Página inicial > BRASIL > Diário Não Oficial do Brasil - Dia 170/365

Diário Não Oficial do Brasil - Dia 170/365

quarta-feira 19 de junho de 2019, por Fátima Froes,

10º dia do congegate. 150 dias de blindagem do bolsofilho. Queiroz ? Cadê ?

Dia da imprensa colocar diversas luzes sobre velhos crimes da direita-trombadinha, que toda o mundo da informação minimamente responsável e lúcido já tinha apontado mas que a horda fascista criava nuvem de fumaça.

1. Tacla Durán - a revelação com detalhes do esquema do que o advogado aponta como esquema de extorsão dentro da operação Lavajato, envolvendo um determinado operador de um escritório de advocacia que chantageava possíveis futuras vítimas de delações, agora é divulgado pelo sítio de notícia, UOL.

2. O coronelzão de higienópolis isentão, FHC, o sopa de letrinhas. Isento de seus crimes, em conluio com os operadores juizes&associados, jamais seria investigado, a não ser para fingir que não cometeu crimes. A Revista Digital The Intercept, que teve acesso aos conluios dos associados, revelou detalhes. O encaminhamento dos processos criminosos, todos nós já percebíamos. A ironia é que foi no dia do aniversário do coronelzão de higienópolis,

3. A conge do conge e seu envolvimento com o desvio de recursos das APAE. Um senador indicava e aplicava recursos nas APAE para projetos de inclusão e eram aplicados em escolas particulares e ainda com uma obscura assessoria jurídica que envolvia dois lavajatianos, a conge do conge e o escritório que extorquia os acusados na Lavajato. Você pode verificar esses fatos no GGN, no relato do jornalista Luís Nassif.

4. Luiz Novoa, um empresário espanhol, indica que recebeu recursos de diversas empresas para disparar mensagens pró-bolsonaro, muitas com fakenews. Entre as empresas, suprema ironia, lavajatos, açougues. O crime eleitoral já está lá nos tribunais específicos, provavelmente aguardando prescrição, como fez o conge com seu parça FHC e outros tantos. Verifique isso na Folha.

5. A ajuda humanitária para a Venezuela ia cair nos bolsos dos assessores do criminoso Quaidó, que gastavam em jantares luxuosos. Prática antiga entre os criminosos usurpadores de democracia. A organização dos estados americanos, a OEA, pede investigação. O Brasil de Fato traz detalhes

6. A Carta Capital traz uma entrevista falando do mensalão da polícia federal. Os policiais federais recebiam gorjetinhas do FBI para atuar em determinados casos. Dessas pequenas indecências que as milícias conhecem muito bem.

7. E, por fim, que o crime que o conge representa, do lawfare, de plantar provas, também é revelado como um crime continental, nos vazamentos publicados pela revista digital The Intercept. Destruir países e economias é o objetivo para favorecer outras economias e outros países. Quantos desempregos a Lavajato foi capaz de proporcionar desse número oficial de 14 milhões, não sabemos. Mas parar as obras e inviabilizar as economia são metas encomendadas e cumpridas. Quantas empresas a Lavajato foi encarregada de quebrar para substituir por outras, de continentes mais poderosos?

Confira todas as colunas:
Diário Não Oficial do Brasil