Página inicial > FSM WSF > FSM 2011 > Muito dinheiro pra empreiteiras e pouco pra educação

Muito dinheiro pra empreiteiras e pouco pra educação

domingo 31 de julho de 2011, por Marco Amarelo,

No dia do sorteio das eliminatórias, evento que abriu os “festejos” para celebração da Copa do Mundo no Brasil em 2014, movimentos sociais protestaram com o intuito de denunciar as contradições produzidas com a realização deste mega evento no país.

O ato que começou no Largo do Machado e caminhou até a Marina da Glória, onde acontecia o sorteio, unificou as mobilizações dos trabalhadores da educação, que estão em greve desde o dia 7 de Junho, e as do Comitê Popular para a Copa do Mundo e as Olimpíadas. O ponto central que se discute é que há muito dinheiro sendo destinado para reorganização urbana, embelezamento da cidade, forte segurança para o cinturão de bairros nobres da cidade. Enquanto isso, diminuem os recursos para o desenvolvimento social da cidade: como educação, saúde e saneamento básico.

Para Marcos Alvito, da Associação Nacional de Torcedores, todas as obras que estão realizadas por conta da Copa só servirão para um pequena elite, enquanto a maioria da população sofrerá consequências graves com este processo. Entre os problemas relacionados está a remoção massiva de comunidades das áreas do entorno do corredor para a Zona Sul, que está impactando a vida de milhares de famílias. Para Marcos, está se investindo muito dinheiro público em que os resultados não poderão ser apropriados pela população. “Constroem-se grandes estádios monumentais com dinheiro do povo aos quais a grande massa não terá acesso depois de prontos. Elitiza-se o futebol apropriando-se do dinheiro público. Isso é um atentando a cultura tradicional do Brasil, que tem uma ligação muito forte com o futebol”. Indigna-se Marcos.

Ele ainda se pergunta, “quem lucrará com tudo isso? A empreiteira, o político corrupto, as redes de televisão e a FIFA, uma das maiores entidades privadas do planeta”. E complementa “quem perderá? No final das contas quem perde é o contribuinte brasileiro e as comunidades pobres na mira da especulação imobiliária”. Reafirma inconformado.

Veja também: Protesto repudia os crimes do Estado no rastro da Copa e das Olimpíadas no Brasil


Ver online : O Homem Amarelo


Informou Marco Amarelo para a Ciranda Internacional de Notícias e ao Coletivo Soylocoporti.