Página inicial > BRASIL > Dia 39 (404) - Ano 2 - O parasita no microscópio

Dia 39 (404) - Ano 2 - O parasita no microscópio

sábado 8 de fevereiro de 2020, por Fátima Froes,

Membro do executivo do desgoverno chama os trabalhadores do serviço público brasileiro de parasitas. Médicos, enfermeiros, cientistas, professores, músicos, engenheiros, trabalhadores da limpeza, petroleiros, aqueles que produzem a riqueza do país são considerados “parasitas”

Imagem: Iotti

PNG - 44.9 KB

1. Vamos discutir os parasitas, aqueles do legislativo, do executivo, do sistema financeiro. Em um dicionário na web, encontramos duas possibilidades de significado para “parasita”. Na biologia, diz-se de “organismo que vive de e em outro organismo, dele obtendo alimento e não raro causando-lhe dano”. Ou ainda, pejorativamente, antropocentricamente, diz-se de “indivíduo que vive à custa alheia por pura exploração ou preguiça”.

2. Os trabalhadores do serviço público brasileiro foram chamados de parasitas por um membro do executivo desse desgoverno. Um membro acusado de desviar recursos de fundos de pensão de trabalhadores de empresas estatais. Um membro que nada constrói e cujos feitos envolvem, sempre, a destruição de alguma coisa.

3. O refugo de Pinochet esteve no Chile e ajudou a implantar, na ditadura, um esquemão sanguessuga para destruir aposentados, em função do lucro das seguradoras. Então não é o Estado que é o hospedeiro e os servidores “parasitas”, os hospedeiros são os aposentados que morrem no Chile e o parasita é o que busca novos fundos acumulados por trabalhadores para sugar-lhes a vida e abastecer a capitalização dos bancos.

4. Esse cidadão faz parte, ainda, como ideólogo e avalista, de um governo que tem na sua base Queiroz, o operador das “rachadinhas”, o apoio de um certo pastor deputado sorridente, e um síndico que dormiu 28 anos no legislativo e tratou de reproduzir o modelito para nutrir a própria família.

5. O economista Eduardo Moreira rebateu o parasita (ops!) engolidor de fundos de pensão: "Servidores sustentam quase 50 milhões de brasileiros. R$ 400 bi são pagos por ano em juros da dívida, em troca de trabalho nenhum. Parasitas?", questiona.

6. Médicos, enfermeiros, cientistas, professores, músicos, engenheiros, trabalhadores da limpeza, petroleiros, aqueles que produzem a riqueza do país serem considerados “parasitas” por um parasita, é irônico. O mundo através do espelho!

Confira todas as colunas:

Diário Não Oficial do Brasil