Página inicial > BRASIL > Diário Não Oficial do Brasil - Dia 194/365

Diário Não Oficial do Brasil - Dia 194/365

sábado 13 de julho de 2019, por Fátima Froes,

Presidente prevarica. Nepotismo. Em Parati, tentam calar Glenn Greenwald. Não conseguem. Foram obrigados a ouvir.

1. E o presidente prevarica. Nepotismo. Mas o que é cometer o crime de nepotismo com um bolsofilho diante de tantos crimes de um outro bolsofilho, nadica de nada. 37 imóveis, ligação direta com o escritório do crime de um, vamos de embaixada nos estados unidos para o outro. Como mostra parte do judiciário e parte dos eleitores e assessores, o crime compensa.

2. Há precedentes na história. Na Arábia Saudita, um filho e em Roma, com Calígula nomeando o seu cavalo. E o bolsofilho, de acordo com a imprensa, é flagrado listando no seu celular embaixadores nomeados por outros presidentes que não fossem de carreira. Buscamos investigar o que havia de comum entre o bolsofilho e eles. São todos bípedes, no mais...

3. E assim, nossa política exterior fica mais fácil para Trump, que não terá um embaixador para criar dificuldades, o rapazinho deslumbrado com o posto, irá criar todas as facilidades, inclusive para deportar e manter em cárcere privado crianças brasileiras migrantes. Melhor esquecer Disney papaizinhos que não tenham um segundo passaporte..

4. E enquanto isso, em Paraty, um grupo do MBL teve uma ação financiada para concorrer com uma palestra de Glenn Greenwald, Na orla em frente ao barco onde acontecia o evento, gritavam histericamente, cantaram o hino nacional em som de alta potência e soltaram fogos para silenciar o jornalista. Assumindo a posição da direita-trombadinha de tentar calar quem denuncia os crimes, em apoio à associação criminosa dos conges. A palestra aconteceu e como disse o jornalista, foram obrigados a ouvir.

5. Mas no mundo real uma barragem se rompe na Bahia. Não é de rejeitos e não se tem notícia até agora se alguém morreu. Mas muitas pessoas perderam suas casas, duas cidades foram atingidas, a estrada está inviável. A barragem, de acordo com a imprensa era privada. No mesmo dia foi encontrada a vítima 248 de Brumadinho. A essa altura sabemos que no mesmo dia do rompimento da barragem de Brumadinho algumas explosões foram realizadas. Fica cada vez mais claro que nesse caso o crime foi quase premeditado.

Confira todas as colunas:
Diário Não Oficial do Brasil