Página inicial > BRASIL > Diário Não Oficial do Brasil - Dia 174/365

Diário Não Oficial do Brasil - Dia 174/365

domingo 23 de junho de 2019, por Fátima Froes,

O panorama da economia é vemos a terra arrasada. Em Salvador, lojas de material de construção fecham

14º dia do congegate. E parodiando Chico Buarque (desculpa aí, Chico)

O conge foi atuado em flagrante
Como meliante
Quando sambava bem diante
Da janela de Teori (?) (?)

1. Momento nervoso: a mídia corporativa começa a apresentar fissuras. Alguns ícones-midiáticos do fascismo começam a ser atingidos e tentam se rebelar. Mas algo grave começa, de forma bastante retardatária, a ser percebida. Foi golpe!

2. Nem os imbecis compradores de pacotes ilegais de whatsapp sobreviverão, seja de jato, seja de trator, seja lá de que veículo eles se utilizam para se moverem, o foco da economia internacional não é essa burguesia idiotizada, é outro. Eles são só instrumento e no máximo permanecerão como extrativistas. Vamos lembrar que o ex-juiz destruiu setores importantes da país, mais de 50 empresas, isso tem consequência. Numa pequena observação empírica, se percebe. Em Salvador, lojas de material de construção começam a fechar. Isso é inédito. Bater a laje era um ato sagrado de toda a economia popular que sustentava indústrias e comércios inteiros.

3. Finalmente compreendem que o golpe bate no bolso de alguns e afeta a cadeia produtiva. É sério, descobriram isso. Sem mercado interno não há consumidor, sem consumidor não há anunciantes e sem anunciantes, quem vai sustentar a corporação da propaganda? O governo, o grande provedor, só se interessa pela compra direta de espaço com troca também direta pelo discurso ideológico, fundamentalismo miliciano, enfim, validação dos atos ilícitos de toda natureza, inclusive o da terra plana, um dos crimes cognitivos que se comete por aqui.

4. Mas às vésperas do STF julgar o habeas corpus de Luís Inácio Lula da Silva, às vésperas de se pular fogueiras, olhamos o panorama da economia, e só vemos a terra arrasada, aquela esférica. Toda a parcela corrupta do ministério público e a co-criminosa parcela do judiciário se moveu para favorecer determinados agentes da economia global.

5. E a narrativa local vai ficando insustentável. Internacionalmente o golpe é mais do que revelado. Onde já se viu um juiz contratar a direita-trombadinha para se manifestar em frente à casa de um membro do supremo para influenciar a opinião pública? No Brasil. Os crimes cometidos pela corporação são rasos e pouco elaborados e incrivelmente registrados nas nuvens eternas da internet. Primários.

Não sabemos até onde foi capaz de seguirem, juiz& associados para cumprir a sua meta e afastar Teori. Afinal o juiz do supremo se mostrou um obstáculo à aceleração da arquitetura da destruição. Não acredito que tudo esteja combinado por telegram.

Confira todas as colunas:
Diário Não Oficial do Brasil