Página inicial > BRASIL > Dia 360/365 - O governo vil

Dia 360/365 - O governo vil

quinta-feira 26 de dezembro de 2019, por Fátima Froes,

O fascismo avançou a tal ponto no país que pessoas começaram a sair dos armários com suas suásticas expostas, com a certeza da impunidade que o governo paramilitar miliciano que ama a tortura vem incentivando.

Imagem: Benet https://www.chargeonline.com.br/

PNG - 44.9 KB

1. 360 dias, um ano fiscal. E o que temos? Um crescimento da economia inferior a 1%. Se contar o potencial destrutivo de longo prazo de tchutchuca, a grande estrela do neofascismo liberal brasileiro, isso é um não resultado.

2. O ex-capitão como nunca fez nada pelo país nas suas atividades parlamentares, onde apenas “cuidou” dos parentes e aderentes, não soube como lidar com o legislativo. Acreditou, talvez, que bastaria pagar e mandar, que o papel do legislativo se resumia a ser pago para tirar uns cochilos, contratar uns assessores para funções não muito cívicas, e... perdeu-se na sua relação com o congresso nacional. Além do autoritarismo, não sabe operar.

3. Cada ida de um (des)ministro à câmara ou ao senado foi um momento de vergonha nacional. Todos, sem exceção deram vexames inacreditáveis com suas respostas tecnicamente despreparadas e tendentes a um autoritarismo que não têm lastro.

4. As grandes promessas, o tchutchuca e o marreco leigo de Maringá, obtiveram resultados vexatórios com uma atuação deprimente. Thutchuca coloca o país em risco, liquida tudo, insiste que precisa destruir mais, e não oferece perspectiva. O estranho híbrido de tucano com marreco foi desacreditado pelo Vaza Jato, pela extrema violência do seu pacote anticrime, pela inabilidade autoritária e pela condescendência com a atividade criminosa.

5. A estrela do ano foi a reforma da previdência, um plano macabro para engordar banqueiros, favorecer algumas categorias, reforçando nossas desigualdades, que já não são poucas, e imputar os custos a aposentados, trabalhadores pobres, deficientes, órfãos e viúvas. Um dos atos mais perversos de um governo desnaturado a serviço do capital foi pago a peso de ouro no congresso, arrastando votos até dos que se dizem progressistas e contaminando os estados que agora reproduzem a receita do arrocho. Um capítulo decadente da nossa história neoliberal de luta contra os direitos dos trabalhadores e da população mais vulnerável.

6. O presente de natal para as Universidades é uma medida inconstitucional para por fim à Autonomia Universitária. A baixa adesão ao inconsistente programa Future-se pode ser a causa. O incompetente que dirige a pasta da educação chamou o patrão de traidor. Provavelmente para sair do governo posando de rebelde. E a CGU cassou a aposentadoria, e única fonte de renda, de um professor com mais de 35 anos de serviços prestados à Universidade, por supostas irregularidades na gestão da Petrobras, sem que haja nenhuma condenação criminal, no que mais parece uma perseguição mesquinha nos moldes próprios dos tempos atuais (Jornal Brasil 247).

7. O fascismo avançou a tal ponto no país que pessoas começaram a sair dos armários com suas suásticas expostas, atentados de grupos radicais homofóbicos que utilizam um discurso imbecilizado são realizados com o rosto dos homicidas à vista e a utilização de carros com placa à mostra, com a certeza da impunidade que o governo paramilitar miliciano que ama a tortura vem incentivando.

O governo mais vil da história vai completando um ano.

Confira todas as colunas:
# Diário Não Oficial do Brasil