Página inicial > BRASIL > Dia 327/365 - Sob violenta emoção

Dia 327/365 - Sob violenta emoção

sábado 23 de novembro de 2019, por Fátima Froes,

O pacote anticrime proposto pelo ex-juiz ministro tem no cerne de sua proposta o excludente de ilicitude (que é a licença para matar). Mesmo antes de ser aprovada já está sendo utilizada pela polícia, com a alegação de atuar “sob violenta emoção”, para justificar a morte de crianças. Negras, é claro.

Imagem: Nani http://www.nanihumor.com/2014/11/po...

PNG - 44.9 KB

1. A pauta neoliberal, a pauta fascista, a pauta miliciana, tudo isso traduz a necropolítica do estado do aprofundamento das desigualdades. O jornal GGN aponta o avanço do fascismo no país alertando para a criação do partido 38, que caminha para a formação de algo que se assemelha às SS nazistas. A distribuição de armas para as baixas patentes e desajustados, o aparelhamento das instituições em todos os poderes e a inacreditável blindagem do ex-capitão. Porque o que interessa mesmo são as reformas assassinas.

2. O aparelhamento de instituições pelo crime organizado já é fato. Seis magistrados foram afastados de suas funções na Bahia envolvidos na venda de sentenças, entre eles o presidente do TJ Bahia e três desembargadores. O agronegócio pagava aos integrantes do judiciário para se apropriar de terra, um dos juízes já foi preso e as investigações apontam para uma ação sistemática e lucrativa. A expansão dos negócios de uma milícia agrária com seu braço no judiciário (Blog da Cidadania).

3. A questão da posse da terra e a expansão do agronegócio sempre teve muito sangue derramado com apoio das instituições. No estado do Acre, local onde o então candidato a presidência, o síndico disfuncional, sugeriu eliminar os adversários matando-os, um dirigente do PSOL foi assassinado na quarta-feira (20) com um tiro de espingarda de grosso calibre que o atingiu no peito. A questão de fundo era um conflito relacionado à posse de terras (Revista Fórum).

4. Um dos principais instrumentos propostos pelo atual governo para por em prática o genocídio da população pobre (além, é claro, da nefasta reforma da previdência, que aniquila o futuro dos trabalhadores, órfãos, viúvas e pessoas com deficiência) é o pacote anticrime proposto pelo ex-juiz ministro. No cerne da proposta, o excludente de ilicitude, que é a licença para matar, defendida enfaticamente pelo ex-capitão presidente. E que mesmo antes de ser aprovada já está sendo utilizada pela polícia, com a alegação de atuar “sob violenta emoção”, para justificar a morte de crianças. Negras, é claro.

Confira todas as colunas:
# Diário Não Oficial do Brasil