Página inicial > BRASIL > Dia 285/365 - A gente vai ficar matando as pessoas à toa?

Dia 285/365 - A gente vai ficar matando as pessoas à toa?

sábado 12 de outubro de 2019, por Fátima Froes,

As crianças refletem, mais que os pais, que têm atitudes. Um estudante entregou ao ministro do meio-ambiente o troféu exterminador do futuro, na Câmara dos deputados

Foto: Mídia Ninja.https://www.oeco.org.br/blogs/salad...

PNG - 44.9 KB

Nesse dia, o que o síndico disfuncional tem de projeto para as crianças? Destruir direitos, acabar com o Conanda. Oferece apenas a morte e a pobreza. Aponta isso sem firulas para as crianças pobres, as indígenas, as quilombolas, as que estão na escola pública, as que sonham em entrar na Universidade, as que não moram no seu condomínio. Mas essas crianças refletem, muitas vezes, mais que os pais, e têm atitudes. Vamos fazer uma listinha:

1- Os estudantes do colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, expulsaram, aos gritos de: "Ô, Marielle, quero justiça!! Não aceitamos deputado da milícia" dois deputados do PSL que resolveram fazer uma patrulha ideológica na escola;

2- Estudantes da comunidade da Maré entregaram ao sanguinário sniper-governador uma cartilha ensinando à polícia-milícia a se comportar como seres humanos;

3- Um estudante, na câmara dos deputados, em Brasília, entregou ao ministro do meio-ambiente, que só tem olhos para o agronegócio, o troféu exterminador do futuro;

4- Uma criança, Marcus Vinícius, assassinada pela polícia-milícia-fascista do rio, disse à mãe ao ser baleada: "mas ele não viu que eu estava de uniforme?";

5- Uma estudante sueca falou na ONU sobre o aquecimento global, e despertou o ódio dos hetero-histéricos, inclusive o de um dos bolsofilhos;

6- As crianças do MST, os sem terrinha, discutem em um grande encontro nacional o futuro da educação no país.

As crianças e adolescentes hoje, em todo o país, têm uma pauta política a dar conta, que inclui a possibilidade de brincar e permanecer vivas. Elas têm uma pauta anti-fascista. Numa reportagem do jornal Brasil de Fato, Helena, uma pequena de 4 anos, de Brasília, questiona sobre o uso de armas: “a gente vai ficar matando pessoas à toa?"

Confira todas as colunas:
# Diário Não Oficial do Brasil