Página inicial > BRASIL > Dia 11 (376) - Ano 2 - Luz para uns

Dia 11 (376) - Ano 2 - Luz para uns

sábado 11 de janeiro de 2020, por Fátima Froes,

Em Portugal, encontraram 30 brasileiros, entre eles crianças, vivendo em situação precária e em trabalho análogo à escravidão. Foram detidos 3 pastores também brasileiros. Mas de que igreja?

Imagem: Latuff

PNG - 44.9 KB

1. Enquanto os fundamentalistas ficam discutindo as opções sexuais alheias, demonizando a crítica e o diverso, carimbando tudo como pornografia e pecado, hora de perguntar o que é indecente? Tráfico de pessoas, por exemplo.

2. A polícia portuguesa encontrou cerca de 30 brasileiros, entre eles crianças, vivendo em situação precária e em trabalho análogo à escravidão. Foram detidos, acusados de tráfico de pessoas, 3 pastores também brasileiros. Mas de que igreja? Ah, nunca saberemos. Os nomes das igrejas são preservados. Não deveria. Parece com filho de presidente que quando comete crime o sobrenome desaparece, ou com integrantes do PSDB que quando flagrados em crimes a referência ao partido se dissolve no ar, assim como as provas e os processos. Todos deveríamos saber qual grupamento religioso permite essa prática. O silêncio das corporações e suas redes de proteção só fazem um tremendo mal à humanidade.

3. A indecência é o uso da fé das pessoas, da busca do pertencimento, como forma de controle. Não é novo, e é muito preocupante no mundo todo. Governantes de extrema direita, Trump como expoente, se apropriam dessa ferramenta para seus projetos racistas e excludentes, que transformam a fé e o sentimento de pertencimento de comunidades religiosas em ódio ao “inimigo”, ao outro. Pregam a morte! O objetivo é a manutenção do poder, e o lucro.

4. O governo do síndico disfuncional propõe subsídio à conta de luz para “templos religiosos de grande porte, principalmente evangélicos”. Isso nos custaria “insignificantes” 30 milhões de reais ao ano, afirma o governo pródigo que acaba de cortar na aposentadoria do trabalhador. É o programa “Luz para uns”.

5. Talvez a indecência seja a privatização e a venda de coisas públicas. A Casa da Moeda brasileira, “la casa de papel”, está ocupada por trabalhadores para tentar defendê-la da sanha privatista de tchutchuca. A Casa da Moeda teve um lucro líquido de 311 milhões no último ano do Governo Dilma, em 2015. Em 2016, já sob a administração do golpe, o lucro caiu para 60 milhões. Mas ainda assim foi lucro. Mas aí chega o síndico disfuncional e a administração redentora e ultraneoliberal de tchutchuca, e a Casa da Moeda dá prejuízo. Os trabalhadores gritam contra a gestão, é óbvio. A privatização é a falsa solução para o problema, nossa pergunta será sempre: quem lucra com o quê?

6. Assim, enquanto o mundo afunda na lama e no ódio, alguns senhores dedicados à religião, e eventualmente ao preconceito e à definição do que é indecente, afundam no dinheiro. A lista apresentada pelo Diário do Centro do Mundo, por meio de uma charge, informa a fortuna de cinco desses abnegados. Os valores somam 3,020 bilhões de reais, e variam de 1,9 bilhões de reais a 130 milhões de reais para cada um.

Uns vão / Uns tão / Uns são / Uns dão / Uns não / Uns hão de / (...) Uns cem / Uns sem / Uns vêm / Uns têm / Uns nada têm / Uns mal / Uns bem / Uns nada além / (...) Uns menos / Uns mais / Uns médios / Uns por demais / (...) Uns assim / Uns meus / Uns teus / Uns ateus / Uns filhos de Deus / Uns dizem fim / Uns dizem sim / E não há outros.

Uns, Caetano Veloso

Confira todas as colunas:
# Diário Não Oficial do Brasil