Página inicial > Ciranda Mundi > Fórum Social Mundial amplia debate e quer ação global contra guerra

Fórum Social Mundial amplia debate e quer ação global contra guerra

sexta-feira 27 de setembro de 2002, por Marco Aurélio Weissheimer,

Fórum Social Mundial amplia debate e quer ação global contra guerra

Marco Aurélio Weissheimer, Agência Carta Maior

A pauta e a agenda dos fóruns regionais e temáticos que serão realizados nos próximos meses estarão intimamente ligadas à evolução da conjuntura internacional. As mudanças organizativas e metodológicas introduzidas no FSM 2003 pretendem ampliar a capacidade de intervenção do movimento nesse cenário.

Clic para aumentar
O tema da guerra será uma pauta central desses encontros. A iminente ofensiva dos Estados Unidos contra o Iraque pode originar um novo cenário mundial de contornos ainda imprevisíveis. No Fórum Social Europeu, em Florença, deverá ser organizada uma grande manifestação contra a guerra como opção para enfrentar o problema do terrorismo.

O III Fórum Social Mundial, que será realizado de 23 a 28 de janeiro, em Porto Alegre, pretende estender e consolidar o processo de mundialização do movimento que luta por uma globalização solidária e por um novo patamar na relação político-econômica entre as nações. No momento em que o mundo enfrenta a ameaça de uma nova guerra, de proporções imprevisíveis, o FSM quer também denunciar o processo crescente de militarização da agenda política global, especialmente a partir da divulgação da nova doutrina Bush. Através dela, o governo dos Estados Unidos quer firmar sua posição como polícia do mundo e legitimar seu direito de agir unilateralmente em qualquer parte do planeta sempre que julgar que seus interesses estão ameaçados.

Durante o lançamento do FSM 2003, realizado dia 23 de setembro em Porto Alegre, os organizadores do Fórum apresentaram os objetivos estratégicos do encontro e as novidades que serão introduzidas em sua terceira edição. A expectativa é que o número de participantes em 2003 gire em torno de 100 mil, contra 60 mil em 2002 e 20 mil em 2001. A terceira edição do FSM terá novidades em relação aos eventos anteriores. O Conselho Internacional do Fórum aprovou uma proposta de organização com cinco eixos temáticos ao invés de quatro. Para cada eixo serão organizados múltiplos painéis, além de conferências. Cada eixo será dividido em cerca de seis sub-temas. Além dos painéis e conferências, o FSM de Porto Alegre contará com inúmeras outras atividades, como oficinas, seminários, mesas de controvérsias, testemunhos, atividades culturais, o acampamento da juventude, coletivas de imprensa, entre outras iniciativas auto-organizadas pelos próprios participantes.

Os eixos temáticos

O Conselho Internacional definiu cinco eixos temáticos para o FSM 2003. Cada eixo é concebido como um catalisador de preocupações, propostas e estratégias que já são desenvolvidas pelas organizações participantes do processo Fórum Social Mundial. Os cinco eixos temáticos são:

1. Desenvolvimento democrático e sustentável
2. Princípios e valores, direitos humanos, diversidade e igualdade
3. Mídia, cultura e contra-hegemonia
4. Poder político, sociedade civil e democracia
5. Ordem mundial democrática, luta contra a guerra e pela paz

Conferências e painéis

Em torno de cada eixo temático será organizada pelo menos uma grande conferência. As conferências têm a finalidade de socializar visões e análises para o grande público do FSM. Elas devem contribuir para o fortalecimento de um amplo movimento de opinião voltado para a urgência de construir “outros mundos” diante das ameaças e limites da globalização econômico-financeira do neoliberalismo. Os painéis, estruturados por eixos temáticos, representam o mapa das ações e a face pública do FSM, como encontro da sociedade civil mundial. Neles, serão explicitadas as grandes questões, propostas e estratégias de luta para mudar o atual modelo de globalização e começar a criar outros cenários globais.

Além das conferências e painéis, o FSM contará mais uma vez com um espaço para testemunhos. Os testemunhos são depoimentos de personalidades - ou grupos de pessoas que atuam numa mesma área - cujas trajetórias exemplares de vida e ação em defesa da liberdade e da dignidade humana apontam caminhos para um novo mundo. Eles foram concebidos como uma forma de valorizar o patrimônio político-cultural do campo das entidades, organizações e movimentos que constroem o FSM.

Mesas de diálogo e controvérsia

Uma das principais novidades do FSM 2003 serão as mesas de diálogo e controvérsia, um espaço destinado a confrontar visões e propostas de delegados com convidados de partidos políticos, governos e organizações da ONU. O Conselho Internacional do Fórum pretende eleger questões polêmicas em que o estabelecimento do diálogo e da controvérsia, segundo regras previamente acertadas, possa ser útil na construção de propostas e estratégias do movimento.

O Fórum também contará com seminários e oficinas sobre temas relacionados aos conteúdos dos cinco eixos temáticos. As oficinas são atividades propostas pelas entidades que participam do FSM com delegados. Elas funcionam como uma espécie de fábrica do Fórum e têm a finalidade de permitir o encontro, a troca de experiências, a articulação e a definição de estratégias de grupos, redes, movimentos e organizações.

Fóruns Sociais pelo Mundo

Desde a primeira edição do FSM, seus organizadores trabalham para ampliar o movimento para outros continentes. A partir deste ano, esse processo começa a apresentar resultados concretos. Em Porto Alegre, haverá um espaço reservado para os debates sobre os Fóruns Regionais e Temáticos. Serão organizadas atividades para que os diferentes Fóruns Sociais que serão realizados antes do encontro de Porto Alegre possam se manifestar. A idéia é dar visibilidade ao processo de mundialização do FSM, respeitando a autonomia, características e dinâmica específica de cada Fórum realizado.

Além do Fórum Social Temático Argentina, realizado de 22 a 25 de agosto em Buenos Aires, estão programados os seguintes fóruns regionais:

Fórum Social Europeu - 7 a 10 de novembro, em Florença (Itália)
Fórum Social Asiático - 2 a 7 de janeiro de 2003, em Hyderabad (Índia)
Fórum Social Pan-Amazônico - 16 a 19 de janeiro de 2003, em Belém (Brasil)
Fórum Social Mediterrâneo - final de novembro de 2003, na Espanha
Fórum Social Pan-Americano - outubro de 2003 (data e local a confirmar)
Fórum Social Temático Palestina - Está previsto um encontro preparatório em Chipre (a confirmar).

O tema da guerra será uma pauta central desses encontros. A iminente ofensiva dos Estados Unidos contra o Iraque pode originar um novo cenário mundial de contornos ainda imprevisíveis. No Fórum Social Europeu, em Florença, deverá ser organizada uma grande manifestação contra a guerra como opção para enfrentar o problema do terrorismo. O mesmo deverá ocorrer no Fórum Asiático e no Fórum da Palestina, ainda em fase de organização. A crescente ameaça de escalada dos conflitos militares acabou colocando os temas da guerra e da paz no centro da agenda política do Fórum Social Mundial. A luta por um “outro mundo” adquire, assim, um primeiro objetivo concreto: a denúncia das políticas militaristas e a busca de soluções pacíficas e negociadas para os conflitos entre as nações. Assim, a pauta e a agenda dos fóruns que serão realizados nos próximos meses estarão intimamente ligadas à evolução da conjuntura internacional. As mudanças organizativas e metodológicas introduzidas no FSM 2003 pretendem ampliar a capacidade de intervenção do movimento nesse cenário.

Marco Aurélio Weissheimer é correspondente da Agência Carta Maior em Porto Alegre.

[Artigo tirado da sección ’perspectivas’ de ’Agência Carta Maior’]