Página inicial > BRASIL > Dia 252/365 - O partido da lava-jato e as milícias no país tropical

Dia 252/365 - O partido da lava-jato e as milícias no país tropical

segunda-feira 9 de setembro de 2019, por Fátima Froes,

Reportagens da Vaza Jato deixam clara a intenção política do conge e associados, e o nível de corrupção assumido no cumprimento da tarefa que tomaram para si: aprofundar o desgaste da imagem da Presidenta Dilma Rousseff e colocar o Presidente Luís Inácio Lula da Silva como um homem pequeno e mesquinho e assim abrir caminho para o golpe

Ilustração: Rodrigo Bento/The Intercept Brasil https://theintercept.com/2019/07/15...

PNG - 44.9 KB

1. Definitivamente o partido da lava jato não é sobre combate à corrupção, não é sobre justiça. Nas considerações mais otimistas imaginávamos que o conge e seus procuradores tinham alguma convicção de boa fé, pensávamos que podiam ser movidos por alguma crença messiânica equivocada. Mas nem isso.

2. O último vazamento das reportagens da Vaza Jato deixa clara a intenção política do conge e associados, e o nível de corrupção assumido no cumprimento da tarefa que tomaram para si de aprofundar o desgaste da imagem da Presidenta Dilma Rousseff, de colocar o Presidente Luís Inácio Lula da Silva como um homem pequeno e mesquinho que queria garantir a sua impunidade através da ocupação de um cargo, e assim abrir caminho para o golpe, para o ataque à democracia armado por aqueles a quem diziam combater. O partido da lava-jato sabia estar atirando num alvo político de peso. Sabia que a presença do Presidente Lula no planalto era um esforço que poderia barrar o golpe em curso e assegurar a normalidade do processo democrático.

3. O golpe, nessa sua etapa, nos transforma num país cujo futuro é a morte. Voltamos a ser uma colônia agrícola, queimamos a Amazônia para satisfazer os interesses de alguns predadores míopes ligados à exportação de carne, soja e madeira, limitamos o investimento da Petrobras, e nos encaminhamos para privatizar a Educação Pública e a Saúde. Atropelados pelo jogo bruto do desastre que já se mostra evidente, os articuladores do golpe no partido da lava jato, expostos por parte da mídia, se tornam descartáveis.

4. Chama a atenção que grupos como o dos maçons, por exemplo, que apoiaram explicitamente o golpe, começam a apresentar outros discursos. A Revista Fórum informa que o grupo denominado maçons progressistas do Brasil, em seu site, já pede uma "prisão imediata da gang da lava jato".

5. Internacionalmente, os golpistas já não andam de braços dados com Trump, como gostariam, e ainda têm o horror da direita europeia. O trio anti-midas formado pelo síndico disfuncional e seus ministros da justiça e da economia, conseguem jogar o país no chão, no limite da recessão econômica e totalmente entregue às milícias que, segundo especulações da imprensa, agora tem peso suficiente para definir cargos conforme seus interesses. Mas, não se investiga milícias nesse país, investigam-se adolescentes, beijos, e qualquer pauta moral que o trio entenda que sirva para levantar seus seguidores das catacumbas da ditadura militar.

Confira todas as colunas:
# Diário Não Oficial do Brasil