Ciranda internacional da comunicação compartilhada

agrega noticias de parceiros parcerias da ciranda
Megaeventos geram violação de direitos de crianças e adolescentes

Para pensar ações de combate a essas violações de direitos de crianças e adolescentes durante a Copa do Mundo de 2014 foi criado o Comitê de Proteção Integral da Criança e do Adolescente para os Megaeventos Esportivos.

Recurso do Ministério Público Federal não impede a continuação das obras de Belo Monte

O Tribunal Regional Federal (TRF) da primeira Região autorizou o retorno das atividades do Consórcio Construtor Belo Monte na última sexta-feira (20).

Novos estádios da copa refletem mercantilização do futebol

A remodelação dos estádios que vão receber a Copa do Mundo de 2014 traz um novo paradigma para as tradicionais formas de torcer.

Pesquisas revelam dados alarmantes sobre os gastos para a copa de 2014

Dos 20 estádios mais caros do planeta, metade se encontra no Brasil. A constatação é de que nunca se gastou tanto em estádios como no Brasil nesses últimos anos.

Agenda

Prevenção de violência sexual contra crianças e adolescentes estará em pauta na capacitação do radiotube.org.br em Florianópolis. - Oficinas gratuitas de rádio, vídeo e internet com foco em cidadania na Região Sul

Amazônia - Fórum Social Pan-Amazônico

Pará - Seminário: Diretrizes da Educação Escolar Quilombola

Vídeos

Cuidado: Israel quer ocupar a sua timeline

Rádio

Galerias de Fotos

Cada um(a) fazendo a sua parte



Artes

Página inicial > FSM > FSM 2012/2013 > Feministas fazem ação contra Vale

Feministas fazem ação contra Vale

quarta-feira 28 de agosto de 2013

No Brasil, em Moçambique, em todos os lugares onde atua, a Vale é acusada de exploração de recursos dos povos e violações de direitos das comunidades

Foto: Graça Samo, da MMM de Moçambique, denuncia a exploração da Vale. Foto: Elaine Campos

No final do segundo dia do 9º Encontro Internacional da Marcha Mundial das Mulheres (MMM), centenas de militantes feministas realizaram uma ação contra a multinacional da mineração Vale, aproveitando a presença do diretor de sustentabilidade da empresa para uma atividade no Memorial da América Latina, o mesmo lugar onde está sendo realizado o encontro feminista.

As militantes saíram do auditório do Memorial com vários cartazes e gritos de ordem contra a Vale. No pátio do Memorial, três militantes da MMM fizeram uso da palavra para contar como a Vale vem violando direitos em seus territórios. A moçambicana Graça Samo foi a primeira em denunciar o papel da Vale em seu país. A empresa vem sendo questionada por sua mina de ferro situada na província de Tete, onde tem desalojado comunidades, sem sequer tê-las indenizado.

A militante também denunciou o projeto Pro Savanna, promovido pelos governos do Brasil e do Japão junto ao governo de Moçambique para implementação de monoculturas de soja e cana-de-açúcar. O projeto ameaça se apropriar de grandes extensões de terras produtivas de camponesas e camponeses.

Tatiana Cibele da MMM do Pará denunciou que o lucro que a Vale faz com as reservas minerais em seu estado (uma das maiores do Brasil), é feito à base de destruição de florestas, violações de direitos trabalhistas, de direitos de comunidades indígenas, aumento da prostituição, entre outras.


Tatiane Cibele, da MMM do Pará. Foto: Elaine Campos.

Por último, Dona Lurdes da MMM de Minas Gerais, ressaltou que seu estado e a Bahia estão na mesma situação que o Pará, no que diz respeito a Vale e a mineração, contando ainda que estão previstos 5 projetos extrativos para o norte do estado. A militante mineira considerou positiva a criação do Comitê Nacional em defesa dos territórios frente à mineração, que está permitindo criar mesas redondas em diversos estados. Lurdes fechou sua fala cantando junto as militantes: “Eu não aguento, tanta humilhação/Não tem água pra beber/Mas tem para mineração”.

Baixe o áudio das falas e do ato em mp3 na Radio Mundo Real
.

Militantes da MMM de Moçambique e do Pará denunciam exploração da Vale. Foto: Elaine Campos.

Assista o vídeo da Catarse/Convergência de Comunicação dos Movimentos Sociais:

Ver online : Marcha Mundial das Mulheres

P.S.

Responder a esta matéria