Página inicial > BRASIL > Diário Não Oficial do Brasil - Dia 69/365

Diário Não Oficial do Brasil - Dia 69/365

domingo 10 de março de 2019, por Fátima Froes,

51º dia de blindagem do Bolsofilho, que falta ao seu trabalho de parlamentar para passear em Cancún e se hospedar com diária de R$1.000,00.

Muita dificuldade em conseguir atualização dos dados de Brumadinho. Fábio Schvartsmann continua impune.

69º dia não é nada erótico, como o número sugere, mas altamente escatológico. Muito pior que a famosa mamadeira de piroca inventada por mentes imundas e aceita como verdade por mentes insanas e mais imundas ainda, e que ajudou a eleger a bolsofamília.

1- A revista Época faz uma reportagem sobre o presidente eleito, vai à sua cidade natal para descobrir que desde a infância ele era violento e discriminatório com mulheres, uma ex-colega de infância fala das perseguições e xingamentos, mas ele também apanhava.

2- O racismo também já era claro. Foi sobre um quilombo nessa cidade que o presidente eleito se referiu, em uma palestra em São Paulo, citando o peso dos moradores em arroba. Foi condenado a recolher 50 mil para o Fundo Federal de Defesa dos Direitos Difusos.

3- A fixação em politicamente incorreto vem, talvez, desde aí. Não esqueçamos que dentro da sua queda para o escatológico está a admiração por Ustra, o torturador que colocava ratos e insetos na vagina das mulheres e Stroessner, o também torturador, e pedófilo.

4- Mas a escatologia, vai além das questões de gênero e de raça. O enriquecimento da família, como sugere a reportagem, gera desconfianças na região.

5- Hoje a família, outrora humilde, controla um pequeno império no comércio de eletrodomésticos, sapatos e materiais de construção no Vale da Ribeira. De acordo com a Época 30 empresas registradas em 8 municípios, incluindo filiais, em nome dos irmãos, da mãe e sobrinhos.

6- Parentes assessores de deputados ao tempo que tocam seus comércios, lá tem. A laranja é antiga na família, outro aspecto escatológico para alguém de vida pública tão longa.

7- O enriquecimento da família, de forma súbita, desde 2005, deixa os moradores perplexos. Eles possuem mais de 70 imóveis. O negócio mais significativo é uma lotérica que tem movimento suspeito. Onde produtores de banana chegam pelas portas dos fundos e não tem coaf certa para investigar.

8- A reportagem é de julho de 2018, só está novamente circulando em rede. Então não me diga, caro eleitor de bolsonaro, que você foi enganado. Escatologia e imoralidade em todos os níveis vemos por aqui.

Confira as todas as colunas:
Diário Não Oficial do Brasil