Ciranda internacional da comunicação compartilhada

agrega noticias de parceiros parcerias da ciranda
Megaeventos geram violação de direitos de crianças e adolescentes

Para pensar ações de combate a essas violações de direitos de crianças e adolescentes durante a Copa do Mundo de 2014 foi criado o Comitê de Proteção Integral da Criança e do Adolescente para os Megaeventos Esportivos.

Recurso do Ministério Público Federal não impede a continuação das obras de Belo Monte

O Tribunal Regional Federal (TRF) da primeira Região autorizou o retorno das atividades do Consórcio Construtor Belo Monte na última sexta-feira (20).

Novos estádios da copa refletem mercantilização do futebol

A remodelação dos estádios que vão receber a Copa do Mundo de 2014 traz um novo paradigma para as tradicionais formas de torcer.

Pesquisas revelam dados alarmantes sobre os gastos para a copa de 2014

Dos 20 estádios mais caros do planeta, metade se encontra no Brasil. A constatação é de que nunca se gastou tanto em estádios como no Brasil nesses últimos anos.

Página inicial > FSM > FSM 2012/2013 > CBN é repreendida no ar por comentário preconceituoso

CBN é repreendida no ar por comentário preconceituoso

terça-feira 5 de fevereiro de 2013, por Cecília Figueiredo

O pedido de desculpas não convenceu e foi preciso disparar emails ao programa. Este é mais um exemplo entre milhares que confirmam a urgência em regular a radiodifusão no Brasil

"Sabe aquela mulher bonita que está com Aids, sífilis e câncer...". Foi dessa forma que um dos comentaristas do programa "Quatro em Campo", referiu-se ao estado do Mineirão reaberto no último domingo. Um pedido de desculpas protocolar veio somente aos 39 minutos, provocado por mensagens que enviei ao "Fale Conosco" no site da rádio.

"A obra em si é bonita, maravilhosa. Parabéns. Mas, sabe aquela mulher bonita que está com Aids, sífilis e câncer?". A analogia foi feita na noite de ontem (4/2), por um dos comentaristas do programa "Quatro em Campo", da Rádio CBN, referindo-se aos problemas encontrados no Estádio do Mineirão, reaberto no último domingo (3/2). Ao ouvir a analogia preconceituosa (aos 2 minutos e 56 segundos de programa) utilizada pelo "phd" em futebol, Marcos Guiotti, disparei três ou quatro mensagens no link "Fale Conosco", disponível no site da rádio. Somente 39 minutos após o comentário preconceituoso é que um segundo jornalista do programa avisa: "Marcos Guiotti, por favor, a Cissa mandou um email e ela tem toda a razão. O senhor faça o favor de se retratar heim!". Guiotti então questiona: "De que? O que eu falei?". O comentarista, Paulo Massini, esclarece: "da história do Mineirão o senhor foi infeliz ao falar da mulher que tem problema....". O autor da frase diz então: "tá bom desculpa Cissa". Em tom de desdém, Massini faz apressada leitura da última mensagem enviada e que não foi a mesma que retornou respondida no corpo do email. O intervalo é chamado e a Globo encerra mais um caso de preconceito.

Bem, o pedido de desculpas não convenceu, até porque não se trata de um problema pessoal, tampouco de um ouvinte que acompanha esse programa noturno. Desdém à parte, o que se espera de um jornalista é o exercício da autocrítica, e não apenas da crítica, de retratar-se publicamente ao cometer uma incorreção ou destilar preconceitos. Na prática, este é mais um exemplo entre milhares que confirmam a urgência em regular a radiodifusão no Brasil. Sem controle público não avança a quebra de preconceitos. Avança apenas a indústria do espetáculo, que diariamente se traduz nos sucessivos casos de violência contra mulheres, negros, gays, lésbicas, travestis, enfim as maiorias.

Na noite de segunda (4/2) fiz um post no Facebook, pelo desrespeito a quem busca "informação" num veículo - beneficiário de concessão pública - e obtém preconceito, machismo, bulling. Hoje também inseri em redes sociais e blogs que tratam a informação de forma séria, como direito e não mercadoria. Certo é que ao lado de blogs e redes sociais, que vem assumindo cada vez mais papel de responsabilidade com a informação oferecida ao público, é urgente o controle social dos meios de comunicação. É mais que urgente haver regulação da radiodifusão, como já ocorre em pelo menos uma dezena de países, que nada tem a ver com a censura imposta durante os anos de chumbo, mas com o povo se enxergar, se ouvir, se sentir sujeito na construção de uma outra comunicação.

Segue o conteúdo do email respondido e que não foi o lido no ar na noite de segunda-feira:

De: Paulo Massini - Esporte - SGRSP (paulo.massini@cbn.com.br)
Enviada: segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013 22:53:59
Para: Cissa (cissamundolivresa@hotmail.com)

VC tem toda razão. O Guiotti já se retratou. Um beijo e obrigado pela participação.

De: Site CBN [cbn@cbn.com.br]
Enviado: segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013 22:21
Para: Paulo Massini - Esporte - SGRSP
Assunto: CBN | Fale Conosco - Cissa envia mensagem

NOME: Cissa
E-MAIL: cissamundolivresa@hotmail.com

Meus caros, vamos aproveitar a acidez das críticas para fazer autocrítica, que no jornalismo é bem importante. Concordaria com a maioria das críticas aos responsáveis em entregar o Mineirão inacabado, não fosse um dos comentaristas soltar a "pérola": "parecia uma mulher linda com Aids". Abaixo a discriminação senhor "formador de opinião".
http://tinyurl.com/aj6gtsv

Foto: Cecília Figueiredo

Responder a esta matéria