Página inicial > BRASIL > Dia 286/365 - Arlequim, servidor de dois patrões

Dia 286/365 - Arlequim, servidor de dois patrões

domingo 13 de outubro de 2019, por Fátima Froes,

De quantas religiões e de quantos partidos é feito o ex-capitão?

Foto:Marcos Corrêa/PR https://fotospublicas.com/missa-no-...

PNG - 44.9 KB

1- Em Aparecida, é vaiado. O arcebispo, durante celebração, falou da violência e da injustiça da direita. Mesmo tendo atacado o sínodo da Amazônia e o Papa, autoridade maior da igreja católica, o síndico disfuncional acreditou que iria impunemente ao centro do catolicismo, no dia da celebração da santa brasileira. Oscila entre essa e qualquer outra religião que possa dar voto.

2- No partido, nada vai bem, e há um racha não racha, envolvendo o dinheiro do fundo partidário e envolvendo denúncias, envolvendo formas ilícitas de se eleger e tudo o mais que já sabemos. Também circula por outras siglas e pela formação de novas siglas. Mas o montante do fundo partidário é o que define, é o principal do negócio. Ou, o negócio principal, como queiram.

3- Outra briga no governo tem o patrocínio da caricatura que ocupa a pasta da educação, o seguidor do horoscopista, que quer fundir CNPQ e CAPES e amesquinhar ainda mais o fomento à pesquisa no país. Tudo sob as bênçãos do tchutchuca, o demolidor de políticas públicas. O astronauta, único com os pés na terra, discorda. Temos que torcer pelo astronauta, no caso, e pela ciência. Ou, se a perda for inevitável, por mais um racha. Quanto mais divididos melhor para a democracia.

4- E a voz da milícia fala mais alto. Um diretor de um programa da EBC foi demitido por exibir, em rede nacional, uma imagem da vereadora Marielle Franco, assassinada no rio em 2018. Não foi um programa em memória da vereadora. Foi um programa sobre Jackson do Pandeiro e a imagem da vereadora aparecia na capa de um cordel. Uma imagem casual. A milícia, de fato, dominando a comunicação pública.

5- Os barris encontrados no litoral de Sergipe com o mesmo óleo que está destruindo as praias do Nordeste têm a marca da Shell. O impacto na vida dos povos do mar é imenso. O impacto no turismo é imenso. O impacto no meio ambiente, flora e fauna, é incalculável. A inoperância do planalto é cúmplice. E a Shell não é uma empresa Venezuelana.

6- A extrema direita se organiza em São Paulo em um evento conservador financiado com dinheiro público para tornar o mundo um lugar ainda pior, num evento em que um dos bolsofilhos glorifica os memes como forma de expressão e que vende um kit que eles denominam como antifeminista, mas na verdade um kit anti-mulher. No mesmo evento a ministra da família (em nome de jah!) dá um show aparentemente inspirado no satanismo, e evoca o cão, cigarros de maconha e cruzes, uma coisa sem precedentes em todos os ministros que já passaram por essa república.

Confira todas as colunas:
# Diário Não Oficial do Brasil