Página inicial > BRASIL > Dia 203º/365 - A saga do fascismo

Dia 203º/365 - A saga do fascismo

segunda-feira 22 de julho de 2019, por Fátima Froes,

A mentira como método e a violência como combustível.

1. Somos informados pela TVT que 2,5 milhões de pessoas vão deixar de receber o BPC para uma suposta economia, mas na verdade é para jogar no sistema financeiro esse dinheirinho e para cumprir a máxima do neoliberalismo, quem não produz deve morrer, quem não vende a sua mão de obra, deverá ser alijado e condenado à morte. Menos os inúteis deputados que passam 28 anos sem apresentar projetos vivendo de dinheiro público.

2. O impacto brutal de você deixar de apoiar os deficientes e suas famílias. O que significa para alguém que não tem condições de mobilidade, está em uma cama hospitalar, alguns em cama hospitalar. É praticamente condenar à fome e à morte.

3. A necropolítica do ultraliberal e violento presidente eleito não tem justificativa possível para retirar esse benefício. A saudável vida das filhas de militares (como a própria filha do presidente) receberão pensão por toda a vida.

4. A ideia é apenas esmagar e humilhar os pobres e não incluí-los. Enquanto comete o crime de nepotismo com um filhinho que pretende lançar como embaixador de forma ilegal e imoral, mantém no STF um juiz que para atingir o seu objetivo de carreira vai acobertar o outro filhinho que foi descoberto, literalmente, com a mão na botija.

5. Assim, o estado mínimo vai ficando restrito aos amigos e familiares. Porque para essas categorias, militares da reserva que passam o dia falando absurdos no twitter, os privilégios são mantidos e o estado deverá garantir ad infinitorum a manutenção da sua prole. Um assalto aos cofres públicos com discursos mentirosos sobre a vida dos mais pobres.

6. Uma análise do IPEA aponta que o seguro desemprego do Brasil é um dos piores do mundo. Enquanto a taxa de desemprego duplica, apenas 4,8% das pessoas que estão desempregadas, deixando de proteger mais de 400.000 pessoas que estão desempregadas. Isso acontece pela nossa alta taxa de informalidade no trabalho e também uma rotatividade muito alta.

7. O governo que ora ocupa o planalto, representado pelo disfuncional síndico tem a mentira como método, além do ódio como combustível. Todos os dias devemos pesquisar os dados, porque já oficializadas, são 200 mentiras oficiais já contadas em frente às câmeras, despudoradamente.

Confira todas as colunas:
Diário Não Oficial do Brasil