Página inicial > BRASIL > Diário Não Oficial do Brasil - Dia 61/365

Diário Não Oficial do Brasil - Dia 61/365

sábado 2 de março de 2019, por Fátima Froes,

Ontem completaram dois meses da presença da bolsofamília no planalto. Pensei em fazer, hoje, uma avaliação, mas é tudo tão degradante, que a avaliação vai se limitar a alguns poucos aspectos

1- Nos transformamos no paraíso do agrotóxico. Dois agrotóxicos novos a cada três dias, o que significa mais drogas pesadíssimas, mortíferas, na alimentação do brasileiro. Muitas dessas substâncias já foram proibidas em outros lugares do mundo.

2- Perdemos mercado internacional e imagem. Somos uma piada de mau gosto, com um chanceler que não sabe o que significa diplomacia. Mas nenhum dos ministros sabe qualquer coisa sobre a sua área.

3- A inteligência e formação são coisas ofensivas. A indicação de uma cientista política com um currículo real, e não daqueles inventados, para a suplência de um conselho, cargo não remunerado, foi considerada ofensiva aos brutamontes. Teve que baixar as cortinas rápido.

4- O governo ainda consegue ter 38% de aprovação. Isso é um escândalo. Não adianta mostrar que é milícia, que a honestidade passou longe do planalto, que os ministros, mesmo o da educação, são semianalfabetos. Que com ressalva daqueles que têm mestrado e doutorado mas ainda assim não conseguem passar no exame da OAB, sobram currículos fraudados. Que o baixo custo da campanha é uma mentira, e quem menos comete crime comete falsidade ideológica. Que os assassinos de Marielle estão de mãos dadas com o planalto. Ainda assim há quem aprove.

5- Os combustíveis da manutenção dessa base são o ódio e o obscurantismo. O mais vazio dos projetos que o ódio pode conter, dependente exclusivamente da invenção constante de um inimigo externo que sirva como cortina de fumaça.

6- O bolsofilho, na falta do que fazer, porque acha que parlamentar é só para ganhar dinheiro e posar de machinho básico, se comporta como se estivesse no whatsapp da família, fazendo intrigas e comandando a massa ignara.

7- Não conhecem a história contemporânea do país. E apoiam a abjeta proposta do ministro da (Des)Economia de esvaziar o IBGE. Se os bolsosseguidores, ignorantes, tivessem a mínima capacidade de leitura de dados, saberiam que o período Lula/Dilma foi o mais feliz e de maior longevidade para todas as crianças do país. Que o acesso a educação não foi usado para repetir slogans nazistas, ao invés disso nunca houve tanto transporte escolar nos municípios para viabilizar a presença das crianças nos bancos escolares, que os médicos cubanos vieram levar atendimento onde os médicos brasileiros se recusaram a ir, que salvaram vidas de milhares de crianças, que o pré-sal seria investido em saúde e educação. E que não havia fome no país.

Mas a história está ai, pra purgar essas dondocas ignorantes e machinhos básicos que não conhecem o que é dignidade. Que não se importam com a inexistência de provas para os crimes dos quais Lula é acusado, só a convicção de ex juízes. Elas e eles não vão durar, serão varridos para o lixo da história, com suas arminhas gestuais, porque não têm projeto para o país, e isso não tem mentira em grupo de whatsapp que possa sustentar.

#ForçaLula! #LulaLivre!

Confira as todas as colunas:
Diário Não Oficial do Brasil