Página inicial > BRASIL > Diário Não Oficial do Brasil - Dia 149/365

Diário Não Oficial do Brasil - Dia 149/365

quarta-feira 29 de maio de 2019, por Fátima Froes,

O governo e o poder da caneta Bic, policia política, universidade monitorada

1. De acordo com a wikipedia, a Bic é uma empresa francesa com sede em Clichy. Fundada em 1945, é conhecida por fabricar produtos à base de plásticos, incluindo isqueiros, canetas, aparelhos de barbear, pilhas e também caiaques. Compete com a Faber-Castell, Gillette (marca), 3M, Newell Rubbermaid e Stabilo.

2. Não encontramos indícios aparentes de patrocínio da Bic à campanha do presidente do brasil, seria interessante descobrir qual o efeito da caneta Bic na cabeça das pessoas depois dos diversos constrangimentos que ela nos faz passar.

3. É algo próximo ao constrangimento de ter a presença de um miliciano no planalto. "Minha caneta tem mais poder que a sua", diz o presidente eleito ao presidente da câmara, mostrando que maturidade é zero. Rodrigo Maia faz leis e ele, o imperador, faz decretos. Assim ele informa aos seus súditos (hein?), o poder da caneta Bic lá dele.

4. Para reforçar e garantir o poder da caneta imperial a advocacia geral da união pede ao STF para liberar operações policiais dentro das Universidades. Uma polícia política para fazer o patrulhamento dos cidadãos professores, que no entender do governo não podem expressar opiniões próprias em temas que o governo considere polêmicos. Querem que na Universidade, monitorados pela polícia, os professores só expressem uma ideia única, a ideologia do imperador.

5. Mas nem só de caneta vive um imperador, e os senadores ruralistas se tranquilizam com o anuncio de que o presidente disfuncional eleito não assinará nenhum pedido de demarcação de terras indígenas.

6. E apesar de tudo isso, se anuncia um pacto entre o executivo, o legislativo e o STF, que será assinado provavelmente no início de junho, e estabelece metas supostamente de interesse da sociedade brasileira. Imaginem a minha surpresa com a notícia. Na minha inocência imaginava que o pacto do stf fosse exclusivo com a independência na garantia da ordem constitucional e da integridade dos direitos fundamentais. Não consigo vislumbrar outro pacto ou metas possíveis. Enfim, só reflexões acerca do que resta para ser preservado.

Em tempo: As ações da Société BIC SA (BICP) continuam em queda.

Confira as todas as colunas:
Diário Não Oficial do Brasil