Página inicial > BRASIL > Dia 278/365 - Salvem nossas crianças II

Dia 278/365 - Salvem nossas crianças II

sábado 5 de outubro de 2019, por Fátima Froes,

A censura será a arma mesquinha e vingativa do síndico disfuncional que ora ocupa o Planalto. Mas o cinema nacional brilha fora do país. Foram seis prêmios hoje no Festival Biarritz América Latina para quatro diretores brasileiros: Maya Da-Rin, Karim Ainouz, Rafaela Camelo e Rodrigo John.

Imagem: Festival Biarritz América Latina https://twitter.com/FestBiarritzAL/...

PNG - 44.9 KB

1. Enquanto na matriz Trump bate boca com repórteres e acusa a imprensa de corrupta, aqui o imitador diz a um cidadão comum que quem sabe de Queiroz é a mãe dele. Nenhum dos dois pensa que deve satisfação ao país que supostamente representam. Nada de novo na vulgaridade, falta de decoro e de educação doméstica de representantes de uma cultura da violência, que tentam dar a si próprios o carimbo de nova política.

2. A censura será a arma mesquinha e vingativa do síndico disfuncional que ora ocupa o Planalto. Os seminários, mostras e festivais realizados com patrocínio cultural de empresas estatais estão sendo censurados, a exemplo dos eventos da Caixa e do Banco do Brasil. Mas o cinema nacional brilha fora do país. Foram seis prêmios hoje no Festival Biarritz América Latina para quatro diretores brasileiros: Maya Da-Rin, Karim Ainouz, Rafaela Camelo e Rodrigo John. Isso deve deixar o ex-capitão furioso, e a França se torna, cada vez mais, alvo dos seus seguidores robóticos, afinal de contas, lá Lula é livre. Aqui, a cultura da violência e do punitivismo ainda comanda.

3. Não é só o ex-capitão. A parceria da operação lava jato com os estados unidos, iniciada muito antes das eleições de Trump, é algo muito pouco esclarecido para a imensa maioria dos cidadãos. O jornal GGN questiona se foi “um avanço no combate à corrupção ou um instrumento de atuação norte-americana que acabou provocando a destruição das maiores empresas brasileiras?", e pretende produzir uma série debatendo o assunto.

4. A estranha ação de desmonte das indústrias brasileiras mais competitivas no mercado internacional, e seus postos de trabalho, incluído aí o desmantelamento da Petrobrás, com participação direta do governo americano, e aprofundado nas gestões pós golpe de 2016, merece que coloquemos lentes de aumento nessa operação que funcionava como um bunker para ocultar pretensões políticas espúrias dos que deveriam ser servidores públicos.

5. E no governo onde acordos, parcerias e declarações estão sempre sob suspeita, a união europeia investiga o acordo Embraer – Boeing, e o STF convoca o presidente eleito para esclarecer suas declarações criminalizando as ONGs como responsáveis pelas queimadas na Amazônia.

6. Amanhã é dia de eleição dos conselheiros tutelares, lembrem bem o que aconteceu nas eleições passadas, não se omitam, e vamos evitar que fundamentalistas e fascistas sejam maioria para decidirem como zelar por nossas crianças e adolescentes.

Confira todas as colunas:
# Diário Não Oficial do Brasil