Ciranda internacional da comunicação compartilhada

agrega noticias de parceiros parcerias da ciranda
Megaeventos geram violação de direitos de crianças e adolescentes

Para pensar ações de combate a essas violações de direitos de crianças e adolescentes durante a Copa do Mundo de 2014 foi criado o Comitê de Proteção Integral da Criança e do Adolescente para os Megaeventos Esportivos.

Recurso do Ministério Público Federal não impede a continuação das obras de Belo Monte

O Tribunal Regional Federal (TRF) da primeira Região autorizou o retorno das atividades do Consórcio Construtor Belo Monte na última sexta-feira (20).

Novos estádios da copa refletem mercantilização do futebol

A remodelação dos estádios que vão receber a Copa do Mundo de 2014 traz um novo paradigma para as tradicionais formas de torcer.

Pesquisas revelam dados alarmantes sobre os gastos para a copa de 2014

Dos 20 estádios mais caros do planeta, metade se encontra no Brasil. A constatação é de que nunca se gastou tanto em estádios como no Brasil nesses últimos anos.

Agenda

Prevenção de violência sexual contra crianças e adolescentes estará em pauta na capacitação do radiotube.org.br em Florianópolis. - Oficinas gratuitas de rádio, vídeo e internet com foco em cidadania na Região Sul

Amazônia - Fórum Social Pan-Amazônico

Pará - Seminário: Diretrizes da Educação Escolar Quilombola

Vídeos

Cuidado: Israel quer ocupar a sua timeline

Rádio

Galerias de Fotos

Cada um(a) fazendo a sua parte



Artes

Página inicial > FSM > FSM 2012/2013 > Feministas do mundo debatem alternativas em SP

Feministas do mundo debatem alternativas em SP

terça-feira 27 de agosto de 2013

Marcha Mundial das Mulheres debate construção de alternativas feministas frente à ofensiva conservadora em segundo dia de Encontro.
Ao longo do dia, o movimento celebra a cultura afro-brasileira e presta sua solidariedade a Cuba.

No segundo dia de atividades do 9º Encontro Internacional da Marcha Mundial das Mulheres, as participantes discutem sobre as lutas e as formas de resistência coletiva propostas pelas mulheres nos diversos lugares do mundo. A programação cultural do dia tem como tema a celebração das matrizes afro-brasileiras. Quem abre as atividades no Memorial da América Latina é a delegação de mulheres da África. O evento se encerra no dia 31 de agosto, com uma manifestação nas ruas de São Paulo.

Frente ao aumento da militarização e o controle dos territórios e de seu corpo, as mulheres vêm buscando alternativas de enfrentamento, como as resistências pacíficas contra as companhias mineradoras, a defesa do direito ao aborto e da saúde pública e o combate à violência contra as mulheres. Esse é o tema da Conferência “Feminismo e construção de alternativas, que acontece às 9 horas. Na Conferência “A Marcha Mundial das Mulheres como movimento incontornável”, às 14 horas, elas debatem sobre o protagonismo da MMM nesses processos de resistência à militarização e resolução de conflitos armados. O debate será ainda um momento de reflexão sobre a história e os rumos do movimento.

Na Tenda da Solidariedade, às 19h30, as ativistas vão poder conhecer um pouco mais sobre a situação de Cuba.O espetáculo musical “Eu canto a minha história” vai perpassar três importantes períodos históricos vivenciados por nossa sociedade, em especial, pelo povo negro: abolição, ditadura militar e redemocratização do país. Ao final do dia, às 20h30, a delegação da Marcha do Maranhão traz bumba meu boi, cucuriá e saias rodadas para encerrar as atividades do segundo dia do 9º Enconotro Internacional da Marcha Mundial das Mulheres.

Resumo da programação - 27/08, terça-feira
Memorial da América Latina

Acolhidas pela África

Hora: 8h | Local: em frente ao auditório principal

9:00 Conferência Feminismo e construção de alternativas

Georgina Alfonso (Cuba), Magdalena León (Equador), Francisca Rodriguez (Chile) e Graça Samo (Moçambique).

Resistência em Palavras
13h-14h | Local: Palco Memorial

Dois poemas da americana Maya Angelou, um poema de Kabore Roland e um de Burquina Faso serão recitados. Na sequência, a poesia, a dança e um tambor colocarão todas as participantes para interagir.

14h - Conferência A Marcha Mundial das Mulheres (MMM) como movimento incontornável: balanço da MMM na resposta à conjuntura e na construção de alternativas
Judite Fernandez (Portugal), Emilia Castro (Quebec), Nana Aïcha Cissé (Mali) e Miriam Nobre (Brasil).

19h30 – Tenda da Solidariedade: Cuba
Por mais de 50 anos, Cuba sofre um criminoso embargo econômico, comercial e financeiro imposto pelos Estados Unidos. Esse embargo tem como objetivo enfraquecer e isolar o país e tudo o que ele representa enquanto desafio aos preceitos do capitalismo patriarcal. As tentativas de deslegitimar a experiência cubana, por parte dos países do centro do capitalismo, se dão em meio à grave crise e retirada de direitos dos trabalhadores e trabalhadoras. Visibilizar a luta das mulheres cubanas na construção de outro modelo de vida é essencial para reforçar os laços da região e para construir processos de integração regional verdadeiramente calcados na solidariedade e complementariedade. Participam da roda de conversa Elpidia Moreno, Carla López e Maria del Carmen Barroso, falando espanhol.

Celebrando as cores

19:30h | Local: Palco do Memorial

Eu canto a minha história: espetáculo musical embasado pela cultura afro brasileira que dialoga com as relações sociais de gênero. Perpassa três importantes períodos históricos vivenciados por nossa sociedade, em especial, o povo negro: abolição, ditadura militar e redemocratização do país (60 min.).

20:30 | Local: Mostra de Economia Solidária e Feminista
Culturarte Maranhense: Bumba meu boi, cucuriá e saias rodadas são parte da festa que as maranhenses prometem organizar.

O Encontro Internacional da MMM
Esta edição do Encontro Internacional da MMM, além de ser a oportunidade de encontro de militantes do movimento de todas as partes do mundo para importantes formações e deliberações, será um momento especial para o Brasil.
O país sedia pela primeira vez esse evento, dando um salto em suas proporções, que contava até a última edição com algumas centenas de participantes.
Também será o momento de encerramento de um ciclo. Durante o Encontro, será eleita a nova composição do Secretariado Internacional da Marcha. O grupo do Brasil, que tem estado à frente do movimento mundial nos últimos anos, terá sua sucessão definida. A gestão brasileira passa o bastão tendo alcançado diversas realizações e conquistas.
“Foram sete anos nessa missão, com várias ações internacionais, com uma conjuntura que se complicou ainda mais, marcada pela crise geral do sistema e o recrudescimento dos ataques conservadores. Faremos um balanço desse período que vai nos fortalecer para o que venha adiante”, conta Miriam Nobre, coordenadora do Secretariado Internacional da MMM.

Sobre a MMM
A Marcha Mundial das Mulheres é um movimento feminista internacional que surgiu no ano 2000 como uma grande mobilização que reuniu mulheres do mundo todo em uma campanha contra a pobreza e a violência. Atualmente, a MMM está organizada em mais de 150 países e territórios. Entre seus princípios estão a organização das mulheres urbanas e rurais a partir da base e as alianças com movimentos sociais. A Marcha defende a visão de que as mulheres são sujeitos ativos na luta pela transformação de suas vidas, e que essa transformação está vinculada à necessidade de superar o sistema capitalista patriarcal, racista, homofóbico e destruidor do meio ambiente.

Serviço:

9º Encontro Internacional da Marcha Mundial de Mulheres
25/08 a 31/08 em São Paulo, SP.
Organização: Secretariado Internacional da Marcha Mundial de Mulheres.

Programação do evento: WWW.marchamundialdasmulheres.org.br

Acompanhe nossa fanpage: WWW.facebook.com/marchamundialdasmulheres

Informações e credenciamento de imprensa

Bruna Provazi -985975570

Informações gerais

Tica Moreno – 982086248
Email: comunica@sof.org.br
www.marchamundialdasmulheres.org.br | www.sof.org.br

Responder a esta matéria