Página inicial > BRASIL > Dia 331/365 - Tensão latina

Dia 331/365 - Tensão latina

quarta-feira 27 de novembro de 2019, por Fátima Froes,

No Chile a resposta à extrema violência do braço armado do presidente Sebastián Piñera é de mais mobilização. Já foram registrados 23 mortos e mais de 2800 feridos, 232 feridos nos olhos

Imagem: Colectivo 2+/Carlos Vera M. https://fotospublicas.com/manifesta...

PNG - 44.9 KB

1. Cuba denuncia os Estados Unidos por utilizar a sua embaixada em Havana com o intuito de interferir em questões internas e atentar contra a ordem constitucional no país, e aponta esforços frustrados de recrutamento de mercenários para atuarem na ilha (Pátria Latina).

2. A morte de um estudante de 18 anos, Dilan Cruz, pela polícia do presidente de direita Iván Duque intensifica as manifestações que levam milhares de pessoas às ruas em várias cidades na Colômbia. O estudante morreu atingido por uma bomba de gás lacrimogêneo. Já são sete dias consecutivos de paralisações e protestos contra o pacote de medidas trabalhistas e previdenciárias do governo. (Opera Mundi)

3. No Chile a resposta à extrema violência do braço armado do presidente Sebastián Piñera é de mais mobilização. Já foram registrados 23 mortos e mais de 2800 feridos, 232 feridos nos olhos. A violência sexual também aumenta, com as forças armadas atacando sexualmente meninas e mulheres. Ontem os trabalhadores bloquearam vias de acesso a Santiago, capital do país (Pátria Latina).

4. Na Bolívia, segue o governo supremacista branco capitaneado pela golpista Jeanine Áñez. Além do braço armado, que ataca principalmente campesinos e a população indígena, o judiciário fabrica peças a título de provas para condenar lideranças. Repete o mesmo conhecidíssimo método utilizado no Brasil pelos parças (Pátria Latina). O golpe, de acordo com as lideranças bolivianas, teve ampla participação da OEA, que ajudou a desestabilizar o país. O bolsogoverno tenta copiar os decretos golpistas para repressão dos movimentos sociais.

5. No Brasil, enquanto se corta toda a política social, tributando até os desempregados, o governo encontra recursos para, além de favorecer os bancos, negociar com o governo de extrema-direita húngaro o financiamento de grupos fundamentalistas cristãos no oriente médio. O país sempre presente nos eventos do que há de pior no mundo. (Brasil 247).

6. A polícia e o papel da polícia. “O Ministério Público Federal (MPF) em Santarém (PA) informou, nesta quarta-feira, "que nenhum elemento apontava para participação de brigadistas ou organizações da sociedade civil"” nos incêndios na região de Alter do Chão, mas a polícia os acusa e responsabiliza mesmo assim, conseguindo, dessa maneira, perpetrar dois crimes em um. Prende pessoas de uma ONG sem nenhuma prova ou fundamento e impede que eles atuem no combate ao fogo (Brasil 247).

7. Resumo da bolsofamília. Um bolsofilho no conselho de ética da Câmara por apologia à ditadura militar. Dois outros sob investigação. Um com fortes provas e outro com fortes indícios. Milícia acima de tudo (Jornal A Tarde).

8. O partido, a familícia, todos criados e cevados numa necroteocracia, não querem o debate. O braço financiado na américa latina supremacista branca não tem compromissos com a verdade nem com a política real. Conseguiram chegar ao poder, e utilizarão de tudo para se manter onde estão.

9. O judiciário e o papel do judiciário. Para provar seus préstimos os parças protagonizam mais um espetáculo de escárnio com as evidências e a Constituição. Condenam Lula, mais uma vez, sem provas, sem plausibilidade, e ainda, de quebra, elogiam a ação de copiar e colar e escancaram a própria incoerência.

Confira todas as colunas:
# Diário Não Oficial do Brasil