Página inicial > BRASIL > Dia 273/365 - Meu Deus, que será?

Dia 273/365 - Meu Deus, que será?

segunda-feira 30 de setembro de 2019, por Fátima Froes,

Corrupção na campanha de Bolsonaro: falsa produtora recebeu 240 mil.

Imagem: Bira Dantas https://www.humorpolitico.com.br/ta...

PNG - 44.9 KB

Setembro acaba, chegou a primavera, o verão já grita, e o país continua descendo a ladeira rumo à borda da terra plana. Procuro no celular as notícias do Brasil:

1. Bolsonaro foi eleito o imbecil do ano pela mídia espanhola em 2018. Isso foi manchete no Blog da Cidadania. Com a caneta compactor, 2019 promete.

2. Procuradores admitem derrotas e já aceitam novo julgamento de Lula. De acordo com a colunista Mônica Bergamo da Folha de São Paulo já há entre os procuradores do MPF quem defenda um novo julgamento no caso do tríplex como única forma de sanar as inconsistências do processo. No mínimo isso, já que não restam muitas dúvidas de que o julgamento e a prisão atenderam a fins políticos, para manter o coro do "Lula está preso, babaca", (obrigada, Ciro), e tirar o foco do governo que nos aflige.

3. Petroleiras estrangeiras já controlam 75% do pré-sal, apenas 3 anos após o golpe. O capitalismo fossilizado sem combustível fóssil. Esta foi a grande novidade do síndico, parças e conges. Distribuir a preço de banana o pote de ouro que deveria financiar educação e saúde. Enquanto destrói a educação e a saúde, porque não tem verbas. A quinta rodada de licitação do pré-sal foi uma festa para o capital estrangeiro e uma pá de terra sobre um projeto estratégico de futuro.

4. Para Eduardo, objetivo da CPI das fake news é levar ao impeachment de Bolsonaro – manchete do Diário do Centro do Mundo. Todo mundo sabe do papel das fake news nas estratégias do senhor Steve Bannon, consigliere da família, e o estrago que ele tenta fazer na Bolívia. E como sempre, a bolsofamília investe nos ataques a qualquer investigação que esclareça os fatos de interesse público. Não creio que seja o caso de impeachment, seria mais para anulação das eleições. Afinal, se eleger espalhando coisas como mamadeira de piroca e kit gay, é crime.

5. Bolsonaro recomenda que professora leia livro escrito por Brilhante Ustra, é a chamada da matéria da rádio CBN. Essa parece ser a única leitura do síndico disfuncional admirador da tortura, e se vangloria disso.

6. Corrupção na campanha de Bolsonaro: falsa produtora recebeu 240 mil. A manchete da Revista Fórum se refere a uma suposta empresa de vídeo, que teria sede em Petrolina/PE e se chamaria Mosqueteiro Filme, só que não há comprovação da sua existência. O valor que teria sido pago à suposta empresa corresponde a 20% de tudo que o atual presidente eleito declara ter gasto na campanha. De quebra, o valor apresentado é incompatível com os valores pagos por outros candidatos para serviços semelhantes.

É isso. São as poucas manchetes dessa segunda-feira. E parafraseando o velho Lua:

"setembro passou, outubro e novembro, chegando dezembro
Meu Deus, que será..."

Confira todas as colunas:
# Diário Não Oficial do Brasil