Página inicial > BRASIL > A manipulação religiosa das massas em "O Grande Inquisidor"

A manipulação religiosa das massas em "O Grande Inquisidor"

sexta-feira 18 de outubro de 2019, por Carlos Russo Jr.,

Dostoievski, em “Os Irmãos Karamazovi”, prenunciou os regimes totalitários do século XX e que ensaiam sua retomada no século XXI e soou sinal de alerta para as recusas de liberdade e invasão de privacidades

ilustração: internet (https://www.planocritico.com/critic...

Nesse capítulo essencial de “Os Irmãos Karamazovi”, Dostoievski prenuncia os regimes totalitários do século XX e que ensaiam sua retomada no século XXI. Faz soar um sinal de alerta para as recusas de liberdade, para a invasão das privacidades, para as parvoíces hipócritas, para as mentiras, que “viralizadas” milhares e milhões de vezes, passam a ser e são tidas como verdades por quantidade cada vez maior do vulgo, massas das quais se desprendeu o hábito de pensar (Spinoza).

Sinaliza também, claramente, a vulgaridade espantosa da cultura de massas, o consumismo desmedido de homens que buscam líderes mágicos ou tiranos, assim como pastores religiosos que retiram da mente dos rebanhos as reações de revolta contra as injustiças sociais e a anulam a busca por liberdade.

Uma manipulação religiosa que aponta tanto para as recusas de liberdade real nas sociedades modernas e pós-modernas, quanto para formas tão somente exteriores das denominadas “democracias representativas”.

clique aqui para ler o ensaio: https://www.proust.com.br/post/a-ma...

Espaço Literário Marcel Proust
www.proust.com.br