poderá responder a lei 11.340.
        Essa é a conquista feminina decretada em 2006 e sancionada pelo presidente Lula.
        Com base na lei 11.340 qualquer ato de agressão poderá ser aplicado as medidas proteção que não permitirá que o (a) agressor (a) possa se aproximar da vítima a uma certa distância estipulada pelo Juiz.
        A mulher só poderá responder a lei 11.340 caso este tenha agredido uma outra mulher no âmbito doméstico.

        Meu ponto de vista.
        Entendo que falta emprego em nosso país se deve aos inúmeros direitos do trabalhador e a burocracia da justiça trabalhista.
        Sendo assim o mercado de trabalho seleciona as pessoas para exercer as atividades, não basta a qualificação profissional a pessoa tem que ter o perfil desejado pela empresa.
        Ou seja, aparência física, capacidade de comunicação, não possuir antecedentes criminais, passar por uma bateria de exames médicos entre outros.
        tudo isso para que se caso a justiça do trabalho venha a alegar que esse colaborador (a), obteve esse tipo de problema ao prestar serviço para a sua empresa e sendo assim haverá a necessidade de indenização.
        Sendo assim é garantido ao menor de 18 anos todos os direitos previsto no estatuto do menor.
        Sabemos que tudo o que acontece com o menor em nosso país repercute e a repercussão negativa pode manchar o nome de uma empresa ainda mais se for bem conceituada.
        Assim, a lei 11.340 que entende que violência doméstica pode ser praticado por qualquer pessoa que comprometa a integridade física e moral de qualquer mulher.
        O que se mascara e o que a imprensa pouco divulga é que o local de trabalho é considerado o nosso segundo lar, sendo assim ao contratar uma mulher ela vem dotada de direitos na lei 11.340 a qual empregador (a) e outros empregados (a) poderão responder.
        Ou seja, há caminhos onde a mesma poderá dizer que esta sendo vítima de preconceito, por não ser concedido a ela determinado cargo apenas por ela ser mulher, ou por perseguição se caso sua concorrente seja outra mulher.
        Quem terá que provar o contrário será justamente o empregador (a), que se não tiver provas em sua defesa terá que pagar uma bela indenização.
        Sem contar que a mesma poderá contar com o apoio das feministas que com certeza entenderá que a sua funcionária é apenas mais uma vítima de uma sociedade machista.
        A imprensa com certeza baterá a sua porta para apoiar a causa e o nome de sua empresa poderá ser manchado, assim o mesmo (a) terá que gastar em publicidade para reverter esse quadro.
        As empresas tem o direito de selecionar as pessoas a qual julga apta a exercer determinada atividade.
        Entendo que essa seleção hoje tenha um novo conceito, entendo que interessa ao governo, sendo que a mulher se aposenta aos 60 sendo que os homens se aposentam aos 65, contribui mais vive menos e passa a receber esse benefício cinco anos depois em relação a mulher.
        Sendo que o último senso contatou que há em nosso país cinco milhões de mulheres a mais do que homens.
        Como fica a previdência social? espera pra ver!
        Como fica a mulher? dependente do homem por não ter renda.
        Como fica o homem? feliz com o bolsa família
        Como fica o movimento feminista? feliz por ter que lutar pelos direitos das mulheres.
        Como fica o país? atrasado, acreditando que o próximo político seja a solução para os nossos problemas.
        Se bem que nessas circunstâncias o bolsa família se tornará fundamental na vida das pessoas, teremos que agradecer por isso ser uma realidade!
        Mas qual a possibilidade de isso acontecer?
        Quando a maioria das mulheres forem responsáveis pela má fé de uma minoria.

        A lei 11.340 garante cotas para as mulheres nas empresas! Claro, mas as empresas se dividem em sociedades anônimas, dividindo as tarefas, reduz a contribuição e se mantém com um número pequeno de funcionários para que não haja a necessidade de contratar mulheres para a função, minimizando assim as chances de ações contra a empresa contratante.
        Mesmo porque os homens não dispõem dos mesmos direitos, obviamente são mais aceitos no mercado de trabalho.
        Exagero? não, mesmo porque até mesmo o nosso país tem o Risco Brasil que visa os possíveis altos e baixos da economia.
        Porém se o risco é grande o investimento diminui.
        Um dos motivos da lei 11.340 não ser constitucionalizada ainda é o bom senso, porém há aqueles que tem pressa em ver essa lei sendo constitucionalizada.

        Demagogia existe, mesmo porque se a cada 15 segundos uma mulher é vítima de violência, em 1 minuto 4 pessoas devem estar detido.
        1 detento custa aproximadamente R$ 1.600,00 reais por mês, sendo que por minuto o estado terá uma despesa de R$ 6.400,00 mil reais.
        Em uma hora esse custo chega a R$ 38.400,00 em 24 horas o valor chega a R$ 153.600,00 mil reais. mensalmente o valor chega a ser de R$ 460,8000,00 milhões de reais.
        Se você acredita fique ao seu querer somar 3 anos de detenção e se o governo tem condições de cumprir o que promete.
        E se a gente tem condições de sustentar isso tudo.
        Bom até então estamos considerando a lei 11.340 uma conquista da mulher, mas eu não sou mulher, entendo que devo comemorar pois não faltará emprego.
        Infelizmente essa é a nossa realidade, um forte abraço Nina.

        repondre message

    • efeitos da lei maria da penha 9 de janeiro de 2007 09:34

      A opinião dessa pessoa é derrotista, não cabe no perfil do brasiliero, que tem fibra, que não desiste nunca, que sabe diferenciar seu país de todos os outros, sabe da própria responsabilidade de fazê-lo progredir para tornar-se cada vez mais um país dos brasileiros e não de testes estrangheiros. Não concordo que a Lei Maria da Penha seja inútil, tão pouco que o Brasil não tenha capacidade de mudar o comportamento dos homens e mulheres, se cada um fizer sua parte, sem acomodação poderemos mudar não só um país, mas o mundo inteiro. Precisamos sim continuar combatendo a violência contra a mulher, colocando os covardes na cadeia, a mulher tem um papel importante nessa mudança comportamental, perder o medo, a submissão, e botar a boca no mundo, ensinando seus filhos e filhas que o mundo pertence a todos nós, o homem é apenas parte dele. Parabéns Ministra Nilcéia Freire, parabéns Presidente Lula, Deus abençoe a todos os envolvidos nessa vitória da Justiça brasileira.

      repondre message

      • efeitos da lei maria da penha 13 de janeiro de 2007 12:13

        Será q estas mulheres não estarão "elas próprias vítimas", pagando a fiança para q seus esposos saiam da cadeia?
        Não podemos nos iludir com a implantação desta Lei somente, não é hora de somente sonharmos, a realidade está ai nua e crua e até agora a este tipo de violencia contra a mulher não cessou, nem tampouco diminuiu.
        Tem q haver cobrança pela sociedade ao Estado q prometeu medidas amparativas e protetivas à mulher vítima e filhos desta e além disso, medidas educativas ao agressor. Somente assim poderemos coibir com essas formas de violencia.
        Qto ao nome dado a Lei 11.340/06, Maria da Penha, acho merecida a homenagem a uma mulher q sofreu tanto com agressões do esposo, mas a justiça esperou q esta ficasse com sequelas irreparáveis não somente físicas, como tb emocionais para tomar providencias, e pasmem, o esposo ficou somente 2 anos na prisão!
        É contra este tipo de injustiça q devemos lutar, os princípios da Lei é excelente, merecidas a todas as mulheres, mas devemos fazer valer, não somente vendo o lado positivo, mas devemos nos amparar com o lado negativo tb pra q tenhamos "conteúdos" a cobrar!

        repondre message

        • efeitos da lei maria da penha 29 de julho de 2011 15:45

          O crime enquadrado na Leii Maria da Penha é inafiançavel, o agressor só tem duas opções:

          1. Paga por danos morais e materiais
          2. Vai para cadeia

          Tá bom pra vocês?

          repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 11 de janeiro de 2007 17:10, por César

    Não tenho nada contra a lei, é devido o direito de proteção de qualquer ser humano, desde sua concepção. Acontece que no dia 9 deste mês me desentendi com minha mulher, nem chegamos a discutir, quanto mais agressão física. Ele foi a polícia no dia 10 inventou um monte de coisas e no dia 11 às 9 da manhã veio um oficial de justiça com um mandato me mandando sair de casa, podendo usar reforço policial se necessário, fui pra rua com a roupa do corpo desnorteado, sem saber o que estava acontecendo. Trabalho em casa, tenho uma venda de onde tiro o meu sustento, pago 200,00 de aluguél, tenho contas para pagar, fiquei sem comer das 9 da manhã até as cinco da tarde, tinha uma audiência marcada para o dia 24 de janeiro, como eu trabalharia até lá, como comeria, como viveria. Tem gente esperta por aí. Querendo ficar com tudo que tem dentro de casa, e o outro, que morra de fome, "não gosto mais dele mesmo". Se fosse pena de morte, eu já teria sido executado, pois não tive direito a defesa, nem a um advogado, essa lei é boa, mas não pode anular as outras, consegui no foro que a audiência ficasse para o dia 12. Mesmo assim, estou na rua até agora e não sei aonde vou dormir. Uma pergunta, mesmo que eu a tivesse ameassado como ela disse, ficar a 100 metros dela me impediria de fazer alguma coisa? Todo mundo é inocente até que provem ao contrário. Seus direitos terminam aonde comessam os meus. Todo cidadão tem direito a um advogado, se não puder pagar um o Estado le indicara. Tenho direito a um telefonema. Como era bom o antigo direito Romano.

    repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 14 de fevereiro de 2007 18:12, por Madalena Ferreira

      ao ler seu depoimento, fiz a comparação com o que está acontecendo com o meu irmão, caso mais ou menos parecido com o seu, e realmente mesmo eu sendo feminista, vejo que no afã de querermos proteger as mulheres de alguns tipos de homens, não vimos o outro lado da moeda, que também tem alguns tipos de mulheres que merecem uma Lei Maria da Penha ao inverso, e por a lei ser de medidas urgentes, têm-se cometido diversos "equivocos" com mulheres "espertas", que ao conhecer a lei, sabem que podem se dar bem.

      espero que seja revisto algumas coisas, principalmente para que possamos chegar a medidas para proteger a quem realmente precisa.

      repondre message

      • Efeitos da Lei Maria da Penha 22 de julho de 2007 18:14, por Ana Maria

        Entrei na internet para ver se havia uma Lei Maria da Penha "ao contrario", justamente por que meu filho está sendo processado pela ex-namorada e mãe da única filha que meu filho tem, antes da lei ela barganhava as visitas que meu filho poderia fazer a filha com o valor da pensão, houve muita discusão e desentendimento, agora esta Lei, que para mulheres que são agredidas de qualquer forma é maravilhosa....só que meu filho não pode chegar a 150 metros desta moça, só que ela vem até nossa casa buscar a filha, ela pode chegar perto....ele não....não entendo isso, e faz todo tipo de provoçaõ...o combinado era os pais dela virem aqui buscar a criança....mas ela vem...e agora como ficamos? na hora de entregar a criança ele tem que sair de casa (isso antes dela chegar).
        Sou contra a violência, totalmente contra, ao ler o seu depoimento e o anterior, não consegui ficar quieta....realmente concordo com vcs...no afã de salvaguardar a mulher agredida...mulheres sem escrupulos usam a lei para se beneficiar

        repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 24 de janeiro de 2007 10:16, por rosana

    maria da penha....sinto muito pelas agressões sofridas...e te parabenizo de todo meu coração pelo que você conseguiu depois de tanta luta. Obrigada por não ter desanimado. Tbém fui vítima de agressões durante 5 anos pelo meu ex-marido e pai dos meus 2 filhos. Nunca conseguí denunciar porque tinha medo que ele me matasse só conseguí me separar qdo concluí que seria melhor morrer à viver daquela forma humilhante. Você fez pelas mulheres o que muitas gostariam de fazer e não tiveram coragem ou recursos para isso. Acho que agora os homens vão pensar duas vezes antes de cometer qquer violência contra as mulheres. Acho que nosso país tem uma justiça muito lenta devido as muitas burocracias. Se existissem leis tão rigorosas para os outros casos de violencia a que nossa sociedade está exposta com certeza não estávamos vivendo nesse mundo tão desumano e violento

    Ver online : Efeitos da Lei Maria da Penha

    repondre message

  • Grito de Liberdade 25 de março de 2007 20:31, por Érika

    Vejo mais uma bela lei, mas infelizmente ela é resultado da falha no cumprimento dos objetivos fundamentais da nossa República, que estão assegurados na CF.
    Cresci em um lar violento, onde via um pai chegar embriagado, enfurecido, armado... colocando a vida de sua esposa (mulher de muita fé) e de seus filhos em risco, ficando as sequelas daquela violência impreguinadas na memória, mesmo quando não se passava de ofensas verbais.
    E como conhecedora da causa e sobrevivente deste tormento, não é fácil encontrar saída, mesmo que tenham leis que coibam tais atrocidades, as portas parecem estreiras, os lugares para fugir parecem pequenos...
    É uma prisão de alcatraz, sem possibilidade de futura liberdade. Mas, nos encontramos uma saída que nenhuma lei trás em seu esboço, foram as graças de Deus.
    Meu desiderato é que se extraiam o melhor da Lei Maria da Penha, que através dela se faça Justiça, que seja usada para o bem, e que mesmo que a resposta justa chegue a demorar, a sua fé não desfaleça em meio as tribulações, porque sempre haverá uma luz.

    repondre message

    • Grito de Liberdade 12 de setembro de 2007 10:19

      COMO VC, TAMBEM VIM DE UMA FAMILIA APESAR DE RELIGIOSA TINHA COMO CHEFE DAS OVELHAS O LOBO MAL, TRAZEMOS CONOSCO AS MARCAS DO PASSADO. POREM HOJE JÁ COM A MINHA FAMILIA NÃO VEJO MUITA VANTAGEM NA LEI MARIA DA PENHA , ATÉ PQ ELA É FIANÇAVEL E O HOMEM SABE QUE SE BATER OU ESPANCAR’OU ATÉ MESMO MANTER UM RELACIONAMENTO SOB TORTURAS PSICOLOGICAS E AMEAÇAS O Q A LEI PODERÁ FAZER. TENTO SAIR DE UM RELACIONAMENTO QUE JA ACABOU, MAS NÃO CONSIGO AS PORTAS SE FECHAM E ME VEJO ACUADA COMO SE ESTIVESSE EM UMA JAULA COM LEÕES. JA PENSEI DE TUDO MAS NÃO ENCONTRO SAIDA, OUTRO DIA PEDI Á UM PROMOTOR DE JUSTIÇA AUTORIZAÇÃO PARA QUE EU SAISSE DA CASA COM MINHA FILHA, E DEVIDO A MINHA SITUAÇÃO ONDE MEU COMPANHEIRO TAMBEM É UMA AUTORIDADE PEDI A ELE QUE MANTIVESSE TUDO SOB SIGILO E NO MOMENTO EM QUE CHEGUEI EM MINHA CASA MEU COMPANHEIRO JA SABIA ATÉ DAS VIRGULAS DO PEDIDO. SÓ VEJO DUAS OPÇÕES SER COVARDE E ME MATAR OU FUGIR E PREFIRO FUGIR, POIS COM CERTEZA O JUIZ INDEFIRIU MEU PEDIDO E NEM MESMO POSSO IR PEGÁ-LO AGORA. FUGIREI...POIS SEI QUE ESSA LEI MARIA DA PENHA QUE PARA MIM QUE NAO SOU DRa. NAO SERVE DE NADA.....

      repondre message

      • Grito de Liberdade 27 de setembro de 2007 10:57, por José Augusto

        Sou obrigado a reconhecer o seu ponto de vista. Até recentemente eu era adverso à doutrina referente a esta Lei e seus efeitos. Hoje, melhor informado e convencido, quedo-me silente aos seus termos e efeitos legais.

        Infelizmente, tenho que admitir que, apesar da Lei Maria da Penha, ainda há muito por fazer. A sua existência como Lei ainda levará algum tempo para impor-se como comportamento dada a desafortunada cultura tradicional que temos, a qual ainda olha de esgueio a estes preceitos legais, principalmente quando, como no seu caso, há interessses e poderes envolvidos no cumprimento ou não de termos legais.

        A lei existe para ser cumprida. A Lei Maria da Penha, em que pese o seu valor, seria desnecessária, caso houvesse a formação moral e cultural adequada às atuais circunstâncias. Houve a necessidade de implantá-la devido a esta infeliz deficiência.

        Esta luta por fazer vigorar plena e eficiciente e eficaz a Lei Maria da Penha está apenas começando. Longa será esta luta; Muitas serão os seus mártires. Infelizmente!

        repondre message

      • Grito de Liberdade 28 de outubro de 2007 20:56

        não sei em que cidade vc vive, mas em algumas cidades, essa lei está surgindo efeito. fica mais
        difícil para vc,porque seu agressor é uma autoridade. espero que vc consiga se livrar desse homem
        pois se vc, continuar com ele vc irá morrer e ele por ter conhecimento irá ser absolvido em júri popular
        ou pegará uma pena pequena que cumprirá no semi-aberto. infelizmente o mundo é assim. Na verdade
        o mundo não precisa de leis, e sim, precisa de pessoas sadias e humanas.

        repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 19 de abril de 2007 14:32, por UNIVERSITARIA SERVIÇO SOCIAL

    GOSTARIA DE PARABENIZAR MARIA DA PENHA PELA LEI EM SUA HOMENAGEM E A TODAS MULHERES...

    repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 18 de agosto de 2007 19:30, por Elisa Kmentt

      Além de parabeniza-la, agradecer-lhe, por que assim nós mulheres nos sentiremos protegidas e amparadas. O meu sincero muito obrigada.

      repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 26 de abril de 2007 19:23, por janaina

    Parabenizo a todos que tiveram coragem para lutar por um mundo melhor e reprimir a violência que assola o nosso país, em especial Maria da Penha, que sofreu na carne a violência física e que hoje recebe esta homenagem; E que todas as Marias do nosso PAÍS sejam respeitadas.

    repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 21 de maio de 2007 22:27, por MARIA DO ROASIO PRATA

      jUNTO ME AVOCE JANAINA E PARABENISOTAMBEM A TODOSQUETEEM CORAGEM DE LUTAR POR UM MUNDO MELHOR .QUE TODAS AS MARIAS SEJAM RESPEITADASEM NOSSO PAIZ E NO MUMDO AFORA.QUERIA SABER OU OBITER UM IMAIL DE MARIA DA PENHA PARA TER MAIS INFORMAÇÕES SOBRE COMO AJUDAR MELHOR COMPANHEIRAS EM SITUAÇÃO DE RISCO SEI QUE É NO CEARA QUEROENDEREÇO COMPLETO FAÇO PARTE DO MOVIMEMTODE MULHERES DE JACOBINA BAHIA.

      repondre message

      • Efeitos da Lei Maria da Penha 31 de maio de 2007 09:45, por maria do rosario prata

        Jacobina bahia 30 de maio de 2007.Houve em jacobina dia 30 de maio2007 um juri popular onde o reu FRANCISCO ASSIS BISPO foi condenado por 7 votos a 0 por ter matado em outubro de 1995 sua namorada ELIANA MARIA PONTES DE JESUS.Ela foi assacinada com golpes de pedra e teve sua cabeça atigida com tres golpes de pedra e seu corpo todo furado com uma faca de cozinha uma faca de serra de cortar pão.O MOVIMETO DE MULHERES DE JACOBINA acompanhou o caso desde o inicio e teve açoes para que o crime fosse elucidado.o advogado de defesa do reu reccorreu e outro juri vai acorrer com data ainda a ser marcada. O reu foi condenado mais vai aguardar o proximo julgamento em liberdade por ele ser réu primario , ele teve a pena imposta de 8 anos .

        repondre message

        • Efeitos da Lei Maria da Penha 2 de junho de 2007 18:26, por maria do rosario prata

          Muita coisa ainda tem que ser mudada no codigo penal brasileiro como o de ser reu primario isto da a entender que se tem d
          ireito de matar uma vez so depois de um segundo crime é que o assassino podera ser condenado e preso. As brechas na lei .
          Este caso de jacobina por exemplo ele matou a namorada com requintes de pervesidade planejou tudo ,tirou a vida de uma mãe de dois filhos um com 18 anos o outro de 5 anos , uma mulher batalhadora que criava seus filhos sozinha com trabalho e honestidade.Ele a matou so porque ela não queria mais manter o namoro por ele ser uma pessoa que fasia uso de bebidas alcoolicas e isto estava trazendo transtornos a sua vida com seus filhos. Tem que os magistrados rever tudo isto a população ten que exigir providencias neste sentido. Para que se exemple e não tenhamos mais que assistir um juri em que o reu é condenado e fique solto aguardando um segundo juri.e que os culpados paguem pelos seus crimes.

          repondre message

          • Efeitos da Lei Maria da Penha 5 de junho de 2007 08:55, por Maria do rosario prata

            JACOBINA é uma cidade que fica localizada a 320 km de SALVADOR região do Piemonte da Diamantina com uma população de aproximadamente de 80.000 habitantes é uma cidade polo ,o seu forte é agricultura comercio temos uma Mineradora Jacobina é umacidade rica na extração do ouro e outros tipos de minerios a industria não é o seu forte.Apesr de ser conhecida como a cidade do ouro seu povo vive sem desfrutar de suas riquesas,a causa da pobresa nem é preciso falar inconpetencias de seus lideres politicos que vizam tão somente de legislar em causa propia, esperamos mudanças no governo que agora foi eleito esperamos mudanças significativas.Temos em JACOBINA varias entidades que trabalham em prol das carencias da população .O movimento de Mulheres DE JACOBINA foi fundado no dia 27 de dezembro de 1981por um grupo de mulheres liderados por uma jovem Lucia sendo a primeira reunião feita na casa de D MARLENE na qual se reuniu mais de 20 mulheres ,Lucia veio a falecer pouos dias depois vitima de um acidente de moto, há 26 anos o movimento de mulheres vem atuando com muitas dificuldades
            mas nunca se esquivando as necessidades e dificuldades encontradas no decorrer dos seus 26 anos de existencia.
            Qualquer entidade que queira entrar em contacto conosco segue endereço :Caminho das arvores n¨480 Jacobina Bahia cep 44700000 .

            repondre message

            • Efeitos da Lei Maria da Penha 27 de julho de 2007 12:19, por Josenildo Pereira de Barros - advogado pernambucano

              A Lei 11.340, de 07 de agosto de 2006 (Lei Maria da Penha), apesar de ter sua importância no ordenamento jurídico, é a confirmação da ineficiência do Estado (Poder Executivo, Legislativo e Judiciário). É evidente que o fato da Lei Maria da Penha trazer algumas medidas emergenciais de proteção da mulher em situação de violência doméstica, e, ainda, adotar procedimentos administrativos e processuais mais céleres no trato com o problema, impedindo inclusive que o infrator seja beneficiado pelos dispositivos previstos na Lei 9.099/95, todavia, poderá ser ela mais uma lei para dar um efeito moral provisório, dentro de uma prática de se fazer lei para cumprimento de outra lei. Seria o bastante que o Estado funcionasse de forma eficiente, dando cumprimento às regras administrativas, cíveis e penais já existentes no ordenamento jurídico.

              A bem da verdade, as mulheres poderiam e deveriam ser protegidas independentemente da edição de uma lei específica. Maria da Penha não merecia esperar tantos anos para ver seu agressor punido. As lesões corporais, ainda que leves, já eram recepcionadas pelo Código Penal Brasileiro. A ameaça, também era e é recepcionada pelo CP. A legislação civil e processual civil já recepcionavam o afastamento do agressor do lar, a guarda dos filhos. Já existia no ordenamento jurídico lei especial que disciplinava os alimentos. A triste realidade é que está faltando respeito ao Homem (homem e mulher) e eficiência para o Estado. É preciso que se faça cumprir, sempre, a Lei Maria da Penha. É necessário que a Mulher seja, antes de tudo, respeitada. É necessário também que a Mulher não se cale diante da ineficiência do Estado e do medo do seu agressor. É preciso lembrar que o direito não socorre aqueles que dormem! A Sociedade tem que se conscientizar de que sua omissão contribui para o aumento da violência e é ela (a omissão), atualmente, um grande inimigo da Justiça.

              repondre message

              • Efeitos da Lei Maria da Penha 11 de fevereiro de 2008 21:00, por Luiz Carlos

                Na verdade, gostaria de dissipar uma dúvida.

                No seguinte exemplo: "o filho, com 32 anos, na condição de ex-presidiário e aparentemente drogado, vai até a casa da mãe, com 65 anos, dizendo que ’veio pra ficar`. A mãe, sabendo que teria que sustentá-lo e ainda submeter-se aos seus caprichos, pede para que seu filho vá embora e a deixe em paz. Todavia, o mesmo, movido de fúria, bate a cabeça de sua genitora na parede da casa por várias vezes, causando-lhe lesão corporal. Depois, temendo a presença de vizinhos, evade-se. A vítima, atendida na Delegacia de Defesa da Mulher, consegue, a pedido da Autoridade Policial, que o MM. Juiz da Vara Criminal do Foro local conceda a medida protetiva do artigo 22, da Lei 11.340/2006. Há Inquérito Policial pertinente à ofensa física e ameaça. A medida protetiva, de caráter preparatório, perderá sua eficácia após 30 dias da efetivação da medida, nos termos do art. 806, do CPC, devendo a queixosa, não desejando que tal ocorra, ajuizar a ação principal para solução do litígio familiar. A questão é: qual é a ação principal?

                repondre message

                • Efeitos da Lei Maria da Penha 21 de outubro de 2008 18:02

                  Lamento, pelo tempo ja dercorrido, posto que, vc escreveu no dia 11/02/2008. Olha vc disse que existe I.P., Existe laudo pericial de lesão corporal, portanto, é ação penal pública incondicionada, art. 129 do CP, não necessita de representação, independe da vontade da vítima! O Delegado é obrigado a relatar o I.P., e encaminha-lo para o Forum

                  Caso fosse marido, poderia, sim, propor ação de separação judicial litigiosa, ação de alimentos e etc.

                  No caso de filho, na área cível poder-se-ia, propor ação de indenização por danos morais e eventualmente, material.

                  repondre message

            • Efeitos da Lei Maria da Penha 2 de agosto de 2008 22:15, por lia

              a 34 anos sou casada comecei a namorar com13 anos e so tive este homem na minha vida mas com15 dias de casada ele comesou a me bater e fazer chantagem psicologica hoje ele me bateu e o alvo dele e a cabeca e ainda ele quer que eu apanhe sem abrir a boca e esta me ameasando de morte tenho medo dele

              repondre message

        • Efeitos da Lei Maria da Penha 23 de junho de 2007 20:31, por Kelli Oliveira

          Bem ,ele foi condenado por homicídio doloso e não por causa da nova lei , pois se vc não sabe a lei não retroage , senão em beníficio do réu , está na Constituição Federal, então pouco importa a lei LPM pois 8 anos é uma condenação mais que suficiente para um Réu primário , está certo que a morte da moça não justifica nada , mas existe uma ciência dentro do direito penal que estuda a vitimologia , pesquise antes de sair tecendo comentários positivos a uma lei que terá um enorme reflexo no fato social. Antes de qualquer coisa terá que se verificar o princípio da isonomia previsto na art. 5º da CF.

          repondre message

      • Efeitos da Lei Maria da Penha 12 de novembro de 2007 12:16, por Tatiane Araujo

        Eu sou Tatiane Araujo tenho 25 anos. Sou paciente do CAPS de Jacobina, e me sinto ameaçada por um ex namorado que está sempre me espancando,gostaria de saber como eu devo fazer,porque eu ja tomei algumas providencias policiais mais não adiantou, Sou residente a rua ao gabriel 114 bairro Felix Tomaz na cidade de Jacobina Bahia. Eu sou uma pessoa que naõ tenho familia,Passo até fome,só naõ mrri de fome porque eu tenho uma pessoa que me da comida roupas e me ajuda,Dia 11 ontem esta pessoa que se chama Flavio invadiu a minha casa e me deu muitos bofetôes .eu estava comemorando o meu aniversario com alguns amigos,só que ninguem fez nada por mim.Por favor me ajudem eu estou pedindo SOCORRO .Tatiane Araujo

        repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 22 de setembro de 2007 11:04, por Léo Kortz

    Aplicabilidade da Lei Maria da Penha, por Léo Kortz

    Fico bastante feliz pela conquista que as mulheres, cujo o valor excede o de finas jóias, obtiveram ao longo de toda a sua história.

    O que contrapõe essa felicidade é o fato de saber que toda e qualquer lei criada, seja qual for a matéria que regulamente, a aplicabilidade desta, fica muito distante da redação. Em outros termos, vale ressaltar o Direito relacionado à Economia tem fundamental importância, especificamente para esta lei, ou seja, dele ser levado em consideração a RECEITA que o Estado obtém para a aplicabilidade como: casa abrigo, centro de recuperação do agressor, autoridades policiais para acompanhar a vítima, e poderia citar muito mais, porém deixo a dica de leitura da Lei 11.340/06 onde são elencados inúmeros requisitos de obrigação do Estado.

    Mas o Estado tem receita para garantir tudo isso? Não, não tem! Não deveria então, um economista ser consultado? Também não, qualquer mediano poderia chegar a conclusão de que o Estado não está provido de recursos para tal.

    Não há garantia na área da saúde nem da educação, duas coisas básicas e fundamentais para todo o cidadão.

    Resta-nos lutarmos para que mais do que um simples papel, essa lei seja totalmente aplicada

    repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 8 de outubro de 2007 16:45, por Aline Camargo

      Meu trabalho de conclusão de curso tratava-se da necessidade de uma Lei onde o agressor fosse preso e a vítima acolhida. Parte da minha monografia foi atendida, porém o mais importante foi ignorado, tanto que as denúncias diminuiram de formar incrível.
      Estou agora em fase de conclusão da pós-graduação, onde escrevo novamente sobre esse assunto, delimitando a utopia Maria da Penha, onde o cárcere existe para a vítima e não para o agressor.
      Preciso muito de material para demostrar a real necessidade da proteção estatal a essas vítimas.
      Se possuírem algo, qualquer coisa, por favor me enviem.
      Eu gostaria também de conversar com a Sra. Maria da Penha, gostaria de ter uma entrevista com a mesma, assim peço, se possível, enviem algum endereço de e-mail ou qualquer dado para que eu possa encontrá-la.
      Meu e-mail é alicamargo@yahoo.com.br

      Obrigada

      repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 18 de abril de 2008 23:28, por Força

      Léo, o direito caminha a passos lentos, a lei Maria da Penha foi um grande avanço para a sociedade, a vinte anos atrás nem se cogitava uma lei dessas, quanto a os recursos para as determinações da lei estamos em 2008 e já foram leberados recursos para a criação dos juizados em alguns estados. Penso que acontecerá, basta o clamor social e vontade política. Abaixo a corrupção!!! que tudo poderá ser feito, é assim, o Direito precisa de tudo um pouco. Abraços.

      repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 29 de outubro de 2007 12:18, por Mariana

    Boa tarde, meu nome não vem ao caso,tenho 33anos uma filha de 1 a e 7 m e fui casada a 11anos.Aos 13anos conheci um rapaz do qual me apaixonei, fui contra tudo e todos ,quiz viver uma paixão avassaladora,depois de 2anos começamos com agressões e ofensas, depois de uma dessas agressões resolvi colocar um ponto final que na verdade não aconteceu depois de dois anos afastados resolvemos voltar,passou mais alguns anos e noivamos.começou tudo de novo,passou mais alguns anos e casamos,sei que talvez tivesse colocado um ponto final qdo nos separamos da primeira vez tudo seria diferente mas gostava muito dele e dai decidi tentar,muita coisa aconteceu em nosso casamento sei que elé talvez naõ seja o ùnico culpado mas nada faz com que eu aceite suas agressões,tinhamos momentos bons e qdo achava que estava tdo bem tdo se modificava de novo,agora a alguns dias atrás me bateu de novo se descontrolou e eu estava com nossa filhinha no colo foi onde eu dei um ponto final,será difícil?? tenho a certeza que sim mas e para minha filha?? se ficasse seria pior quero que ela cresça feliz e que tenha a imagem de seu pai como um homem amável e carinhoso como ela sempre sentiu.Espero que ele refassa sua vida assim como eu um dia quero refazer a minha,mágoas ficam mas podem ser substituidas por momentos de alegrias que espero ter muitos,quero que nossa separação corra bem pela felicidade desse nosso grande amor, nossa filha!

    repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 20 de novembro de 2007 14:01, por marina

      meu nome e marina moro na cidade de alexania depois de ser agretida por duas vezes ,no ultimo dia 11 meu ex marido tentou matar eu e a nossa filha de 3 anos e 7meses foi presso e saiu em menos de 24 horas pagando a fiança de 1000 reais.aminha filha esta traumadizada por ver o pai fazer aquilo ela voltou a fazer xixi na cama não dorme sozinha eu fiquei com marcas horriveis de faca nas mãos e no pesgoço não entendo por que vou pagar pelo crime que ele cometeu ja que as portas da minha casa vivem trancadas e ele esta solto pra combrir a ameaca de nos matar.então se voce em algum momento por agretidar que o seu ex marido de ama e não voltara a agretir voces não se iluda pois o homem quando ele bate em mulher ele se sente bem e se voce ter a chance ele vai bater novamente ou até matar como o meu ex ele agredia depois se dizia arepentido jurava que aquilo nunca mais ia acontecer e eu agretidava por querer que nos vivessemos juntos e criarmos nossa filha acretidava e voltava ;isso quasse custou a minha vida e avida da minha filha.não tenho email mais se quizer entrar em contado comigo me liga o numero e[61]91531122.um abraço e agretide em deus e em voce.

      Ver online : lei maria da penha

      repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 21 de novembro de 2007 09:35

      Gostaria de dizer que fiquei sensibilizada com o teu depoimento desta moça de 33 anos. Mas saiba que se tiver determinação tudo daqui p/ a frente será diferente e para melhor. Espero que consiga manter a decisão da separação, nem sempre é fácil mas veja que ele não tem no momento condições de compartilhar contigo a vida que vc deseja e quer. Todas merecemos respeito e muito amor. É inadimissível a violência e a indelicadeza humana. Invista na tua auto-estima e busque ajuda especializada se for o caso. Experiências frustradas deixam marcar e nos impedem as vezes de recomeçarmos e de compartilharmos nossa vida de maneira espontânea com as pessoas. Não apague seu brilho. Invista também no lado espiritual e busque a LUZ pois há algo muito além do que nossos olhos podem ver. Desejo felicidade p/ vc , sua filha e todos que tem a oportunidade de conviver contigo.

      repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 24 de novembro de 2007 00:09

      ola td bem,eu tb passo pelo mesmo problema e tb tenho uma filha de um ano e seis meses e tb resolvi colocar um ponto final na historia
      Irei sofrer pois ainda gosto dele mas primeiramente preciso me amar e dar o melhor pra minha filha,confio q td dara certo e q deus esta ao meu lado
      te desejo toda sorte e paz pois merecemos.

      repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 4 de dezembro de 2007 16:36, por anonima

    conheço uma menina que é constantemente espancada e agredida verbalmente pelo pai que inclusive a deixa sem comer, impede de sair, e ameaça a mãe caso denuncie, gostaria de saber se a lei tambem pode ser aplicada nesse caso.

    repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 2 de abril de 2008 00:46, por Maria

      Você deve denunciar os maus-tratos que o pai inflinge a menina no Conselho Tutelar no bairro que a criança mora. Conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente é obrigação de qualquer pessoa denunciar quando tiver conhecimento de maus tratos à criança. pois o intuito é protetivo. A lei aplicável não é a Mª da Penha e sim o ECA.
      Maria

      repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 17 de abril de 2008 16:02

      A primeira coisa que vc tem a fazer, é criar vergonha, pois se sabe do caso, e não o denuncia, é cúmplice. não importa se a Lei Maria da Penha trata deste assunto ou não. violência doméstica ou contra crianças sempre foi punida pela lei. denuncie.

      repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 11 de outubro de 2008 22:59, por JARI

      SURGIRAM MUITOS EFEITOS DEPOIS QUE ESSA LEI FOI CRIADA,.EU CONHECI UMA FAMILIA ONDE A MÃE DAS CRIANÇAS ERA ESPANCADA PELO PAI DOS FILHOS DELA ,O SEU SEGUNDO MARIDO.E ATÉ HOJE ELA NÃO DENUNCIOU A ELE ,ELES SE ESPARARAM,E ATÉ SE FALAM, MAS DE VEZ ENQUANDO ELES TEM ALGUMAS BRIGUINHAS.BOM ELA SE CASOU ESTAR MORANDO COM OS SEUS FILHOS, ESSE MARIDO AMA MUITO ELA E ELES SÃO MUITO FELIZES ,MAS ISSO NÃO ACONTECE COM TODO O MUNDO QUE TEM ESSE PROBLEMA.ISSO TUDO ACONTECEU PORQUE ELA TEVE A CORAGEM DE SE SEPARAR DELE. MAS O CERTO ERA ELA TER SE SEPARADO E TER DENUNCIADO ELE,POIS ELES SE ACOSTUMAM, E CONTINUAM A FAZER TALVEZ SE AGENTE NÃO OS DENUNCIAR.

      repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 23 de dezembro de 2007 08:46, por Fátima

    Durante 07 anos recebi agressões do meu ex marido, usuário de droga e álcool. Porém as agressões ocorriam também mesmo quando faziam 04 ou 05 meses que ele não usava droga e álcool. Ele teve total apoio familiar p/ se tratar ( vária clínicas e ambulatórios na cidade de São Carlos , nas adjacentes e até fora do Estado de São Paulo, eu o acompanhei em tudo) tanto qto a Dependência Química, como tb qto a agressividade. É um tipo de pessoa que não sabe ser contrariada; receber um NÃO! E bastam situações assim p/ ele começar o espancamento, ameaças com facões, tesouras de ponta, danificou todo meu carro novo porque exigia que eu emprestasse o carro p/ ele e eu dizia que não podia emprestar porque ía usar o carro. Mesmo mediante testemunhas ele veiu prá cima de mim com sua força brutal de um homem de 1,75m e com quase 100 kg ignorando as 05 hérnias de disco e 01 hemagioma que tenho na coluna + a sídrome do carpo nos dois braços. Esse fato ocorreu por esse dias por conta das visitas ao filho que temos em comum de 04 anos e meio .Então eu fui me orientar sobre a lei "Maria da Penha" na Delegacia da Mulher daqui de São Carlos-SP e a atendente disse que nada mudou, que no máximo ele vai receber uma pena de prestação de serviços comunitários ou doação de cesta básica.
    AGORA EU PERGUNTO?
    E a minha proteção com esse homem solto pelas ruas de São Carlos?
    E o fato de ser usuário de droga e não de tratar?
    E a sua personalidade violenta que entra em ação conforme o que a mente articula a qualquer momento? E os prejuízos psicológicos e emocionais que absorvi durante todo esse tempo? Inclusive escândalos no meu local de trabalho, me desmoralizando completamente como profissional ( sou funcionária pública). Como fica tudo isso dentro da Lei Maria da Penha? Eu não quero ficar deficiente física como ela ficou para receber o nome de uma lei i ........ esses problema. Acredito que que temos cabeças inteligentes no governo Federal para entrar com providências imediatas ref. a isso!

    O bandido, o marginal, está lá preso na cadeia, longe da sociedade e nesse caso do agressor drogado e sem estar drogrado? É matar ou morrer?

    repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 29 de setembro de 2008 11:44

      Fátima, não compreendo por que a atendente na delegacia lhe deu estas respostas. Ela está errada. A Lei M da Penha não permite o pagamento pecuniário. O máximo que pode acontecer é vc, se quiser, renunciar à representação, que só pode ser feita em juízo. Vá ao Ministério Público no Fórum da sua cidade e represente diretamente ao promotor.

      Alonso - Adv

      repondre message

  • O medo ainda Prevalece!!! 17 de fevereiro de 2008 22:31, por J.F

    Meu caso não é diferente de algumas pessoas. Convivo com uma pessoa a 2 anos no começo de nosso namoro ele era uma ótima pessoa, então resolvemos morar juntos e apartir dai que o pesadelo começou no segundo mês ele começou a beber muito ficar grosso comigo me tratar mal, mas até então achei que era pq ele estava bebado, mas depois começou a virar rotina e ele começou a me maltratar me ameaçar, procurava me manter longe de meus familiares e amigos. Nisso se passou um ano começei a ter problemas com minha auto-estima e tudo mais. Até que um dia não aguentei mais e contei aos meus familiares que me ajudaram fugir da casa dele. Mas em seguida ele invadiu a casa de minha mãe tentou me levar a força e agrediu me padrasto. Fiz a denúncia na delegacia e tudo mais, mas com um tempo acabei voltando para ele que me prometeu nunca mais fazer nada contra mim, e eu como gostava dele acabei voltando, mas depois ele me provou o contrário de tudo que havia me prometido, mas hoje tenho medo de ir embora, pois ele me ameaça de morte a mim e meus familiares, não sei o que fazer.

    repondre message

    • O medo ainda Prevalece!!! 10 de abril de 2008 19:18, por dine

      creio que tudo que nos machuca ou maltrata devemos falar, omitir qualquer agressao e aceitar
      o agressor, nunca jamais devemos calar, por isso que acontece muitos crimes por medo da passoa, devemos falar e pedir proteçao as autoridades para isso que eles existem.tenha coragem.

      repondre message

    • O medo ainda Prevalece!!! 31 de maio de 2008 16:09, por jorge

      pense bem no que vc esta fazendo pelo que vejo vcs nao tem filhos vc tem toda uma lei a seu favor faça ela prevalecer e vc nao se arrependera sou policial sei do que estou falando ja lidei com muitos casos parecidos ....desejo sucesso para vc .

      repondre message

      • O medo ainda Prevalece!!! 11 de outubro de 2008 22:46, por JARI

        APESAR DE EXISTIR ESSA LEI AINDA HA MUITAS MULHERES QUE TEM MEDO DE DENUNCIAR SEUS MARIDOS.NA MINHA OPINIÃO, FOI A MELHOR LEI QUE JÁ EXISTIU A FAVOR DAS MULHERES.NÓS MULHERES NÃO DEVEMOS TER MEDO, TEMOS QUE TOMAR ESSA INICIATIVA CEDO OU TARDE, MAS O IMPORTANTE É TOMAR. POIS A SITUAÇÃO PODE PIORAR, COM O PASSAR DO TEMPO.

        repondre message

      • O medo ainda Prevalece!!! 31 de outubro de 2008 01:21, por Carla

        fiz um b.o de ameaça contra meu ex marido, vc saberia me dizer se ele será intimado a dar a sua versão dos fatos antes de eu representar ou só depois? se condenado, esse tipo de "crime" pode ter qto tempo de prisão? obrigada

        repondre message

    • O medo ainda Prevalece!!! 9 de junho de 2008 18:52, por nanda

      tenho uma historia parecida com a sua conheci o meu ex marido quando tinha 16 anos a gente foi morar junto dentro de um mes mais ou menos ele pareçia uma otima pessoa super carinhoso dentro de dois meses ingravidei de uma menina q nasceu super saudavel cheia de vida mas com o tempo ele começou a falar que ela não era filha dele que eu nao prestava queria que eu ficasse longe dos meus parentes mas eu naum deixava ele mandar na minha vida foi ai que ele começou a beber chegar em casa uma hora da manhã bebado mentia que tava trabalhando e naum tava começei a descrençar dele ja naum me fazia mais falta a presença dele a gente se separou ele me disse que estava arrependido eu acreditei nele de novo mas dessa vez ele me mostrou o monstro que ele era ele me agrediu duas vezes e agrediu minha filha de apenas um ano!eu o denunciei e ele esta preso!graças a deus me livrei desse monstro!hoje estou com 18 anos e vou começar a viver de novo!

      repondre message

      • O medo ainda Prevalece!!! 26 de junho de 2008 11:49, por KECYA

        PARABENS VC FEZ A ESCOLHA CERTA

        repondre message

        • O medo ainda Prevalece!!! 23 de julho de 2008 09:19

          Oi tenho 34 anos,vivo com uma pessoa a 6 anos,temos uma diferença de 20 anos,porém para mim isso nunca foi problema ou vergonha;ele é extremamente carinhoso e atencioso comigo,não temos filhos.Porém muitas vezes quando bebe ou quando esta nervoso pelos problemas de trabalho ele desconta em mim,me diz coisas grotescas,diz que não presto que nao faço nada,e muitas coisas piores.Neste tempo por 3 vezes me agrediu com empurrões,jogou objetos em mim e me deu um soco no rosto.Mas o que mais me dói são as coisas que ele me fala.Perdi minha auto estima,não consigo arrumar emprego e as vezes não tenho vontade de arrumar também,deixei de me arrumar como fazia,realizo os serviços domésticos muitas vezes sem vontade nenhuma,porque se faço sou vagabunda e se não faço sou pior.
          Eu tenho vergonha de mim mesma por não tomar uma atitude.Ele me diz que a casa é só dele que não tenho nenhum direito.
          Quando essas crises dele passa,ele se diz arrependido,diz que sou tudo para ele.
          Eu não confio nele mais,sempre fico com um pé atrás.Não consigo conversar e expor o que sinto,pois ele não aceita as coisas que falo e diz que exagero.
          Quero recuperar a minha essência,minha vida,sonho com isso,mas não consigo tomar uma atitude!

          repondre message

          • O medo ainda Prevalece!!! 13 de agosto de 2008 19:14

            tenho 40 anos minha situação é parecida mas nunca fui agredida fisicamente. Sou casada a 2 anos e ele não aceita a separação sempre fez grosseria mas agora: sou falsa víbora , cobra, amaldiçoada entre outras não aguento mais. mas estou com medo de recomeçar uma nova vida....Te desejo sorte e força para se libertar!

            repondre message

          • O medo ainda Prevalece!!! 31 de outubro de 2008 01:33, por Carla

            Passei exatamente pelas mesmas coisas que vc e agora depois de muitas voltas estamos separados.
            Infelizmente só depende de vc tomar uma atitude!
            Não quero desanimá-la,mas falo isso não só por experiência própria, mas também por já ter presenciado casos semelhantes e por ter conversado muito com psicóloga e assistente social: ele não está te dando valor nem te respeitando porque vc não está se dando valor nem se respeitando (como eu tb fiz); ele tem pelo menos que sentir-se inseguro perdendo vc, mas aí vai dizer, como já disse, que se arrependeu, que nunca mais irá fazer isso ou aquilo, só que ele pode MELHORAR por um tempo e NÃO MUDAR. mais hora menos hora, estará começando a fazer as mesmas coisas.
            CORAGEM! SE AME E SE RESPEITE ACIMA DE TUDO! AFASTE-SE DELE E O DENUNCIE! VÁ PROCURAR A SUA FELICIDADE (que certamente não está ao lado dele, como a minha não estava ao lado do meu ex marido; bastou eu me afastar dele para voltar a me amar, me arrumar, fazer exercícios) é um processo lento, mas é preciso um 1º passo, como eu fiz, graças a DEUS criei coragem, me separei e fiz!
            Abraço

            repondre message

    • O medo ainda Prevalece!!! 22 de agosto de 2008 12:32, por carlos

      Amiga , faça nova denuncia como preservação de direito, qualquer coisa que aconteçla daqui por diante ele será responsabilizado, homens covardes,e ignorantes tem por toda parte mas são valentes com as mulheres , porque na presença de autoridade ficam como gatinhos mansos, tenha coragem e procure seus direitos nadelegacia da mulher de sua ciodade ok? dr. carlos advogado criminalista

      repondre message

    • O medo ainda Prevalece!!! 17 de outubro de 2008 08:16

      O medo que sente agora não pode ser pior que a mutilação psicológica que está sofrendo no momento, não tenha medo da morte física, pois pior é morrer por dentro, não desista, lute sempre e só assim se fortalecerá.

      repondre message

    • O medo ainda Prevalece!!! 31 de outubro de 2008 01:16, por Carla

      Fuja novamente!! aproveite quando ele sair e FUJA! tente ir p/ algum lugar que não seja a casa de seus pais (onde será o 1º lugar onde irá procurá-la), vá para a casa de algum parente ou amigo, de preferência bem distante e assim que estiver longe vá a uma delegacia e registre a ocorrência, pedindo proteção. FAÇA ISSO! é o que estou fazendo e estou me sentindo muito aliviada e protegida c/ isso. CORAGEM! vc tem muito mais a perder (como eu tive e perdi) estando aí com ele, debaixo do mesmo teto e passando pelas coisas que passa. Isso que sentimos não pode ser amor, talvez um ainda gostar, uma dependência, um achar que se ficarmos longe desta pessoa ninguém mais irá nos "querer" e não conseguiremos ser felizes. Isso não é verdade! Pense friamente no que ele tem e o casamento de bom, o que te traz de bom e de ruim: o resultado pode ser desastroso, comigo percebi que os únicos momentos bons que tínhamos eram os das refeições, ou de assistirmos algum filme (EM CASA CLARO, PQ EU SÓ SAÍA P/ IR AO MERCADO e C/ ELE)ainda assim nem sempre... Um casamento não vive, absolutamente, só disto, DE MANEIRA ALGUMA! Saia daí assim que perceber que ele vai demorar e sem olhar p/ trás!

      repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 27 de julho de 2008 12:01, por Lindamar Nogueira-Linda

    Foi muito bom vigorar esta lei, só assim nós mulheres podemos denunciar os nossos parceiros, e agora eu quero denunciar o meu. Já lutei por ele durante 25 anos anos, já coloquei na justiça da minha cidade e nunca obtive respostas. Mas agora eu gostaria de uma ajuda, os mesmo um pedido de socorro. gostaria que entressem em contato comigo, para melhores esclarecimentos. Estou sofrendo muitas ameaças, estou correndo o risco de morrer nas maos do meu parceiro.

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 30 de setembro de 2008 18:53

    Olá, meu nome é Priscila Teixeira Ayala, tenho 26 anos e sou solteira hoje, li a lei Maria Da Penha e como mulher que ja sofreu violência doméstica por 2x me senti amparada em todos os lados.
    Hoje ainda rola os tramites com a 2 violência, estou confiante que o agressor sera punido de acordo com o ato que cometeu, pois a primeira vez o agressor ficou com a pena de cestas básicas.
    As medidas protetivas também dão mais segurança a nós, pois se descumpridas os agressores realmente são presos, antes somente com a morte da agredida, mesmo que o Juiz possa revogar a decisão, mas somente é feita se verificado não risco a agredida.
    Também a amplitude da espécie de agressão com relação ao direito de ir e vir, pressão piscológica, o ato sexual efetuado sem a sua permissão com os devidos cuidados, com relação a amparo de até seis meses de ausência do trabalho se houver risco, enfim tudo que ela solicita e declara como nosso direito.
    Eu particularmente me senti bem, na sociedade me senti com direitos iguais, de obrigações e direitos ao amparo judicial.
    Esta ai a força de mulher por 19 anos lutou para que seu agressor fosse punido e consegiu não só a punição dele mas de todos os agressores de uma relação especificada na lei.
    Parabéns Maria Da Penha e obrigada.

    repondre message

  • Olá queridas!
    Sou licencianda e o tratamento que observei ser dispensado às alunas durante o meu estágio sempre me intrigou. Esse desconforto ficou mais claro para mim num conselho quando escutei de uma professora que as alunas não querem saber de nada que não seja cabelos compridos e garotos. Me encomodou o fato de uma mulher de mais ou menos uns quarenta anos praticamente criminalizar adolêscentes num julgamento cruel e preconceituoso e imediatamente me veio a cabeça que aquela pessoa era uma formadora de opnião e mais contribuía na formação da subjetividade de jovens. É claro que meu encomodo tem muito haver como minha própria História de vida, pois sofri na infância diversas formas de opressão de gênero. MInha mãe casou-se por três vezes, seus casamentos sempre foram muito conturbados e pelo menos uma vez, em cada um destes, lembro de ter visto alguma cena de violência física. Ser entiada significou para mim a tomada de consciência do que significava ser uma mulher nesta sociedade, pois eu me sentia na mira e tinha que estar sempre em alerta inclusive cuidando de minha integridade moral e física. Aos nove quando dormia na casa de meus padrinhos acordei com ele me tocando e quando contei a minha mãe ela não acreditou em mim. Mas apesar destas violências fui uma criança, adolescênte normal e na escola ninguém nunca reparou. O problema é que apesar desta aparente normalidade não tive um namorado a adolescência inteira e tinha crises depressivas constantemente. Hoje tenho 26 anos, as dores passaram, apesar das marcas terem permanecido. Mas estas marcas lembram do que eu não quero que nenhuma criança, mocinha, mulher; ou qualquer ser humano passe. Ela influencia o meu comportamento
    de forma flagrante: tenho dificuldades de me envolver afetivamente com os garotos chegando a ser agressiva, não me imagino casada... Mas apesar do prejuízo emocional, acabo tendo uma válvula de escape que é tentar modificar o que encontro, este comportamento é involuntário e agora eu entendo isso! Uma destas tentativas é que estou contribuindo com a formação de um grupo contra opressões na faculdade e meu núcleo é o de mulheres, inclusive foi por isto que cheguei a esta lista. Lendo o relato de muitas de vocês eu me espantei pensando " nossa! eu sei que existe por estatísticas, mas eu não sabia que a violência doméstica podia ser tão cruel!" Aí eu me toquei " Êpa, peraí: e a minha história de vida, a da minha mãe, a da minha amiga que aos 20 anos sofria diversas formas de violência pelo pai, irmãos, tio e namorado Chego a conclusão (emocional, uma vez eu já tive aceso a leituras com este indicativo) de que no meu colégio ninguém percebia nada, porque o que me acontecia era apenas o cotidiano das mulheres. Aprendemos a naturalizar e a esquecer! A violência contra a mulher é tão sutil e tão comum que nós esquecemos e o pior fazemos as meninas acreditarem que suas dores e seus desejos "são coisas da adolescência" e isto, porque ainda não aprenderam a naturalizar. Efetivamente pouco posso fazer por aquelas que precisam de ajuda imediata, nesta lista a não ser lhes desejar a força, coragem de todo coração! A longo prazo por suas histórias, por minha mãe e por mim tentarei não mais esquecer e quem sabe conseguir ajudar alguma aluna! Não quero ser como esta professora que julga suas alunas como o rigor exigido para que as violências se propaguem. Desculpem se tomo o tempo de vocês, mas tenham certeza de que assim como as leituras que fiz de seus relatos me dão mais gás para tentar mudar o que é preciso, espero que informadas de que existe alguém tentando fazer com que esta sucessão de erros tenha fim, vocês possam reunir mais forças para conseguirem o que é certo!!! Carinho e força a todas nós!

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 24 de novembro de 2008 22:20, por MARIA

    Eu moro com uma pessoa a sete anos ,no começo ele era uma pessoa ate legal,mas logo nos primeiros anos ele se envolveu com outra pessoa é tem uma filha que vai cinco anos , na epóca eu me afastei dele quatro meses ele emplorou voltamos.A dois atrás ele se envolveu de novo com a mesma pessoa quando descobri ele disse que era mentira que as pessoas estavam mentindo, inventando, que queriam nos separar, etc,conversa de quem não presta mesmo, a cinco meses atás ele foi trabalhar numa padaria ,de repente ele mudou de novo começou a dormir fora nos fins de semana dizendo que estava fazendo hora extra, descobri que ele estava saindo com uma mulher de vinte anos comprando roupas e sapatos caros pra ela e ainda saia com uma amiga dela que é casada ele ia pra casa dela dizia pro marido dela que é primo dela.hoje vivo assim ele passa metade da semana aqui em casa , nos fins de semana some tudo que ganha gasta na rua, na farra ,quando reclamo me ameaça ,me bateu duas vezes ,na segunda vez chamei a policia ele correu se escondeu no mato ,aqui perto de casa, depois voltou ficou um tempo bonzinho, tenho duas contas de telefone atrasada, muitas dividas, peço a ele para ir embora de vez ele diz que não está fazendo nada errado,que sou louca uma cachorra velha que não presta pra nada , que se eu arrumar outra me mata , sou evangelica ai ele aproveita que minha vida de casa pra igreja , trabalho com bordado pois é dificil na minha idade arrumar emprego registrado estou com 46 anos, mas o que ganho é pouco tento me virar como posso ,diz que sou uma crentinha sem vergonha que devo ir a igreja pra namorar com os irmãos da igreja ,eu sie que não suporto mais essa situação estou com depressão , me sentindo a pior das pessoas sem forças pra tomar uma atitude, pois tenho medo de ir atás dos meus direitos e depois ele fazer alguma coisa contra min, moramos numa casa que fica nun terreno invadido ,ele fala que só vai embora se vendermos a casa pra ele pegar metade pois ele diz que tem esse direito, eu digo a ele que não podemos vender o que édos outors , ele responde então aguenta as coisas como estão ou então vai embora e deixa a casa pra min,nesse fim de semana ele pegou um vale não tinha nada dentro de casa, pois eu não recebi eu pedi a ele deixa um dinheiro pra comprar alguma coisa ele disse morra de fome eu não tenho obrigação com vce ,todos os móveis que tem dentro de casa foram ganhados , ele emprica com tudo que falo e faço, eu queriam muito acxhar uma solução pois me sinto como num pesadelo que parece que não vai acabar nunca,quando estou sozinho em casa estou na paz ,quando ele chega parece que o mundo está desmoronando na minha cabeça, acaba a paz , alegria, começo a comer feito uma doida pois a ansiedade é muita ,realmente tá dificil de aguentar essa situação por favor alguem me ajude , preciso realmente saber o que fazer

    repondre message

  • Como funcionaria a lei no meu caso? 1º de abril de 2009 12:58, por Marineth

    APÓS 1 ANO DE CONVIVÊNCIA OFICIALIZEI O CASAMENTO COM MEU EX.A FAMÍLIA SEMPRE FOI CONTRA, ACUSANDO DE QUE ELE É PORTADOR DE DEFICIÊNCIA MENTAL, MAS PARA MIM ELE É UMA PESSOA NORMAL, É FUNCIONÁRIO PÚBLICO FEDERAL, FORMOU-SE EM DIREITO, TÊM 2 FILHAS DO PRIMEIRO RELACIONAMENTO.
    ENTÃO CERTO DIA EU CHEGUEI EM CASA E ELE HAVIA SIMPLESMENTE SUMIDO SEM ME DAR EXPLICAÇÕES.SÓ DEPOIS FIQUEI SABENDO QUE ELE REGISTROU UM BOLETIM DE OCORRÊNCIA DIZENDO QUE TENTEI CONTRA SUA VIDA USANDO UMA FACA,FUGIU PRA CASA DOS FAMILIARES, PEDIU LICENÇA DO SERVIÇO ALEGANDO PROBLEMAS PSICOLÓGICOS, PEDIU PARA UM OFICIAL DE JUSTIÇA PEGAR SUAS ROUPAS DA MINHA CASA E SÓ AGORA SOUBE QUE ELE É PORTADOR DO CID 10 G 80.4 PARALISIA CEREBRAL E DO CID 10 F71 RETARDO MENTAL DE GRAU MODERADO E OS PAIS PEDIRAM A ANULAÇÃO DO MEU CASAMENTO.INVESTIGUEI SOBRE ESSA DOENÇA PARA ME ASSEGURAR, SOUBE QUE ESSA DOENÇA TRÁS ALUCINAÇÕES, E TRANSTORNOS DE PERSONALIDADE, DEPRESSÃO E AFASTAMENTO DA VIDA SOCIAL.GOSTARIA DE SABER SE A LEI DA MARIA DA PENHA ME PROTEGE NESTE CASO DEVIDO A VÁRIOS BOLETINS DE OCORRÊNCIA QUE ELE REGISTROU DIZENDO QUE EU O ESTAVA PERSEGUINDO, E A FAMÍLIA ME ACUSA DA VIOLÊNCIA COMO VERDADE SENDO QUE A DOENÇA TRÁS UM QUADRO DE GRAVES TRANSTORNOS. COMO A LEI MARIA DA PENHA ME DEFENDE NESSE CASO????

    repondre message

    • Como funcionaria a lei no meu caso? 12 de julho de 2009 20:25

      Os transtornos que o dito acima mencionado porta, deverão ser devidamente fundamentados através de testes psicológicos e laudo psiquiátrico o que pode ser também usado na sua defesa ao ser acusada em momentos de crise do sujeito denunciante.Alguma vez você soube de uso de remedio controlado? tarja preta ? pode procurar contas de farmácia que demonstre que nunca comprou tais medicamentos que nesses casos são indispensáveis.

      repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 19 de junho de 2009 16:19, por Naya

    Namoro com um rapaz há uns dois anos, mas nunca sofri quaisquer agreçoes fizicas ou psicológicas vindas dele, sendo ele um rapaz muito responsável e de uma história incrivel de vida. Na realidade estarei, retratando um caso que acontece com ele em sua casa. Ele tem 24 anos, mudou-se para uma cidade grande e logo que sua mãe se separou do marido pediu para que a mesma morasse consigo. Mas com esta mudança, a mãe trouxe consigo a irmã dele mais nova, que além de não possuir nenhum estudo expecífico, ou iuntenção de iniciar um ou trabalhar para ajudar no sustento da famlia, ela trouxe o seu filho, que é uma graça mas que sofre com a falta de atenção da mãe e agreções quando ela fica irritada com alguma coisa. Esta menina agride o irmão, responde grosseiramente a mãe, tendo coragem de, após furtar a própria mãe as escondidas a qual irá descobrir apenas dais uns dias, deixar o filho com a mãe dizendo que vai voltar dá alguns minutos o que na verdade chegará apenas na madrugada. Ela não trabalha, não ajuda com os afazeres de casa, sai e deixa o filho com a mãe , não dá a atenção devida a seu filho deixando a responsabilidade para a avó e o tio, responde a mãe e ainda agride verbalmente e fisicamente o irmão que sustenta a casa junto com os trabalhos domésticos da mãe, que por fim não poderá se revidar pois diz ela que irá denunciá-lo á delegacia da mulher para se cumprir a Lei Maria da Penha. Neste caso eu queria saber, qual o melhor meio de meu namorado lidar com esta cituação e o que estas lei acusaria neste caso?
    Aguardo atentamente alguma resposta de expecialistas no assunto sobre a Lei Maria da Penha. Obrigada!

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 25 de junho de 2009 21:17

    acho que essa lei veio para melhorar sim, mas ainda demora-se muito para a solução dos casos.
    será que tem que esperar o homem matar para que ele seja intimado a sair de casa.
    na primeira queixa contra o agressor já poderia ser solicitado a retirada do próprio do lar.

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 25 de junho de 2009 21:27

    a lei veio para somar mas ainda é muito lenta .
    o agessor deveria ser retirado de casa logo na primeira queixa .
    e não esperar passar tanto tempo,porque a tendencia é piorar o convivio do casal.
    gostaria que fosse mais ágil.

    repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 22 de julho de 2009 11:02, por Fátima

      Minha filha sofreu uma agressão do marido e prestou queixa na del.de mulheres.Acontece que o ex marido vive pedindo que ela retire a queixa pois não vai mais fazer outras agressóes.Quero saber saber se é possível retirar a queixa;pois tenho medo que ele volte a agredí-la.

      repondre message

      • Efeitos da Lei Maria da Penha 20 de agosto de 2009 13:59

        Sim. É possível que ela retire a queixa mas, SOMENTE PERANTE UM JUIZ. O delegado não poderá retirar a queixa. E não retire mesmo. Homem (se é que pode se chamar assim essas pessoas) covarde deve ser preso mesmo !

        repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 16 de setembro de 2009 21:57, por Carlos

      Á lei criou um marco na sociedade,que neste caso é bom pois inibe a violência doméstica,apenas não devemos esquecer que naõ devemos condenar o inocênte junto com o culpado,pois se usarmos o principio que uma dênuncia é a verdade sem provas,podemos estar ajudando a destruir a vida de um outro ser humano,neste caso o homen,levando em consideraçao que nem todos tem recursos financeiros e estrutura emocional para lidar com uma situaçao em que ele está em total desvantagem,perante a mulher,mas friso que se a agreçao cometida é um fato comprovado,deve ser preso,nao devendo sair impune dos seus atos

      repondre message

      • Efeitos da Lei Maria da Penha 14 de março de 2010 23:44, por ingrid regina do nascimento

        eu marido foi acussado injusta mente por uma mulher muito mitirosa e ele foi preço sem prova e noc temos prova que mostra a verdade sobre ela mas ajustisa nao quis sabe da verdade como podemos faze para mostra a verdade essa mulher ela ja foi acusada de partisipa da morte do marido e ja acusou o gerro de pedofelia e tambem não e verdadae era ttudo mitira eu acho que esa lei nao foi tão legau porque tem homems que são inisente e tem mulheres que usa essa lei para menti como essa mulher quem ler essa mensagem por favo me ajuda a tira um enosente da cadeinha eu so quero fala e mostra a verdade e isso eu tenho. beijo para todos meu te e 76670668 meu nome e e da vitima e marcelo e neves soares e da pessoa pe fez tudo isso e sandra mara essa mulhe e muito perigosa ela ja fez comuitas pessoas ela ja fez muita vitima ela tem que para eu quero que ela pague e va para na cadeia como ela fez com meu namorado beijo.

        Ver online : meajude

        repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha Rodrigues. 15 de agosto de 2009 22:33

    A onde esta a efetividade da criação da Lei, onde q ela ajuda a vítima ver a justiça ser soberana , se até q termine todo os tramites de um processo a vítima passa por terrorismo psicológico, ameaças, traumas , espancamentos, agressões físicas e morais, enqto o réu isto em nome porque ele a pessoa não está nem aí com nada, pois dentro de uma própria delegacia a vítima é agredida e não se faz nada, além de um dx disso. Onde esta o desejo de se ver ao menos uma vez a justiça demonstrando a vítima a satisfação de poder olhar para frente e não para baixo pq entende q ao sair dali da sala , ou da delegacia todo o tormento retorna e não se sabe se vai estar viva para o réu em condição verdadeiramente de réu.

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 17 de agosto de 2009 10:13

    Gostaria de saber como será aplicado a lei maria da penha no caso em que vou relatar.
    Meu irmão estava no carro com o filho de 14 anos no banco de trás e a esposa que é madrasta desse. Foi iniciado uma discursão entre minha cunhada e meu sobrinho, minha cunhada partiu pra cima do meu sobrinho e o agrediu, meu sobrinho revidou da forma que pôde e a agrediu também, meu irmão saiu do banco de motorista, deu a volta no carro e precisou tirar minha cunhada a forá do carro pelos cabelos e acabaram se agredindo também, neste momento se separarm do local, tomando caminhos distintos.
    Meu irmão sempre pacífico, não levou o filho pra delegacia, mas minha cunhada normalmente explosiva pra se defender, com medo da mãe do meu sobrinho levar o filho para registrar queixa contra o menor, foi à delegacia e registrou o BO e fez corpo e delido, constatando lesões leves nos braços e rosto, e contou outra versão, disse que foi agredida por trás pelo meu sobrinho, que a batia com murros, sendo que meu sobrinho só tem tamanho, pois a mente é de uma criança de 8 anos, e sobre meu irmão contou correto, sendo que não foi constatado nenhuma lesão no pescoço dela. O problema é que não existe testemunhas.
    Os dois se separarm por um período e agora estão juntos novamente, estão bem e reconheceram que ninguém agiu corretamente, inclusive meu sobrinho que foi agredido reconhece que não devia ter aceito as provocações da madrasta.
    Minha dúvida é: como fica o processo contra meu irmão?
    Creio que os dois serão chamados para alguma acariação, mas gostaria de saber como fica se entrarem em um acordo, pois as versões serão mantidas e sem testemunhas, meu irmão disse que vai permanecer contando a verdade e minha cunhada tem um temperamento difícil também não vai mudar a versão, pois tem medo de ser processada por informações falsas, como pode ficar este caso?

    repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 9 de setembro de 2009 14:09, por Cristina

      Boa tarde, sou casa ha 11 anos e tenho um filho de 2 anos durante os anos de casada eu era agredita constantemente verbalmente, apos alguns anos venho sofrendo agressoes fisicas meu marido me agride na frente do nosso filho e ate mesmo quando estou com ele no colo, um dia apos uma briga e ameaças de morte contra eu e o nosso filho tomei coragem e fiz uma denucia ele disse que iria usar a arma da propia pulicia para nos matar. Na epoca ele foi embora de casa depoi voltou dizendo que nao faria mais tal coisa, ja se faz 1 ano e 6 meses e ele nunca foi chamado pra um depoimento e a palavra dele nao foi cumprida continuo apanhando e sendo agredida de todas as formas. As vezes tenho vontade de morrer, nao tenho mais alegria passo o dia inteiro trancada dentro de casa sem vontade de pelo menos da uma volta ate mesmo porque tenho vergonha de olhar na cara dos meus vizinhos. eu queria ser feliz novamente da uma vida dignina ao meu querido filhao ..... eu so queria ser feliz.

      repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 26 de outubro de 2009 20:38, por monica mugica

    meu marido de 16 anos de casadome bateu e dei parte temos audiencia dia 28 de 10 e o q vai acontecer com ele?

    Ver online : http://http://www.ciranda.net/spip/...

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 14 de novembro de 2009 19:11

    E qndo o homem e a mulher se agridem durante uma briga ??

    Como funcina a lei nesse caso, porque os dois são vitimas e agressores

    repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 22 de dezembro de 2009 10:26, por daiany aparecida de oliveira.

      gostaria de saber quais as consequências da lei para um homem que agride a esposa. Porque ela tem medo de denúnciar e ele machucar ela. Neste caso decidi eu procurar saber para ajudar ela. Creio que a punição, deve ser tudo que ele mereça. COM CARINHO

      repondre message

      • Efeitos da Lei Maria da Penha 14 de fevereiro de 2010 11:29, por ednéia

        não acho que a lei Maria da Penha seja tão eficiente,pois tô vivendo na pele,demoram muito para tomar alguma providencia a lei pode ser de boa intenção,mas o pder pulico é deficiente,devia ter mais rigor e rapidez,se o homem tiver que matar a mulher ele vai matar,como no caso de BH,homem que agride a mulher devia ser tratado sim como marginal e ir algemado para cela até pagar fiança,fazer doer no bolso tbém,estou na lei M da Penha e estou muito revoltada nesse momento pois não está resolvendo muito,continuo sendo agredida verbalmente humilhada e ameaçada,meu grito nesse momento é socorro por uma lei mais rápida e que funciona de verdade.

        repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 3 de janeiro de 2010 22:13, por Chris

      E quando o homem e a mulher se agridem durante uma briga ??

      E a mulher faz uma denúncia do marido.

      Como funcina a lei nesse caso?

      A mulher pode retirar a denúncia?
      Obrigada.

      repondre message

  • NO CASO O HOMEM FOI AGREDIDO VERBALMENTE , E FISICAMENTE, PARA E DEFENDER ACABOU EMPURRANDO A MULHER E ESSA SE MACHUCOU, UM POUCO PROPOSITALMENTE E OUTRO TANTO PELA QUEDA.
    DEPOISDE VÁRIAS CENAS DESTAS NA PRESENÇA DE UMA CRIANÇA DE 5 ANOS , O HOMEM ACHA MELHOR SAIR DE CASA E CONTINUAR O PROCESSO DE DIVORCIO QUE JÁ ESTÁ EM ANDAMENTO NA CASA DE PARENTES, A EX NAO CONTENTE, ARMA BARRACOS NA FRENTE DA CASA , ONDE SE CHAMA A POLICIA E TUDO É REGISTRADO, VAI AO SERVIÇO DELE E POE EM RISCO ATÉ O EMPREGO DO EX MARIDO. CONTINUA COM AMEAÇAS, FAZENDO COM QUE PARTICIPEM ATÉ TERCEIROS. O HOMEM NAO CONSEGUE O DIVÓRCIO PORQUE.??? JA QUE SE ESTÁ INDO PRA 8 AUDIENCIA.?? ALGUEM PODE ME EXCLARECER ISSO???? OBRIGADO

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 5 de janeiro de 2010 11:49, por Adriana

    MInha madrasta é casada com meu pai a 32 anos.ela tem dois filhos deficientes, um de 31 que não fala, não anda, não enxerga, e faz uso de cadeira de rodas, e depende dela pra tudo, e o outro tem 13 anos, não anda, faz uso de cadeiras de rodas, o meu pai sempre agrediu ela fisicamente, e tortura ela psicologicamente, e tortura meu irmão de 13 anos também, e ja agrediu meu irmão irmão de 31 anos também. Tenho também um irmão de 17 anos, ontem o meu pai foi pra cima da minha mãe com uma faca, a sorte é que meu irmão de 17 anos estava em casa e consegui evitar que acontecesse o pior. Eu queria saber o que poderia ser feito para tirar ele de casa. Porque o que disseram na delegacia é que minha madrasta poderia ir para um abrigo, mais ela tem 2 dois filhos deficientes, e é ele o agressor ele que tem q sair.

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 27 de janeiro de 2010 14:37, por Welerson Lopes Cavalier

    Gostaria de relatar um fato ocorrido em minha cidade para que possam me instruir:
    Um rapaz agrediu sua esposa e o Promotor de Justiça mandou prendê-lo e o Juiz assim o fez.
    Após 40 dias o Defensor Público pediu sua Liberdade Provisória e o Juiz concedeu.

    Transcoridos 10 dias após sua liberdade foi feito um processo com Medidas Protetivas que estipula que o Acusado tem que ficar a 200 metros de distância da ofendida.
    A ofendida tem ódio mortal do acusado e viu o mesmo na rua e foi até o promotor dizer que estava sendo molestada pelo acusado (fato que não ocorreu).
    O Promotor de Justiça com base apenas no depoimento da ofendida pede que seja expedido um mandado de prisao para o acusado pois o mesmo estaria sendo uma ameaça para ofendida.
    O juiz expediu o mandado e o Acusado encontra-se preso.
    Alguém pode me ajudar a entender quando será que o acusado irá poder voltar a viver livremente pelas ruas da cidade, pois em qualquer momento que a ofendida o ver nas ruas é só falar com o promotor que o acusado é preso.
    É assim que a Lei funciona?

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 8 de fevereiro de 2010 14:42, por cristina

    eu me separei ainda gravida e meu ex marido viva me chingando e me ameacando entrei na justica pra ter o direitos q minhas filha e eu tiamos a final tive filho gemeos pelas ameacas dele dei queicha na delegacia mas ele nunca apareceu entao ficou por isto mesmo apos as audiencias pra deferi o valor da pensao ele comecou a me procura e depoi de 1 ano e 10 mese voltamos mas ele nao deixou eu trazer nossas filhas tomou meu telefone nem posso sai na porta e me bateu certo dia ele me bateu tanto q fiquei com o rosto deformado enchado e predo das pancadas mas nao tenho como presta queicha ele nao deixa sair consiguir tira algumas fotos mas nao fica muito vizivel preciso muito de ajuda ele so fala em me matar mas na verdade ele so se aproximo de min pra nao ter q dividir nada com migo e pra nao dar pensao

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 8 de fevereiro de 2010 22:37, por maria salete farias

    quero uma saida a cada dia sinto medo de todos e d tudo a situaçao que levo esta mim deixando assim com muito medo ja sou separada tem 8anos ele vive dentro d onde eu moro e nada faz ele sai nao tenho liberdade d nada ele falou que vai compra uma arma e vai estoura minha cara falou tudo isso na frente d minha filha d 13 anos tem 8 anos que nao tenho nada com ele esso eu posso prova ja pensei em tira minha propria vida mais penso nos meus filhos tenho dois filhos e tenho medo de procura meus direitos pois ele fala que nem a policia pode fazer nada e tenho medo d reaçao dos meus filhos pois na frente deles ele d um d bom espero uma resposta .

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 8 de fevereiro de 2010 22:48, por maria salete farias

    quero uma saida a cada dia sinto medo de todos e d tudo a situaçao que levo esta mim deixando assim com muito medo ja sou separada tem 8anos ele vive dentro d onde eu moro e nada faz ele sai nao tenho liberdade d nada ele falou que vai compra uma arma e vai estoura minha cara falou tudo isso na frente d minha filha d 13 anos tem 8 anos que nao tenho nada com ele esso eu posso prova ja pensei em tira minha propria vida mais penso nos meus filhos tenho dois filhos e tenho medo de procura meus direitos pois ele fala que nem a policia pode fazer nada e tenho medo d reaçao dos meus filhos pois na frente deles ele d um d bom espero uma resposta .

    repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 29 de março de 2011 16:59

      Primeira coisa você não pode sentir medo, precisa ter a certeza que nenhuma mulher merece ser submetida a tortura seja ela qual for, procure a justiça, brigue por você e por seus filhos, procure a promotoria de sua cidade e faça a denuncia isso se nao tiver em sua cidade a delegacia demulheres, assim vai ser pedido medida de proteção e ele vai ter que sair da casa e nao se aproximar de vocês por 300m, mas lembre-se que nós mulheres precisamos ser fortes e acreditarmos mais em nós mesmas, conhecermos nossa capacidade de amar e principalmente sermos amada.

      repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 11 de março de 2010 16:34, por lela

    agredir fisicamente a amante do meu esposo assim que peguei varias mensagens no celular dele amorosas e comprometodoras. Depois de dias apó a agressão ela me denunciou, prestei depoimento a delegacia de mulheres onde foi marcada uma audiência com um Juiz. Que pena psso pegar?

    Ver online : Agressão

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 20 de março de 2010 20:57, por flavio aparecido silva

    boa tarde, a coisas sobre à lei maria da pênha que não entendo, vou tentar ser o mais claro sobre o que me aconteceu, tenho um sobrinho que se envolveu fisicamente com a ex. ele a segurou e tentou fugir da possível agressão, mas ela foi mas ràpida do que ele e o atingiu com uma paulada no crânio, enfin foi feito o b.o. os dois foram conduzidos a delegacia,e o pior ele esta preso a mais de um mês, nao consigo entender, mesmo com despesas de advogado ele continua preso, foram comprovado por testemunhas, como foi a situaçâo dos dois, mesmo assim ele não consegue sair de lá! preciso saber como fazer isto!

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 17 de janeiro de 2011 16:44, por morena

    Gostaria de saber se a lei maria da penha e so pra homem e mulheres casados, ou quando uma mulher tem um desentendimento com outra mulher e seus familiares envolvem, e acaba agredindo fisicamente a mulher que não e sua irmão ou parente no meio da rua em publico para outras pessoas verem, ela liga para a policia militar na hora o atentende fala que e pra procurar uma delegacia de mulher, vc so porque o cara agressivo tem um poder aquisitivo melhor que a mulher espancada ate quase a morte no meio da rua,
    a mulher vai ate a delegacia de mulher faz a ocorencia e o cara vai atraz dela e fala que se ela continuar vai mata-lo. e ela precisa sair pra trabalhar e não pode deixar a vida parar so que essa pessoa não e da familia esse homem nunca teve relacionamento afetivo com a mulher.
    o que deve ser feito.gostaria de mais informações estou passando por esse problema se alguem puder me dar uam orientação e me ajudar.a policia em cidade pequena e do lado de quem tem dinheiro não basta ser honesto. s_baia@hotmail.com

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 28 de março de 2011 12:30, por

    Estou me sentindo num beco sem saída, encurralada mesmo! me sinto muito angustiada com o que tenho vivido e vou ser honesta, sei que ele não é o único culpado ,mas isso não justifica a forma com que me trata.Ontem fui espancada com muita violência, eu estava em um lugar distânte, em uma casa que temos que é afastada de tudo e lá ele me bateu nmuito, nem adiantava eu reagir pois seria pior ,nem memsmo gritar pois ninguém ouviria,e ainda tive que voltar com ele pra casa distÃNCIA DE Três horas,pois não tinha como voltar só.inclusive ele ainda me levou ao médico e delegacia e disse que se precisasse assinava qualquer coisa admitindo que fez.Discutimos muito, por coisas banais que poderiam ser resolvidas com diálogo,e como em outras vezes expuz o que me incomoda na relação,só que acabo ofedendo seu carater e o chamo de comodista, machista, canalha pela forma que me trata e ele fica irado ,me trata com indiferença, desprezo;mas não posso concordar com que ele aproveite da situação pra por minhas filhas contra mim, pra que me desrespeitem e me enfrentem.As cobranças do dia-a dia, dos afazeres domésticos são sempre o tema das nossas brigas, pois estou doente, já tive uma esquemia, trabalho pra caramba em casa , e ainda vendo bolsas e bijuterias que confecciono , e reclamo deles não terem a colaboração qu epreciso.faço trabalho de pedreiro, concertos pesados até, mantenho tudo sempre em ordem e eles nem aí.eLE NÃO DEIXA DE FAZER TAMBÉM ,mas é sempre com morozidade, descaso e do jeito que ele quer e se der.Só pra ter uma idéia, há 6 meses, desmontou toda casa e pois tudo no terraço pra trocar o piso ,por causa de cupimPor favor! Comece e acabe,não faça de qualquer jeito.etc...conclusão, qualquer coisinha é já não vou fazer mais, se quizer é assim!Tudo fora do lugar, sujo e eu que me arrebento pra por em ordem, ele senta joga video gaime, vê filme, sái, aí se eu digo:Pô! Brincadeira hen?erá que não dá pra acabr logo com isso?Aí ele já não faz mais nada, deixa de comprar as coisas, me ameaça psicologicamente e diz qaue se tô ACHANDO RUIM, VOU VER O QU EÉ PIOR.mE AGUARDE!ISSO DESGASTA,SABE, EU ME DOUO ,ME ARREBENTO DE TRABALHAR DESDE A HORA QUE ACORDO ATÉ A HORA DE DORMIR, FICO CHATEDA SIM E RECLAMO DEMAIS EU SEI, MAS SÃO COISAS ABUSIVAS.minhas filhas são grnades a mais nova tem 28 e ele não me apoia em cobrar que elas me ajudem, pelo contrario,há incenntivo,prazer em v E-LAS ME ENFRENTANDO, ME RESPONDENDO. E AÍ O RESULTADO É QUE NÓS É QUE BRIGAMOS.POIS COBRO DELE ESSA SITUAÇÃO.mas conclusãopor tantos desgastes na relação, ele agoea só faz o que quer, não me atende, não respeita e vi olhando na pria para duas moças que ficavam pra lá e pra cá, e percebendo que ele olhava se incinuavam mais ainda.ISSO ME ARREBENTA.FIQUEI INDIGNADA E EU RECKLAMAR É SINAL DE QUE VEM ALGO PIOR.mA SFIQUEI FURISA E TAQUEI AREIA NA SUA CARANÃO AGEUNTEI OS DEBOCHES.SAIMOS DA PREAI E O TEMPO TODO VIM RECLAMADO, ESTRESSADA E CATUQUEI ELE COM A ESCOVA DE CABELOS, FALEI ALTO, ME DESCONTROLEI.em casa continuie falando e ele caklado, com ar de deboche, de quem está gostandoe não tá nem aí.inclusive disse isso, e que faria o que quizesse.olhava o que quizesse.ME DEU MAIS RAIVA AINDA,PPOOIS EU HAVIA NO DIA ANTERIOR COLOCADO JUSTAMENTE O QUE INCOMODAVA E ELE SÓ FAZ O CONTRARIO.fUI ARRUMA RTUDO PARA VIRMOS EMBORA E VI QUE ELE FOI DORMIR,NÃO PRESTOU!COMECEI A ENTRAR NO QUARTO PRA GUARDAR AS COISAS E FAZER BARULHO, DISSE PRA ELE QUE ELE DEVERIA TER DORMIDO NA PRAIA EM VEZ DE FICAR OLHANDO PRAS GOSTOSAS E BATI COM O CREME QUE ESTAVA NA MINHA MÃO NO´PÉ DELE.tOMEI BANHO, ME ARRUMEI ,ELEL SE LEVANTOU AÍ FALEI PRA ELLE LEVAR A MALA PRO CARRO ,POIS SEMPRE SOU EU QUE TENHO QUE ARRUMAR TUDO, FAZER TUDO E ELE SÓ FAZ O QUE GOSTA.qUE AGORA ELE IRIA CONHECER UMA OUTRA PESSOA, MAS AS EXPRESSÕES DELE MATAM, E O QUE ELE FALA TAMBÉM E COMEÇOU A FAZER AMEAÇAS DO QUE ELE IRIA FAZER, E EU SEI QUE FAZ,ME DEIXQA SEM AS COISAS, SAÍ SOSINHO,ME DEIXA NESTE LUGAR SOSINHA E VAI PESCAR SEM EU VER.COMBINA AS COISAS COM OOUTOS E SOU A ULTIMA A SABER,COMPRA SEM COMPARTILHAR, QUANDO VEJO JÁ TÁ LÁ.iSSO ME IRRITA AÍ COMEÇAMOS A DESCUTIR ELE SEMPRE ME DEIXA FALANDO SOZINHA OU BATE A PORTA NA MINHA CARA, QUANDO VI QUE IA FAZER ISSO EMPURREI A PORTA E AÍ ELE AVANÇOU EM CIMA DE MIM E ME ARREBENTOU.nÃO ESTOU BEM, JÁ TENHO MUITOS PROBLEMAS DE SAÚDE INCLUSIVE EM TRATAMENTO POR UMA CIRURGIA RENAL QUE NÃO DEU CERTO E ELE DE PROPÓSITO BATEU MUITO NO MEU ABDOMEM,CABEÇA.qUEBROU MUITAS COISAS EM CIMA DE MIM,E IA ESTRAGAR MEU ROSTO COMO DISSE COM O É DE FERRO DO ABAJUR, QUE JÁ TINHA QUEBRADO AO ME ACERTAR.Estou desgastada, pode parecer infantilidade, mas é algo que já estou estressada, de ver.Ate´uma amiga veio me falar que não entendeu porque ele pegou seu cabelo pra cheirar. e ela é casada.São coisinhas que minam, que ferem.Mas se eu denunciar a prejudicada ainda serei eu.Ele diz que vai se separa e vai me deixar sem nada, que vou ter que aprender a viver com migalhas.QUe não terei mais remédios(faço uso de medicamentos para doenças cronicas) sem plano de saúde e que eu me prepare que isso é só o começo.E que ele vai casar e ser feliz.Que eu nunca fui nada dele.Na hora que fui a delegacia ,me informaram que por agressão ele pode pegar de 1 a 3 anos de prisão.Sinceramnete não é isso que desejo,gostaria de que tivesse uma punição sim,mas como vai ser?Ele perde o emprego e pensão,ele já est[a prestes a se aposentar,não é minha intensão prejudic-a-lo neste aspecto,pois por outro lado ele quando está bem , me dá de tudo,ajuda minha família,socorre .Mas basta qaulque discordância e pronto!Começa tudo de novo.Não aguento mais,isso me fez adoecer,a separação é algo que está sendo processado, aliás hoje ele disse que daria entrada.Mas também não consigo vÊ-LO COM OUTRA.TEMOS 33 ANOS DE CASAMENTO,SEMPRE COM ESTES DESGASTES, MAS TIVEMOS BONS MOMENTOS TAMBÉM.O QUE FAZER?SOU EU A CULPADA E A REAÇÃO DELE FOI POR EU SER CRI-CRI DEMAIS?OU SOU INCOMPREEDIDA E EXPLORADA MESMO COMO ME SINTO?TENHO UMA DECISÃO A SEGUIR, E NÃO DESeJO TOMAR MEDIDAS MAIS DRáSTICAS.mAS VIVER ASsIM TAMBÉM NÃO DÁ.ELE ME HUMILHA DEMAIS, ME EXPÕE DEMAIS diz que não me ama,que só me suporta.desja minha morte,o mal.EU SÓ QUERIA SER COMPREENDIDA, amada e por mais que eu fale só piora.Minhas filhas já nem ligam mais.Agem como se nada estivesse acontecendo, até porque ele intimida, se faz de vitma da situação e as faz me verem como se eu fosse louca.que só sabe faalr de limpeza e reclamar.

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 9 de julho de 2011 22:52, por Marília Vânia R. Barros

    Muito justo a aprovação desta lei, só assim as mulheres se sentiram mais protegidas e poderá buscar ajuda no lugar certo.
    Estou fazendo um trabalho sobre este assunto e pude perceber o quanto essa lei se torna tão importante para a mulher, pois hoje ela se ente mais protegida e essa lei é uma conquista importante para a mulher moderna que presa por sua independência e que não merece ser violentada, e essa violência não ser vista pela justiça e pela sociedade é um crime contra a liberdade feminina. Nas décadas passadas a mulher não tinha direito a ter seus próprios direitos e até mesmo nesta época a literatura já falava desta violência como no conto A cartomante de Machado de Assis que expressa no final do conto a morte de Rita por trair seu marido com o melhor amigo do mesmo, se esse crime fosse real nos dias de hoje o marido de Rita com certeza iria pagar pelo crime.

    repondre message

  • Efeitos da Lei Maria da Penha 21 de outubro de 2011 18:38, por Fabrício Santoro

    estive preso por 40 dias pq minha esposa mandou um oficial de justiça me afastar do lar, morando comigo e sabendo (é claro)q estava no local "proibido", peguei uma pena de 30 dias e mesmo quando fui libertado, fui perguntado sobre outros processos q eu tinha sobre "lei maria da penha"...ou seja, mesmo morando junto, ela ia sem eu saber, e fazia "denuncias" em delegacias da mulher, ñ sou contra a lei, mas virou moda, qualquer coisinha a mulher ir na delegacia..É MAIS FÁCIL DIZER PARA O MARIDO QUE QUER SE SEPARAR, estive preso com bastante pessoas na mesma situação, a mulher ñ quer mais nada e do nada resolve que é melhor ver o marido preso!!!! comentarios..
    cosmorj@hotmail.com ou orkurt: FABRÍCIO SANTORO

    repondre message

    • Efeitos da Lei Maria da Penha 23 de outubro de 2012 21:37

      UMA MULHER NÃO VAI A DELEGACIA A TOA, SEM TER SEUS MOTIVOS, O PIOR DOS CRIMES É O QUE ESTA DENTRO DE CASA POIS SOMENTE A MULHER SABE O QUE DE FATO ESTA PASSANDO,E SE CHEGOU A SER PRESO É PORQUE TEM CULPA NO CARTORIO SIM.

      repondre message

Responder a esta matéria