Ciranda internacional da comunicação compartilhada

Festival SOCIAL EM MOVIMENTOS RIO+20

AA l’occasion de la Conférence des Nations Unies sur le développement durable, Rio +20, et du Sommet des Peuples, le festival “Social em Movimentos”, propose des films et des débats pour sensibiliser les citoyens autour de grandes questions sociales et environnementales en offrant un regard croisé entre la France et le Brésil.

Média libre annonce ses sujets vers Rio +20

II Forum mondial des Média libre aura lieu les 16 et 17 Juin, sur le campus de l’UFRJ dans le cadre du Sommet populaire. Consultez le calendrier

Des médias se réuniront à Rio pour promouvoir la communication libre. Venez participer !

Le IIe Forum Mondial des Médias Libres s’organisera selon un format ouvert avec des tables rondes, des conférences (débats libres), des ateliers et des assemblées plénières. Traduit par Elodie Dupau et Maxime Ferreol

Pour un protocole ouvert entre les réseaux libres

Le débat autour des interconnexions possibles entre les réseaux sociaux non corporatifs basés sur des logiciels et sur une culture libres, au service des personnes, des mouvements sociaux et de l’activisme mondial est ouvert ! N’hésitez pas à participer et à y contribuer. - Traduit par François Soulard

L’Afrique et le Machrek en route vers le 2ème Forum Mondial des Médias Libres en juin 2012 à Rio de Janeiro

La prochaine conférence des Nations unies sur le développement durable se tiendra à Rio de Janeiro (Brésil) du 20 au 22 juin 2012. Ce rendez-vous international, plus connu sous le nom de Rio +20, marque le 20ème anniversaire du 1er Sommet de la Terre qui a eu lieu à Rio en 1992.



Accueil > FSM > Povos indígenas buscam alternativas para crise ambiental

Indigenas

Povos indígenas buscam alternativas para crise ambiental

jeudi 11 août 2011, par Kélem Cabral

Na primeira conferência dos povos da floresta, lideranças indígenas de nove países amazônicos debatem temas globais

15 a 18 de agosto, Manaus, Amazonas, Brasil

Qual o posicionamento político dos indígenas da Amazônia Internacional ou Pan-Amazônia frente às grandes questões mundiais como as mudanças climáticas, REDD, o mercado de carbono, as relações com as instituições financeiras multilaterais, e a repartição de benefícios sobre recursos genéticos e saberes tradicionais ?

Para responder a essas e outras questões, centenas de lideranças de Brasil, Bolívia, Peru, Colômbia, Equador, Venezuela, Guiana, Guiana Francesa e Suriname, se reúnem em Manaus, Amazonas, Brasil, de 15 a 18 de agosto, no “Grande Encontro dos Povos – Saberes, Povos e Vida Plena em Harmonia com a Floresta”.

O objetivo é unir as organizações dos povos indígenas e dialogar junto a movimentos ambientalistas mundiais e instituições sociais e internacional, para construir - respeitando a diversidade e saberes tradicionais- , uma alternativa a sobrevivência da Floresta e de todas as formas de vida do planeta.

O evento é organizado pela COICA – Coordenação das Organizações Indígenas da Bacia Amazônica, em parceria com a COIAB – Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira, e conta com a participação centenas de lideranças indígenas, por meio de 10 representantes locais e regionais de cada um das nove confederações nacionais dos povos indígenas da Amazônia : Brasil (COIAB), Peru (AIDESEP), Bolívia (CIDOB), Colômbia (OPIAC), Equador (CONFENIAE), Venezuela (ORPIA), Guiana (APA) Suriname (OIS) e da Guiana Francesa (FOAG).

Esse Grande Encontro irá tomar decisões estratégicas sobre temas relacionados à Amazônia e para toda a humanidade, debatendo propostas das lideranças indígenas e representantes do sistema das Nações Unidas, europeus e sul-americanos, os bancos multilaterais, ambientalistas e movimentos sociais, nas escolhas de ações específicas sobre os processos globais.

Pensando juntos, do local ao global, as organizações também reafirmarão a luta pelo reconhecimento dos direitos coletivos de defesa e sobrevivência da vida povos indígenas da Amazônia e defesa legal de seus territórios, assim como o respeito ao meio ambiente e do ecossistema amazônico.

Os povos indígenas, representados no evento, defendem que a Amazônia e seu modo de vida tradicional contribuem para a estabilidade climática global, o desenvolvimento econômico sustentável, o uso e gestão da biodiversidade e da conservação e uso sustentável das florestas, bem como o respeito e reconhecimento dos conhecimentos ancestrais e a propriedade intelectual coletiva dos povos indígenas, entre outros.

Temas e debates do Grande Encontro :
• Processos para Redd + (Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação) : FCPF UNREDD, FIP e mecanismos de subvenção para os Povos Indígenas, Cooperação Global REDD ;
• COP 17 Convenção-Quadro sobre Mudança do Clima das Nações Unidas (Durban, Novembro 2011) ;
• Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a Rio + 20 (Brasil, junho 2012) ;
• Conferência das Partes, a Convenção COP 11 sobre Diversidade Biológica (Coréia, outubro de 2012) ;
• Congresso Mundial de Conservação da IUCN (Índia, setembro de 2012)

Solidariedade entre os povos - ATO CONTRA BELO MONTE

16 agosto, às 17 horas, Largo do Mestre Chico, centro de Manaus (AM/Brasil)

Danças, rituais, cantos e gritos de protestos estarão presentes em um grande ato de solidariedade entre os povos e Contra o Complexo de Belo Monte, no coração de Manaus, no dia 16 de agosto.

Os centenas de indígenas presentes no Grande Encontro sairão em marcha, a partir das 17 horas, do hotel Taj Mahal, local do evento, até o Largo Mestre Chico, no centro de Manaus, em defesa dos povos e rios do Xingu, como também, bradando em uma única voz, contra os grandes projetos energéticos para todos os países da Amazônia.

No Largo Mestre será instalado um palco para que a população de Manaus possa se unir a essa grande festa de alegria e protesto, pela defesa da Amazônia e dos povos da floresta.

Já estão confirmadas as presenças de grupos de dança dos índios Ticuna, de grupos afros, com o Samba de Criola e também do cacique kayapó Raoni Txucurramãe, que falará sobre a resistência dos povos do Xingu que há mais de 30 anos lutam contra o Complexo Hidrelétrico de Belo Monte.
Haverá ainda exposição e venda de artesanatos em uma feira de economia solidária indígena.

Mais informações :
Roberto Espinoza (Coica) 092 – 8425-6482 (espanhol)
Diego Janatá (Coiab) 092 – 8206-3417 (português)

Voir en ligne : COIAB

P.-S.

Répondre à cet article