Página inicial > BRASIL > Dia 207º/365 - Sobre araras, arapongas e marrecos

Dia 207º/365 - Sobre araras, arapongas e marrecos

sexta-feira 26 de julho de 2019, por Fátima Froes,

Hacker de Araraquara, BR Distribuidora vendida e espiã na Universidade

[Montagem a partir de foto do site fotos públicas.com - Thiago Gomes/Ag. Pará]

PNG - 44.9 KB

1. Os hacker de Araraquara viraram a piada estapafúrdia nacional. Em tom de seriedade apenas no PIG, que tenta ainda descolar do conge, a imagem de um criminoso comum. Araraquara é uma cidade conhecida pelo seu laranjal, então teremos os primeiros hackers laranjas da história.

2. Acostumado a plantar provas e ser premiado na rede de juízes & associados, o conge tomou muito pouco cuidado com as provas plantadas. Dessa vez, não está tramitando apenas na sua República de Curitiba, onde o TRF é parça, ou nos jantares e uh!uh! é nosso do STF, está mexendo com uma comunidade internacional, brincando de censura à imprensa. A história é tão primária e tão cheia de pontos cegos e inexplicáveis que começamos a achar que a cia, aparentemente um dos órgãos condutores do ex-juiz já o abandonou, deixando-o à própria sorte, para montar seus contos de carochinha e suas provas.

3. Mas num (des)governo dessa natureza, o que vale são as notícias para o whatsapp dos grupos fechados, então o hacker chamado de Vermelho e filiado ao DEM (ACM Neto, é você?) deve estar correndo sérios riscos de simplesmente morrer de uma praga qualquer, porque ao final da história terá o mesmo destino de Adélio e Queiroz, desaparecerão de corações e mentes da extrema-direita de ódio efervescente.

4. Mas enquanto navegamos nesse mundo de falsos hackers, perdemos em definitivo a BR Distribuidora. Se o hacker de moro é tão falso que provavelmente não conhece nem mesmo o Telegram nem tem em mãos os arquivos vazados pela Intercept, o mundo das petroleiras estadunidenses é real e detém um estratégico campo de nossa economia. Controle total pela distribuição de óleo, gasolina. O golpe se aprofunda e se torna irreversível.

5. E continuando a temporada de saques, 750kg de ouro são roubados em Guarulhos em 2 minutos e trinta segundos. Tudo rápido, preciso e destrutivo como o governo atual. O saque em ouro tem a mesma velocidade de desmatamento da Amazônia, mas não poderemos mais saber porque o bolsogoverno impõe agora a censura de dados reais, só teremos acesso a ficções.

6. Para garantir o total controle sobre informações , inspirado nas araras do conge, o general que lamentou a falta de sorte do piloto-mula de 39kg plantou uma araponga na UFMS- Universidade Federal do Mato Grosso do Sul. Um ato destrutivo da autonomia universitária e da universidade, sem precedentes. Um ato que só tem correspondências nas milícias, deixando a universidade refém de uma espiã.

Confira todas as colunas:
Diário Não Oficial do Brasil