Página inicial > BRASIL > Dia 50 (415) - Ano 2 - Pequeno panorama da violência cotidiana

Dia 50 (415) - Ano 2 - Pequeno panorama da violência cotidiana

quarta-feira 19 de fevereiro de 2020, por Fátima Froes,

Um senador da república foi baleado numa manifestação no Ceará. Greve da polícia militar. Os policiais estavam encapuzados e haviam ordenado o fechamento do comércio na cidade de Sobral

Imagem: Twitter

PNG - 44.9 KB

Um senador da república foi baleado numa manifestação no Ceará. “O tiro seria de bala de borracha, mas ele aparece com sangramentos nas imagens divulgadas”. O embate se deu em função de uma greve da polícia militar. Os policiais estavam encapuzados e haviam ordenado o fechamento do comércio na cidade de Sobral. Mesmo que tenha sido com bala de borracha, supostamente de menor índice de letalidade, ainda assim, uma agressão da polícia militar a um senador da república (Revista Fórum).

Em São Paulo a polícia militar foi chamada por uma diretora, que foi questionada por um aluno ao perceber que seu nome não estava na lista de matrículas da. A polícia militar torturou o aluno dentro da escola, sacou armas para os que estavam tentando defendê-lo. Cinco homens armados contra um estudante desarmado que não opôs nenhuma resistência (Carta Capital).

Finalmente o pedido de impedimento do bolsosenador foi protocolado, assinado pelo PT, PSOL e REDE. Flávio b., o filho sem sobrenome, ocupa o cargo de terceiro secretário da Casa, e os partidos pedem o seu afastamento. O processo não é uma peça de ficção, como costuma ser no partido da lava jato, ao contrário, é robusto, com informações todas reais colhidas da Polícia Civil e do Ministério Público do Rio de Janeiro, entre outros. A estranha conexão, recheada de homenagens e contratação de parentes, com o miliciano Adriano da Nóbrega faz parte do rol de acusações (Jornal Brasil de Fato).

E uma vitória também para os moradores da cidade de Catas Altas, em Minas Gerais, que conseguiram barrar a expansão de um empreendimento da Vale. O Movimento pela Soberania Popular na Mineração conseguiu junto ao Conselho Municipal de Desenvolvimento e Meio Ambiente a revogação da autorização de funcionamento e expansão da mina em razão dos prejuízos causados pela mineração à cidade, que incluem problemas de saúde, destruição de mananciais de água que abastecem a cidade, “prejuízo dos atrativos culturais e turísticos do município” e comprometimento de áreas utilizadas no lazer local (Jornal Brasil de Fato).

Confira todas as colunas:

Diário Não Oficial do Brasil