Página inicial > BRASIL > Diário Não Oficial do Brasil - Dia 113/365

Diário Não Oficial do Brasil - Dia 113/365

terça-feira 23 de abril de 2019, por Fátima Froes,

93º dia de blindagem do bolsofilho. O desaparecimento de Queiroz é motivo de piada no mundo inteiro. O silêncio cúmplice das alas militar, psiquiátrica e miliciana, também. Crime de Brumadinho: 230 pessoas mortas e 40 pessoas desaparecidas.

1. Hoje é o dia de São Jorge, o dia da eterna luta do dragão da maldade contra o santo guerreiro, eternizada por Glauber Rocha. O nosso entreguista presidente avança com seu hálito de enxofre maléfico contra o nosso cinema. Impede o financiamento, paralisa a Ancine. Não são atos impensados. Com o crescimento da nossa produção cinematográfica, o momento da grande retomada do cinema brasileiro, as majors americanas ficam insatisfeitas. É inaceitável um mínimo de independência e de fatia de mercado. Quanto maior a qualidade do cinema, mais ataques vai sofrer.

2. Conforme a cineasta Petra Costa a indústria do audiovisual é um setor comparável às industrias farmacêutica e têxtil, e é responsável pelo emprego de 300 mil brasileiros. Mas esse não é o foco desse (des)governo, não é isso que importa a eles.

3. A justificativa para acabar com o patrocínio da Petrobrás à cultura brasileira é veiculada num vídeo que trata de produtos não financiados pela Petrobrás. A mentira é o hábito. Acostumado com uma claque de robôs, não suporta a realidade, nem a verdade. Ganhou as eleições tratando seus eleitores e seguidores como incapazes, continua fazendo de conta que faz sucesso e segue delirando sem ligar para as consequências.

4. Enquanto isso, nos porões, é decretado sigilo sobre os estudos que embasam a proposta de reforma genocida da previdência. Porque se mostrar a realidade todos terão ciência do tamanho do crime que está sendo tramado. É realmente a solução final, talvez seja por isso que eles estão "perdoando" o holocausto. O presidente da câmara reage, mas eles contam com o poder de compra, valendo quaisquer moedas, inclusive emprego para mães.

5. Quem nasceu para capitão do mato nunca chega a Dilma Rousseff. Um certo presidente tenta imitar uma presidenta e sai passeando de moto numa praia do litoral paulista. Só que com o capacete sendo utilizado de forma errada. Porque não tem compromisso com o cargo nem com a juventude, porque não cumpre as leis de trânsito, porque pensa que a lei é para os outros e cai, mais uma vez, no ridículo.

6. E para completar o clima de dragões de mau hálito, a guarda civil da cidade de ouro preto se assume como milícia e destrói uma homenagem a Marielle Franco nos tapetes de serragem que decoram a celebração local da semana santa. O braço armado da cidade mineira decreta que "liberdade de expressão não é absoluta" e que são eles que determinam as homenagens que a população pode fazer. E avisam que já tinham dado esse recado em 2018. São as milícias no comando do país, eles decidem quem deve ser homenageado ou não. Nesses tempos de moral ao avesso a pratica vigente é homenagear os assassinos.

Marielle Vive!!

Oração de São Jorge (Domínio Público)

"Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge, para que os meus inimigos tendo pés não me alcancem, tendo mãos, não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal. Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo toca, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar"

Confira as todas as colunas:
Diário Não Oficial do Brasil