Página inicial > BRASIL > Diário Não Oficial do Brasil - Dia 173/365

Diário Não Oficial do Brasil - Dia 173/365

sábado 22 de junho de 2019, por Fátima Froes,

O conge e Queiroz são as faces da mesma moeda da ilegalidade

13º dia do congegate.

O conge e Queiroz são as faces da mesma moeda da ilegalidade. Um vestiu a toga e a capa de moralidade o outro se fantasia de homem simples enquanto barbariza pela cidade.

Os dois não sobrevivem a uma simples investigação. Nem mesmo um por cento do material do The Intercept foi divulgado e já ficou claro que diversos crimes foram cometidos pelo ex-juiz. Ele comandou a operação Lavajato como se comandasse os serviços domésticos na sua casa. A poda, o quintal, a plantinha deve ficar assim. Tiro procuradores, denuncie sem provas que eu condeno, negociações diretas. Ele acaba de jogar para o saco todo o judiciário brasileiro, porque em sua defesa, coloca normalidade nos seus crimes.

Os crimes de Queiroz também aparecem, de violência doméstica a comando de quadrilha. São táticas diferentes para conseguir o mesmo resultado. Queiroz desaparece, silencia, até que, com o apoio da polícia federal, do judiciário, da mídia e de seus empregadores no legislativo e executivo, todos se esqueçam dele e ele possa fazer suas negociações em paz.

O conge vai para o caminho inverso para obter os mesmos resultados. A superexposição, vai ao senado recitar mantras monótonos, exercícios de cinismo e mentira, cria hackers criminosos, ameaça prender e extraditar jornalistas, assim imagina conseguir uma apoio contra esse inimigo comum, o cara que demonstra seus crimes. Acostumado a comprar delatores, não tem uma boa estratégia para resolver quando é o alvo. Mas a direita-trombadinha reage bem e já o coloca como mito, suprema ironia.

A procuradora chefe mostra quem ainda está no comando. O conge. Um habeas corpus de Luis Inácio Lula da Silva não é indicado porque é baseado na imprensa.

Ela, obviamente não leu o processo nem se interessa por ele. Condena pelo nome, sobrenome, origem, ideologia. O crime é a existência. Conge e seus associados, nacionais e internacionais, ainda no domínio da procuradoria.

O presidente eleito já deixa claro. Quem manda aqui sou eu. E o conge é só mais um dos ministros investigados por seus crimes e isso não interessa a nós, o povo. Nem ao congresso, só a ele, seus patrocinadores e seu poder de fogo. Literalmente.

Que lama fétida vocês corroboraram , seus 57 milhões de brasileiros eleitores.

#MoroMente

#Lula Livre

Confira todas as colunas:
Diário Não Oficial do Brasil