Página inicial > BRASIL > Dia 210º/365 - Sobre terra arrasada e voos rasantes

Dia 210º/365 - Sobre terra arrasada e voos rasantes

segunda-feira 29 de julho de 2019, por Fátima Froes,

Educação brasileira, programa "Future-se" e cenário de terra arrasada

[Ilustração em destaque reproduzida do site GGN]

PNG - 44.9 KB

1. O fim das férias escolares em muitos estados e o que o disfuncional síndico apresenta para os jovens estudantes é um cenário de terra arrasada. O future-se é o verdadeiro destrua-se a excelência na educação pública.

2. Uma triste semana essa em que ficou clara a articulação para fraudar as eleições, com a atuação de setores do funcionalismo público, como o procurador powerpoint e o ex-juiz, ambos atuando na destruição do futuro do país.

3. O procurador powerpoint na perspectiva de um dinheirinho qualquer acusou com base apenas em convicções, articulou e ajudou um determinado setor do capital financeiro a ter o controle do espólio das empresas desmanteladas pela operação que supostamente comandava. O ex-juiz operou lesando não apenas a Petrobrás, mas alavancando a destruição de setores importantes da economia do país, a exemplo da construção civil e da indústria naval.

4. O tchutchuca se sente à vontade nesse cenário de terra arrasada, deixa claro que não se interessa pelo mercado interno, nós estamos aqui para passar o controle de setores estratégicos ao capital financeiro, o resto é resto. Enquanto isso, a família do síndico disfuncional passeia de helicóptero da força aérea e o nepotismo com filet mingnon corre solto.

5. É tão pouco convincente como presidente eleito que anda por aí usando a faixa presidencial, para provar, e para exercer a sua autoridade recorre a impropérios contra jornalistas, classificando de idiota uma pergunta pertinente de setores de imprensa que querem informar a população sobre o uso ilegal dos recursos públicos. Vulgar, corrobora as ameaças do seu ministro da justiça à imprensa acrescentando mais ameaças, faz referências homofóbicas e grosseiras aos jornalistas do sítio The Intercept Brasil. Não apresenta qualquer contestação consistente aos fatos divulgados pelos jornalistas, ao invés disso prefere repetir o discurso próprio dos chefes de quadrilha, comum na morocracia, e ameaça violências arbitrárias e incompatíveis com o cargo que ocupa, afirmando que Greenwald "talvez pegue uma cana aqui no Brasil".

6. A direita brasileira, que catapultou esse fenômeno ao planalto não faz autocrítica. Enquanto se afoga se expõe mais ainda ao ridículo, como é o caso dos prefeitos de Salvador e Vitória da Conquista na Bahia, que inauguraram um tapume em torno do aeroporto Glauber Rocha, embevecidos diante de voos tão rasantes e desqualificados.

7. Enquanto isso, o síndico disfuncional continua em campanha, e os cards para alimentar a ignorância e o ódio de seus apoiadores continuam a circular. Um desses cards afirma, do nada, que o advogado de Adélio é o mesmo de Lula e dos hackers, e com isso o coro alienado continua fixado no Presidente Luís Inácio Lula da Silva e urrando: Lula está preso, babaca (sério, Ciro?). E se distraem com esse diversionismo primário enquanto permanecem cegos ao cenário que os rodeia e em que afundam, abraçados.

Confira todas as colunas:
Diário Não Oficial do Brasil