Página inicial > BRASIL > Dia 109 (473) - Ano 2 - Muda o laudo!!

Dia 109 (473) - Ano 2 - Muda o laudo!!

sábado 18 de abril de 2020, por Fátima Froes,

O bolsofilho embaixador, e especialista em hambúrguer, foi às redes acusar médicos pesquisadores de assassinarem onze pacientes fingindo que a causa teria sido o coronavírus associado ao uso de doses elevadas de cloroquina.

Imagem: Jota Camelo - Facebook

PNG - 44.9 KB

1. Muda o laudo!! Cenas surreais em um hospital do Pará, onde uma família reivindica que seja retirada a suspeita de coronavírus do laudo de um paciente morto com pneumonia (Portal Roma News). São os efeitos do bolsofascismo que levam uma família mergulhada no sofrimento e também afetada pelo obscurantismo a entender que pode a pontapés abstrair os fatos, atropelar a prudência e a ciência, e depois, talvez, mergulhar na borda da terra plana.

2. O bolsofilho embaixador, e especialista em hambúrguer, foi às redes acusar médicos pesquisadores de assassinarem onze pacientes fingindo que a causa teria sido o coronavírus associado ao uso de doses elevadas de cloroquina. Os 11 pacientes mortos foram "assassinados" por médicos de esquerda para desqualificar o medicamento (Portal Amazonas1), e o capitão. Provavelmente os 6.000 mortos nos Estados Unidos, em um só dia, também tiveram o mesmo propósito. O que é espantoso mesmo é que em um momento tão grave os responsáveis pelas redes sociais não tenham ainda posto um limite a esses desatinos, a bem da saúde pública.

3. A posse do novo ministro da saúde foi realizada em uma cerimônia pública sem máscaras, sem luvas, sem distanciamento. É a nova ordem, matar cada vez mais rápido. Já alcançamos o décimo primeiro lugar no ranking de mortes pelo coronavírus no mundo (G1). Passamos de 200 mortes por dia.

4. Assim, cuidar do coletivo passa a ser uma ameaça. Um idiota propôs dar um tiro no governador de Alagoas para acabar com o isolamento social (UOL). Outros assassinos pregam abertamente a morte dos trabalhadores do comércio, exigindo, em carreata, o fim do isolamento.

5. Enquanto os municípios do Rio de Janeiro, São Paulo, Manaus e Fortaleza estão com as suas capacidades de disponibilizar leitos hospitalares próximas do esgotamento (Jornal 247), em videoconferência com investidores da área da saúde, o novo ministro da Saúde, classificou a compra de um volume maior de insumos e equipamentos para o enfrentamento da pandemia como “investimento desnecessário”, e exemplificando com a compra de ventiladores mecânicos questiona: “o que você vai fazer com isso depois?” (Revista Fórum).

Chegamos ao paraíso dos idiotas.

  1. Confira todas as colunas:

Diário Não Oficial do Brasil