Página inicial > BRASIL > Diário Não Oficial do Brasil - Dia 57/365

Diário Não Oficial do Brasil - Dia 57/365

terça-feira 26 de fevereiro de 2019, por Fátima Froes,

Ontem completou um mês do crime de Brumadinho. 179 corpos encontrados. Hoje temos clareza que foi um crime premeditado.

1- O site de extrema direita, O Antagonista, informa que o personal trainer do presidente da caixa econômica federal foi contratado ganhando a bagatela de trinta mil reais. Seu papel será de consultor do presidente. Cínico, ele pretende ficar em forma com dinheiro público e segue a linha dos Bolsonaros. Na Bahia, um cliente, negro, que insiste em resolver um problema na sua conta, espera por 4 horas um gerente, que manda prendê-lo. Este é o papel da CEF no atual governo... Racismo institucional e locupletação.

2- O Ministro da Educação age como se estivesse na sua prorpriedadezinha privada e resolve que os alunos de escolas públicas e particulares deverão ouvir diariamente o slogan da campanha de Bolsonaro. O slogan é semelhante à trilha sonora utilizada pelos nazista à época, e tudo isso, para escárnio geral, cantando o hino nacional. A determinação foi enviada por email, como sempre escrito em péssimo português, e virou a estrela dos absurdos do dia de ontem.

3- Ontem completou um mês do crime de Brumadinho. 179 corpos encontrados. Hoje temos clareza que foi um crime premeditado. Com o fim de economizar uma reforma, apesar da barragem já estar trincada. Talvez os corpos não sejam encontrados, afinal de contas foram 12 milhões de metros cúbicos de rejeitos jogados sobre a cidade. Jogar os rejeitos sobre Brumadinho foi uma medida mais econômica. A vida não vale nada para a Vale. O dossiê completo está no sítio do MAB, Movimento de Atingidos pelas Barragens.

4- Queiroz e assessores de Flávio Bolsonaro, continuam desaparecidos. Os crimes eleitorais cometidos para catapultar os milicianos ao planalto, continuam impunes. A campanha custou laranjais inteiros.

5- A mais deprimente, mas infelizmente verdadeira, análise sobre os eleitores de Bolsonaro foi publicada no site do 247 em uma entrevista com Marcos Coimbra, que indica que as mulheres pobres e evangélicas garantiram a eleição do ex-capitão. Mulheres que junto com seus filhos, serão vítimas principais da política genocida. É um quadro triste sobre o qual nós, da esquerda e do movimento feminista temos que nos debruçar. Os pastores,orquestrados, no controle dessa população.

6- E o Brasil ainda se prepara para fazer papel de bucha de canhão de Trump. Há a suspeita, conforme o site sputniknews, de que a ajuda humanitária enviada à Venezuela pelo governo estadunidense continha "alimentos vencidos e medicamentos fora de prazo e inutilizáveis". Era um ato de extermínio? Vamos comprar armas e munição? Será que compraremos porta-aviões? E munição, para enviarmos nossos soldados para a morte por: Petróleo acima de tudo, Trump e seu capitalismo tosco acima de todos?

Música de Juca Chaves de 1960:
"Brasil já vai à guerra
Comprou porta-aviões
Um viva pra Inglaterra
De 82 bilhões"
Ha! Ha!, mas que ladrões"

Confira as todas as colunas:
Diário Não Oficial do Brasil