Página inicial > BRASIL > Dia 337/365 - Quem cala, consente

Dia 337/365 - Quem cala, consente

terça-feira 3 de dezembro de 2019, por Fátima Froes,

O espetáculo público de violência policial de hoje foi no Paraná. Professores que protestavam contra os projetos que alteram a aposentadoria dos servidores estaduais foram atacados.

Imagem: Gibran Mendeshttps://fotospublicas.com/servidore...

PNG - 44.9 KB

Da série: eu vi o que vocês fizeram nas eleições passadas. Mais um dia sob o governo dos que glorificam torturadores...

1. O caso da garotinha Agatha Felix, assassinada pela polícia militar de bolsowitzel, foi denunciado pelo Ministério Público. Apenas o soldado que atirou foi indiciado. O chefe da corporação, não. O grande mandante do mal, o governador, não. Mais uma derrota do povo brasileiro. O crime é tratado como caso isolado, embora sejam tantos, e não como política de estado. Como genocídio (Carta Capital).

2. O espetáculo público de violência policial de hoje foi no Paraná. O braço armado do governador Ratinho júnior atacou com spray de pimenta e espancamento, professores que protestavam na Assembleia Legislativa contra os projetos que alteram a aposentadoria dos servidores estaduais. Um professor foi ferido, uma professora está hospitalizada, e outras três pessoas foram atendidas com problemas provocados pelo spray de pimenta nos olhos (Jornal Brasil de Fato).

3. Ainda sobre a brutalidade do governo de bolsodória, na madrugada em que a polícia assassinou os 9 jovens em Paraisópolis, houve um pedido de socorro ao Samu por uma garota que relatou ter sofrido violência sexual e ferimentos provocados pela agressão da polícia, e informou que havia outras vítimas no local. O chamado chegou a ser classificado como de “alta emergência”, mas meia hora depois foi simplesmente cancelado por um soldado do corpo de bombeiros (Jornal Brasil247).

4. O governador bolsodória criminalizou o baile funk, para justificar a violência da sua polícia. "Baile Funk é ilegal", é a afirmação sorridente do bárbaro prefeito. A resposta dos internautas veio imediata: uma reportagem de 2017, do aniversário do filho do governador, que realizou um baile funk particular, com o MC Pikeno e fonte de catuaba no jardim. Arrogância e ostentação (Veja São Paulo, 2017).

E o ministro que seria da justiça, permanece em silêncio... Cala e consente...

Confira todas as colunas:
# Diário Não Oficial do Brasil