Página inicial > Ciranda Mundi > Carta Aberta dos Trabalhadores na Lada ao Primeiro-Ministro (...)

Rússia

Carta Aberta dos Trabalhadores na Lada ao Primeiro-Ministro Putin

quinta-feira 22 de julho de 2010, por Sérgio Bertoni, Sérgio Bertoni

Todas as versões desta matéria: [Português] [Português do Brasil]

Sindicato Interregional dos Trabalhadores na Indústria Automobilística

“Edinstvo” - Organização Sindical de Base dos Trabalhadores na OAO "AvtoVAZ"

Comitê Sindical

445.043 Togliatti Região de Samara
Caixa Postal 5709 str. Borkovskaya, 50, comm.121
Tel. - Fax: (8482) 53 - 41-48
E-mail: profedinstvo@yandex.ru

Número ____________ ____________
sobre o número _________de___________

Ao Presidente do Governo RF
V.V. Putin

Caro Vladimir Vladimirovich!

Nós, membros do “Edinstvo” - Comitê Sindical dos Trabalhadores na OAO "AvtoVAZ" ficamos surpresos ao ver no canal de televisão central como o Senhor e o governador da região de Kemerovo A. Tuleev discutiram a questão do aumento dos salários dos mineiros. Vossa senhorias decidiram estabelecer um piso mínimo de 40 mil rublos para o salário mensal de um mineiro.

Sabemos que, muito antes da recente tragédia na mina Raspadskaya, o sindicato dos mineiros reivindicou junto aos empregadores uma mudança na tabela salarial dos mineiros visando conquistar aumentos salariais. Mas os empregadores rejeitaram a proposta do sindicato argumentando que não há necessidade de mudança e que faltariam recursos para tanto. A greve ocorrida naquela ocasião foi reprimida e os organizadores da mesma foram perseguidos. Somente depois da tragédia na mina Raspadskaya, as reivindicações dos mineiros são atendidas de forma tão estranha.

A lei prevê dois sujeitos nas relações de trabalho: o empregador e o Trabalhador ou seu sindicato, e eles, como parte da sociedade civil, desenvolvem entre si um relacionamento, buscando um balanço de interesses. O Estado deve apenas criar condições para a igualdade de forças e de possibilidades das partes nas relações do trabalho. Mas em nosso país, infelizmente, menos e menos os conflitos entre trabalhadores e empregadores são resolvidos com a ajuda da legislação vigente. Mais e mais representantes do atual governo da Rússia interveem em tais conflitos. Tais métodos são normalmente utilizados em sistemas totalitários de organização da sociedade. Acreditamos que o Governo não deve se envovler em cada uma das situações de conflito existentes, mas fazer com que as disposições legais na Rússia sejam respeitadas integralmente, para que as leis promulgadas realmente igualem as possibilidades das partes nas relações do trabalho.

O “Edinstvo” - Comitê Sindical dos Trabalhadores na OAO "AvtoVAZ", juntamente com os Trabalhadores na empresa, desde 2007 reivindica junto a direção da AvtoVAZ o estabelecimento de um piso mínimo de 25 mil rublos para o salário dos Trabalhadores nesta empresa. Os representantes regionais do partido “Rússia Unida” afirmaram em suas campanhas eleitorais que este piso salarial é possível. Porém, aos representantes de nosso sindicato é negado acesso às informações sobre a situação economico-financeira da empresa. Não nos deixam participar das discussões sobre a reestruturação da OAO AvtoVAZ. Muitas das questões que afetam os interesses dos trabalhadores são resolvidos nos bastidores e os Trabalhadores são colocados diante de fatos consumados, criando conflitos e tensões sociais na empresa.

Como se criou uma tendência de resolver, com vossa participação, situações de conflito similares em outras empresas da Rússia e dado que o Governo da Rússia é o grande empregador no país, pedimos-lhe para definir o piso salarial na AvtoVAZ para os Trabalhadores com baixa qualificação profissional, no valor de 25 mil rublos (R$ 1.456,50 *), mantendo o atual sistema de grade salarial.

Aprovado por unanimidade na reunião do sindicato em 05 de julho de 2010, na cidade de Togliatti

Petr Zolatariov
Presidente do Edinstvo

Enviada por Sindicato Edinstvo, de Tolliatti, Rússia

* Segundo o Banco Central do Brasil em 21.07.2010 R$ 1,00 equivale a 17,13 rublos russos